Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Divulgação: O Segredo dos Tudor, de C.W. Gortner


Sinopse retirada do site da Bertrand: No verão de 1553, Brendan Prescott é chamado à corte inglesa dos Tudor para se tornar escudeiro de Robert Dudley. Na mesma noite em que chega à corte, Lorde Robert encarrega-o de entregar secretamente um anel à princesa Isabel.
Frente a frente com a emblemática princesa, e depois de ela se recusar a aceitar a joia, o jovem escudeiro percebe que se encontra no meio de uma trama de conspirações e mentiras. Os Dudley planeiam uma traição mortal contra o rei Eduardo VI e as suas duas irmãs Maria e Isabel com um único fim: chegar ao trono.
Destemido e convicto de que o que vai fazer é o melhor para Inglaterra, Brendan Prescott alia-se a Isabel e aos seus protetores. Torna-se assim um agente duplo em defesa da coroa, contra a ambição desmedida dos Dudley. Num enredo misterioso envolto em intrigas, perseguições, assassínios e corrupção, Prescott acaba por descobrir também as suas verdadeiras origens e a sua própria história. Uma história que esconde um segredo muito mais perigoso e mortal do que ele alguma vez poderia imaginar.

Divulgação: Aqui e agora, de Ann Brashares


Sinopse retirada do site da Editorial Presença: Seguir as regras.
Lembrar-me do que aconteceu.
Nunca me apaixonar.


O mundo de onde vim está em ruínas. 
Estamos aqui para evitar a destruição da humanidade.
Mas se não seguirmos As Regras, tudo o que é importante desaparecerá:
Amigos. Famílias. Sonhos. Amor.
O Ethan não pode nunca descobrir o meu segredo.
Que não vim de outro lugar.
Que vim de um outro tempo.


Aqui e Agora é um thriller inesquecível, romântico e épico, sobre uma jovem que veio do futuro e que pode talvez salvar o mundo... se abrir mão daquilo que mais deseja.

Divulgação: Um Caso Perdido (Hopeless), de Colleen Hoover


Sinopse retirada do site da Bertrand: Preferia saber a verdade, ainda que isso fizesse de si um caso perdido, ou continuar a viver uma mentira?
Quando Sky conhece Dean Holder no liceu, um rapaz com uma reputação tão duvidosa quanto a dela, sente-se aterrorizada, mas também cativada. Há algo naquela figura que lhe traz memórias do seu passado mais profundo e perturbador. Um passado que ela tentou por tudo enterrar dentro da sua mente. 
Ainda que Sky esteja determinada a afastar-se de Holder, a perseguição cerrada que ele lhe dedica, bem como o seu sorriso enigmático, fazem-na baixar as defesas, e a intensidade da relação entre os dois cresce a cada dia. Mas o misterioso Holder também guarda os seus segredos, e, quando os revela a Sky, ela vê-se confrontada com uma verdade tão terrível que pode mudá-la para sempre. Será Sky quem ela pensa que é? E será que os dois conseguirão sarar as suas feridas emocionais e encontrar um modo de viver e amar sem limites?
Um Caso Perdido (Hopeless) é um romance intenso que o irá comover e arrebatar, ao mesmo tempo que o fará recordar o seu primeiro amor.

Opinião: Anna e o Beijo Francês, de Stephanie Perkins

Estou a ler
Sinopse retirada do site da Bertrand: Anna Oliphant tem grandes planos para o seu último ano em Atlanta: sair com a melhor amiga, Bridgette, e namoriscar com um colega no cinema onde trabalha. Por conseguinte, não fica muito contente quando o pai a envia para um colégio interno em Paris. As coisas começam a melhorar quando ela conhece Étienne St. Clair, um rapaz deslumbrante - que tem namorada. Ele e Anna tornam-se grandes amigos e as coisas ficam infinitamente mais complicadas. Irá Anna conseguir um beijo francês? Ou algumas coisas não estão destinadas a acontecer?

Opinião: Este é um livro ótimo para se ler numa linda tarde de verão. É um livro leve e com uma escrita cativante e jovial. Tal como o título indica, fala-se amores ocorridos em França, já que a personagem principal, Anna, foi estudar para este magnífico país. É pena que a autora não tenha dado muitas informações acerca de uma das cidades mais célebres do mundo. Penso que esse é um dos pontos mais fracos no livro. Com tanta coisa interessante e bonita para se dizer sobre esta bela cidade e a autora só esteve preocupada com os dramas amorosas da jovem personagem... E foi o que menos gostei do livro: demasiadas "paixões". O que quero dizer é que a Anna, apesar de ser uma rapariga simpática e fazer o seu esforço para ser mais culta, era um verdadeiro caos juvenil. Ou seja, ela, num instante, estava interessada num rapaz diferente. Ela teve, pelo menos, umas 4 "paixões". É um exagero. Uma coisa é atração e outra é amor. Além disso, penso que a autor transmite uma ideia errada em relação aos adolescentes. É por causa de personagens assim que as pessoas pensam que os adolescentes só querem saber de rapazes/ raparigas e terem namorado/a ou não. Não é bem assim. É pena a autora ter usado um "cliché" tão mau... Os adolescentes não pensam apenas em corações e beijos, pelo amor de Deus... Aliás, temos as nossas próprias cabeças e sabemos ser racionais... É que há momentos na narrativa em que a autora parece que está a falar de gentinha burra e fútil... 
Ainda assim, gostei muito do livro. Lê-se bem, as personagens são muito individuais, apesar dos dramas exagerados... É-nos apresentada uma escrita leve e, até mesmo, doce. Portanto, ainda assim, recomendo a leitura do livro.

