Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Divulgação: Hex Hall, de Rachel Hawkins



Sinopse retirada do site da Bertrand: Um bilhete só de ida para um colégio interno perdido nos pântanos do Louisiana era talvez a última coisa que Sophie Mercer esperava receber pelos seus dezasseis anos. Mas Sophie não é uma adolescente igual às outras. Sophie é uma feiticeira e, tal como os outros prodigium, feiticeiros, fadas, lobisomens e vampiros, Sophie não pode frequentar uma escola normal. O que Sophie esperava ainda menos era ser companheira de quarto de Jenna, a única vampira da escola, e ver-se enredada numa trama para descobrir quem anda a assassinar os alunos da escola ao mesmo tempo que tem que lidar com os seus novos poderes, a descoberta da importância do seu Pai na hierarquia dos feiticeiros e a sua paixão pelo namorado da sua mais recente inimiga. 

"Abrir Hex Hall foi como abrir uma caixa de chocolates, ao revelar-se impossível de exercer qualquer tipo de auto-controlo! Houve, pelo menos, uma gargalhada por página, uma protagonista esperta e auto-depreciativa, Sophie Mercer, e um misterioso assassino que fez com que as páginas passassem por si próprias, ou se calhar a culpa foi de um dos Prodigium! Conclusão, fui enfeitiçada por Sophie Mercer!"
Becca Fitzpatrick, autora de hush, hush


P.S- Tem continuação, mas penso que não está publicada em Portugal. Contudo, não tenho a certeza disso.

Opinião: Wicked Lovely-Amores Rebeldes, de Melissa Mar

Estou a ler
Sinopse: REGRA # 3: 

Não olhar para fadas invisíveis.
Desde que nasceu, Aislinn sempre viu fadas. Poderosas e perigosas, elas caminham ocultas entre os mortais. Aislinn tenta passar despercebida pois estes seres não gostam de ser descobertos e costumam castigar com crueldade as pessoas que detectam a sua presença. REGRA # 2: 

Não falar com fadas invisíveis.
Agora as fadas perseguem Aislinn. O rei das fadas Keenan, aterrorizante e sedutor, tenta cativar Aislinn, fazendo perguntas que ela tem medo de responder. REGRA # 1: 

Nunca chamar a atenção delas.
Agora é tarde demais… Keenan, o Rei do Verão anda numa busca incansável pela sua rainha há nove séculos e está determinado a converter Aislinn na sua rainha a qualquer custo. 

Quando as regras secretas que sempre a tinham protegido deixam de funcionar, de repente está tudo em risco: a sua liberdade; o seu melhor amigo, Seth; a sua vida; tudo. Intrigas sobrenaturais, amores mortais, e confrontos entre reis antigos e expectativas modernas cruzam-se no enredo deste espantoso conto de fadas que Melissa Marr imaginou para o século vinte e um.


Opinião: 
Gostei muito do livro. Apresenta um bom conteúdo, sendo cativante no sentido de ter um bom tema, isto, é fadas e assuntos relacionados com elas.
Penso que a autora foi original, mesmo usando pequenos excertos de livros deste assunto. É um livro bem escrito e que nos faz ansiar por mais.

Contudo, por vezes, achei que a descrição estava um pouco em demasia, ou seja, a autora não passava logo à ação, isto é, demorava um pouco a caracterizar o que a personagem sentia e fazer comparações e coisas do género.

Uma outra coisa que me deixou com o pé atrás foi a protagonista, a Aislinn. Eu não quero dizer que não gostei dela. Aliás, gosto da personagem, mas para mim é um pouco confusa pois, ora é altruísta, pronta para defender a sua Avó e o Seth, ora é demasiado egoísta e um pouco refilona.

