Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Opinião- Sangue Quente, de Isaac Marion

Atenção: O que está escrito a seguir, contém spoilers, para quem ainda não leu o livro.

Meu resumo:
Este livro fala-nos de uma altura em que os Vivos faziam todos os possíveis para não serem mordidos pelos Mortos e Ossudos (que até raciocinavam bem), e faziam os possíveis para exterminar com essas raças. No entanto, tal dura desde há muito tempo, existindo, até, grupos de Mortos comandados por Ossudos.

Assim, são esses esqueletos que mandam os Mortos, ou seja, os zombies, irem à procura dos Vivos, para poderem alimentar-se deles. É numa dessas caças que R, um zombie jovem, que não sabe nada sobre a sua vida anterior, acaba por comer um rapaz jovem, Perry Kelvin e, ao comer o seu cérebro, absorve as suas memórias, conseguindo conhecer a namorada do jovem, Julie Cabarnet. E é assim que R decide fazer tudo por tudo para garantir a segurança de Julie, fazendo com que ambos se apaixonassem um pelo outro aos poucos. E é esse amor que fará renascer tudo e todos e dará uma nova esperança, quer para os Vivos, quer para os próprios Mortos, que acabam por mudar.


Opinião: Ao começar a ler este livro, percebi logo que ele seria muito descritivo. Tal se veio a confirmar ao longo da leitura. No entanto, a ação até está controlada, ou seja, nem avança muito depressa, nem avança muito devagar. Ainda assim, tinha grandes expetativas quanto ao seu enredo. Pensava que seria algo mais demorado, pois acho que certas coisas são repentinas. Também pensei que a parte amorosa fosse mais complicada, pelo facto de R ser um zombie e Julie ser humana. Contudo, gostei muito destas duas personagens. R, apesar de ser um zombie, tem pensamentos muito profundos, e acaba por se interessar mais pela vida de Julie do que seja pela sua própria vida.  Também gostei muito de Julie, uma vez que ela sofreu muito ao longo da sua infância, devido à partida da sua mãe quando tinha 12 anos e, depois disso, o pai mudou por completo, sendo muito exigente quanto a Julie. Porém, Julie é uma jovem de 18 anos que, com todos estes problemas, nunca perdeu a esperança de que, um dia, pudesse haver uma cura para os Mortos e de que tudo voltaria normal. Já não se pode dizer o mesmo de Perry, que até já pensava e aceitava muito bem acerca da sua morte.

Concluindo, penso que este livro é muito bom, mas não foi daqueles livros que me prendeu por completo, mas que dá muito em que pensar, pois, sem nos apercebermos, fala de problemas atuais, como é o caso do abandono dos pais, a cobiça, o egoísmo, a falta de esperança, a falta de sonhos, a falta de pensar pelo positivo. 
Apesar de antes da leitura as minhas expetativas terem sido elevadas, uma parte de mim indica que algo falta neste livro, mas que é um bom livro e que qualquer pessoa pode lê-lo. Aconselho a leitura deste livro.


Classificação: 3.5/5 estrelas

P.S- Para quem não sabe, ou não viu os posts que já tinha publicado, este livro foi adaptado para o grande ecrã :)



O Diário da Nossa Paixão, de Nicholas Sparks

"Queridíssima Allie

Não sei mais o que dizer excepto que não pude dormir na noite passada porque sabia que
tudo acabou entre nós. É um sentimento diferente para mim, algo que nunca esperei, mas,
olhando para trás, suponho que não poderia ter acabado de outra maneira. Tu e eu éramos
diferentes. Viemos de mundos diferentes, e, no entanto, foste tu quem me ensinou o valor do amor. Mostraste-me o que era gostar de outra pessoa, e sou um homem melhor por causa
disso. Quero que nunca o esqueças.
Não me sinto amargo pelo que aconteceu. Pelo contrário. Estou seguro no conhecimento de
que o que nós tivemos foi real, e fico feliz por nos ter sido possível estar juntos mesmo por
um breve período de tempo. E se, nalgum lugar distante do futuro, nos virmos um ao outro
nas nossas vidas, sorrirei para ti com alegria, e recordarei como passámos um Verão
debaixo das árvores, aprendendo um do outro e crescendo em amor. E talvez, por um breve
momento, tu também o sintas, e sorrias também, e saboreies as memórias que sempre partilharemos.
Amo-te, Allie.
Noah"


P.S- Não sei esta é a versão brasileira, ou a portuguesa, uma vez que ainda não li o livro, mas é um excerto muito bonito vindo de um livro pelo qual estou curiosa em ler, já que já vi o filme, que foi maravilhoso!!!

205265_503728369684317_2010499155_n_large

Às vezes, em sonho triste (poema de Fernando Pessoa)

Encontrei este lindo poema de Fernando Pessoa e decidi postá-lo aqui :)
No fim, tive que postar aquela imagem, é um filme muito fofinho ^^


«Às vezes, em sonho triste
Nos meus desejos existe
Longinquamente um país
Onde ser feliz consiste
Apenas em ser feliz.

Vive-se como se nasce
Sem o querer nem saber.
Nessa ilusão de viver
O tempo morre e renasce
Sem que o sintamos correr.

O sentir e o desejar
São banidos dessa terra.
O amor não é amor
Nesse país por onde erra
Meu longínquo divagar.

Nem se sonha nem se vive:
É uma infância sem fim.
Parece que se revive
Tão suave é viver assim
Nesse impossível jardim.»

Tumblr_mjrkbvx2121s7n30go1_500_large


Juntos ao Luar, Nicholas Sparks

Dá para acreditar que o único livro que li de Nicholas Sparks foi Um Momento Inesquecível? Bem, em breve, lerei A Melodia do Adeus, e depois, talvez no verão lerei, Juntos ao Luar. Já vi os filmes destes livros, e também vi O Diário da Nossa Paixão que, desses filmes, é o meu favorito e, por isso, também irei lê-lo. Sim, tenho que ler mais livros de Nicholas Sparks. E deixo aqui este bonito excerto:



«Há tanta coisa que te quero dizer, mas não tenho a certeza de por onde começar. Deveria começar por dizer que te adoro? Ou que os dias que passei contigo foram os mais felizes da minha vida? Ou que o pouco tempo que passámos juntos foi suficiente para me convencer de que o nosso lugar é ao lado um do outro? Podia dizer-te tudo isto, e tudo seria verdade, contudo, ao reler o que escrevi, não consigo pensar em mais nada para além de que adorava poder estar contigo neste momento de mãos dadas, a ver o teu sorriso esquivo. De futuro, sei que irei relembrar constantemente o tempo que passámos na companhia um do outro. Vou ouvir o teu riso, e ver o teu rosto, e sentir o teu abraço. Vou sentir a falta de tudo isso, mais do que possas imaginar.»




A Culpa é das Estrelas, de John Green

«Estou apaixonado por ti e não estou disposto a negar a mim mesmo o simples prazer de dizer as verdades. Estou apaixonado por ti e sei que o amor é apenas um grito no vazio e que o esquecimento é inevitável e que estamos todos condenados e que chegará o dia em que todo o nosso esforço será devolvido ao pó, e eu sei que o Sol irá engolir a única Terra que alguma vez teremos, e eu estou apaixonado por ti.»

482451_346826802085743_539789383_n_large

Diário de Anne Frank

«É como um pesadelo, um pesadelo que se prolonga muito depois de eu estar acordada. Vejo-o praticamente a todas as horas do dia e no entanto não posso estar com ele, não posso deixar que os outros notem, e tenho de fingir estar alegre, embora o coração me doa.»