Ainda assim, gostei do triângulo amoroso presente. Eu sei que é comum haver um triângulo amoroso, principalmente quando é entre dois rapazes e uma rapariga. Isto aconteceu aqui, mas achei-o diferente, pois não é bem um triângulo amoroso, já que no caso de Keenan, este não sente um amor muito forte por Aislinn, mas sente-se fraco por esta não o querer. Ainda assim, Keenan tem uma pessoa que ama realmente. Além disso, gostei da relação de Seth e Aislinn, uma vez que é reconfortante e, até, carinhosa, porque Seth esperou muito tempo por ela e sempre foi muito paciente, interessando-se mais pelos sentimentos dela do que pelos seus.

Concluindo, achei a história, isto é, o enredo, muito interessante e bem construído, tendo gostado do mundo feérico apresentado. Também apreciei muito as personagens e as suas ações, sendo estas até capazes de levantar um lado um pouco moral.
Por isso, aconselho a leitura deste livro e irei continuar a ler a coleção, já que tem quatro livros publicados em Portugal, mas penso que haverá mais um que, se não estou em erro.

Classificação: 4/5 estrelas

Divulgação: Pequenas Mentirosas, de Sara Shepard


Sinopse retirada do site da Bertrand: Nunca confies numa menina bonita

Bisbilhotices é que não faltam no universo elegante de Rosewood. E todos - mas todos - escondem um segredo, sobretudo as jovens Spencer, Aria, Emily e Hanna.
Spencer cobiça o namorado da irmã. Aria tem um caso ilícito. Emily está apaixonada pela primeira vez. E Hanna faz o que for preciso para ser bonita.
Mas mais profundo e obscuro é o segredo terrível que as quatro amigas partilham - e que julgavam ter enterrado para sempre.
Então, alguém que se apresenta como «A» começa a enviar mensagens assustadoras às raparigas. De repente, todos os seus segredos - os pequenos, os grandes e os há muito esquecidos - deixam de o ser.
E nada - nem ninguém - está a salvo em Rosewood.


P.S- Tem continuação.

Opinião: Maze Runner-Correr ou Morrer, de James Dashner

Estou a ler

Sinopse: Quando desperta, não sabe onde se encontra. Sons metálicos, a trepidação, um frio intenso. Sabe que o seu nome é Thomas, mas é tudo. Quando a caixa onde está para bruscamente e uma luz surge do teto que se abre, Thomas percebe que está num elevador e chegou a uma superfície desconhecida. Caras e vozes de rapazes, jovens adolescentes como ele, rodeiam-no, falando entre si. Puxam-no para fora e dão-lhe as boas vindas à Clareira. Mas no fim do seu primeiro dia naquele lugar, acontece algo inesperado - a chegada da primeira e única rapariga, Teresa. E ela traz uma mensagem que mudará todas as regras do jogo.

Opinião: Este livro é fantástico! Eu sei que demorei algum tempo para o ler (mas isso deveu-se a planos familiares). Porém, achei-o cativante, fantástico, genial!
Foi, realmente, uma excelente compra.
Para além de ter uma escrita simples e fresca, com descrições explícitas e muitos visuais, este livro é excelente. A imaginação deste autor é, simplesmente, fantástica. Este livro está repleto de mistérios, aventuras e perigos e representa muito bem valores como a amizade, a determinação, a coragem, o altruísmo, o trabalho em equipa.
Este livro é muito, posso dizer, humano. Tem, lá no fundo, uma perspetiva moral, isto é, o caso do altruísmo e outras coisas.
Claro que este livro deixou suspense, por isso, irei comprar o segundo volume dentro em breve! E digo isto porque o autor soube deixar o leitor num excelente ponto de mistério.
Este livro é muito realístico e viciante, e está muito bem construído, quer a nível temático e do enredo, quer a nível da escrita. As ideias e os conceitos apresentados no livro são muito bons e únicos.
Quanto às personagens, estas também estão muito bem escritas, uma vez que cada uma tem características particulares, ou seja, cada uma é única.

Concluindo, apesar de não dizer muito aqui, penso que disse o suficiente para pensarem que adorei o livro. Fiquei mesmo sem palavras para certos acontecimentos e, até mesmo, chocada com os mesmos. Até ri e chorei em algumas partes.
Por isso, é claro que aconselho a leitura deste livro! É fantástico!

Classificação: 5/5 estrelas

Divulgação: A Sociedade do Sangue, de Susan Hubbard



Sinopse retirada do site da Bertrand: Ariella Montero tem 12 anos, nunca frequentou a escola e vivia em Saratoga Springs com o pai, que lhe ensinava pessoalmente as matérias que considerava importantes. Mas Ariella tinha consciência de que era diferente, e ao longo dos anos, os vagos esclarecimentos sobre o «desaparecimento» da sua mãe agudizavam essa certeza. A vida de Ariella altera-se quando Dennis, o cientista assistente do laboratório que o pai tem na cave, e Mrs. Garrit, a cozinheira, sugerem que a jovem deve sair para fazer um pouco de exercício. Então, Ariella apercebe-se que o pai é um vampiro e, após um trágico incidente, parte sozinha em busca da mãe e da sua própria identidade. Uma história escrita com estilo e arte, que vem dar vida às novas gerações de vampiros do imaginário colectivo do século XXI.

Divulgação: O Clã da Loba (A Guerra das Bruxas-Livro 1), de Maite Carranza



Sinopse retirada do site da BertrandDesde que há memória, dois clãs de bruxas, as Omar e as Odish, vivem em permanente conflito, incapazes de conciliar as suas diferenças ancestrais. Apenas uma velha profecia deixa entrever alguma esperança de no futuro a eleita conseguir unir ambas as tribos. E agora todos os sinais confirmam que a chegada dessa eleita está próxima. Quando Anaíd, uma jovem de catorze anos, acorda uma manhã e verifica que a mãe desapareceu, pensa que lhe poderá ter acontecido todo o tipo de coisas, menos que a sua mãe é uma bruxa Omar e considerada por todas aquela de que a profecia fala…

P.S- Tem continuação.

Divulgação: Desaparecidos, de Michael Grant


Sinopse retirada do site da Bertrand: E, de repente, nada! Os telemóveis deixaram de funcionar assim como os computadores e todos os outros aparelhos eléctricos e electrónicos. Sem pufs, flashes, luzes ou explosões. Nada. Mas há mais: não há nenhum adulto no perturbador universo de Desaparecidos. 

Desaparecidos, do escritor norte-americano Michael Grant, é um livro inquietante sobre um mundo em que não há adultos e onde a tecnologia não funciona. A fazer lembrar Harry Potter, Stars Wars e Senhor dos Anéis, Grant estreia-se de forma auspiciosa no nosso país. 

São mais de 400 páginas de pura emoção e muita expectativa que se lêem num ápice. Num mundo tão diferente daquele em que vivemos, sem muitas das comodidades que deixámos de valorizar pelo facto de não conseguirmos imaginar a vida antes delas, Desaparecidos é um livro perturbante, emocionante e, acima de tudo, muito original.

Tudo começa dentro de uma sala de aula quando, num piscar de olhos, o professor desaparece. Alarmados, os alunos saem da aula em busca do professor. É então que começam a perceber que todos os adultos desapareceram. E que estranho se torna o mundo sem adultos.


P.S- Tem continuação.

Divulgação: O Império das Asas, de Claire Corbett


Sinopse retirada do site da Bertrand:

Voar deixou de ser um sonho impossível, mas apenas os ricos e poderosos podem pagar a cirurgia, medicamentos e manipulação genética para tal. Peri, uma jovem de classe baixa, está disposta a qualquer coisa para conseguir as suas asas e se juntar à elite, mas cedo descobre que o preço do seu sonho é mais elevado do que alguma vez imaginara. Será ela capaz de abdicar de tudo o que lhe é fundamental na vida? Um romance original sobre sacrifícios, traições e amor.