Classificação: 8/10 estrelas

Opinião: O Clã da Loba-A Guerra das Lobas, de Maite Carranza


Sinopse retirada do site da Bertrand: Desde que há memória, dois clãs de bruxas, as Omar e as Odish, vivem em permanente conflito, incapazes de conciliar as suas diferenças ancestrais. Apenas uma velha profecia deixa entrever alguma esperança de no futuro a eleita conseguir unir ambas as tribos. E agora todos os sinais confirmam que a chegada dessa eleita está próxima. Quando Anaíd, uma jovem de catorze anos, acorda uma manhã e verifica que a mãe desapareceu, pensa que lhe poderá ter acontecido todo o tipo de coisas, menos que a sua mãe é uma bruxa Omar e considerada por todas aquela de que a profecia fala…


Opinião: Sinceramente, nem se o que dizer em relação a este livro. Gostei da escrita da autora e também da sua originalidade, apesar de ela manter as bases, isto é, as características típicas de bruxas e covens, como feitiços e varinhas e coisas assim. Mas gostei das profecias e dos clãs formados pela autora.
Contudo, este livro desapontou-me, principalmente pelo elenco de personagens. Acho-as vazias, sem força de carácter e são todas muito parecidas quanto às suas personalidades. A personagem principal é uma pobre coitada de 14 anos que chora por tudo e por nada. Não gostei nada dela... Ela pode ter 14 anos e ter comportamentos típicos de uma rapariga que entrou na adolescência, mas é uma personagem muito exagerada e muito fraca para ser a principal... Portanto, penso que o pior deste livro são mesmo as personagens. Não gostei de nenhuma... Além disso, mudam de opiniões e de ideias num instante. Nem parecem ser gente séria, apesar de serem bruxas, o que é  muito importante para elas.
Por isso, penso que, se a autora tivesse elaborado personagens melhores, mais convincentes, a leitura deste livro não teria sido tão difícil.
Há ainda um outro ponto negativo: o final. Vê-se logo que a autora, simplesmente, queria que o livro chegasse ao fim. O fim foi ridículo e poderia ter sido resolvido de forma melhor. Aliás, de acordo com este fim, o livro nem deveria ter sido assim tão "extenso"...
Enfim, o livro, ainda assim, apresenta um bom enredo... Mas seria melhor se as personagens fossem outras e se o fim também fosse diferente,uma vez que este foi demasiado rápido, resolvido à pressa, e é demasiado ingénuo para a história apresentada.
Uma coisa que não concordo, e que se encontra na capa, é a comparação ao Harry Potter. Por favor, não façam uma comparação dessas. A única semelhança é o facto de existir magia e bruxas e, talvez, o enredo ter sido iniciado a partir duma personagem muito nova. De resto, não encontro nada que seja comparado aos belos livros de J.K. Rowling.
Concluindo, não posso dizer que aconselho a qualquer um a ler este livro, mas acho que se adapta aos leitores juvenis, com idades entre os 12 e os 14 anos.

Classificação: 6/10 estrelas

Divulgação: Não Digas Nada, de Mary Kubica


Sinopse retirada do site da Bertrand: Um thriller psicológico intenso e de leitura compulsiva, Não Digas Nada revela como, mesmo numa família perfeita, nada é o que parece.
Tenho andado a segui-la nos últimos dias. Sei onde faz as compras de supermercado, a que lavandaria vai, onde trabalha. Nunca falei com ela. Não lhe reconheceria o tom de voz. Não sei a cor dos olhos dela ou como eles ficam quando está assustada. Mas vou saber.
Filha de um juiz de sucesso e de uma figura do jet set reprimida, Mia Dennett sempre lutou contra a vida privilegiada dos pais, e tem um trabalho simples como professora de artes visuais numa escola secundária. 
Certa noite, Mia decide, inadvertidamente, sair com um estranho que acabou de conhecer num bar. À primeira vista, Colin Thatcher parece ser um homem modesto e inofensivo. Mas acompanhá-lo acabará por se tornar o pior erro da vida de Mia.

Opinião: Direitos de Sangue, de Kristen Painter

Estou a ler
Sinopse retirada do site da Bertrand: Chrisabelle esconde no corpo as marcas douradas e os segredos das comarré - uma raça especial de humanos criada para alimentar a elite de vampiros nobres com o seu sangue rico e poderoso. O destino dela está traçado desde sempre: servir incondicionalmente o seu patrono. Mas quando este é assassinado, a vida de Chrysabelle muda por completo. Finalmente pode ser livre, um sonho que nunca se permitira ter e que depressa se transforma num pesadelo. Ela é a principal suspeita do crime e do roubo de um anel mágico. O anel que a ambiciosa Tatiana está decidida a recuperar, custe o que custar. Chrysabelle atravessa o Atlântico para provar a sua inocência, e nesta demanda o seu caminho cruza-se com o de Malkolm, um poderoso e irresistível vampiro que foi renegado e alvo de uma maldição. Ambos tentam combater a inegável atração que os une. Mas o tempo urge. Ambos têm de unir esforços para travar os planos de Tatiana, que pretende acabar com o mundo tal como eles o conhecem e fundar um reino de trevas. Direitos de Sangue é o primeiro volume da série Casa das Comarré e um best-seller internacional.

Opinião: Posso dizer que este livro é bom em relação ao tema que retrata, que são vampiros e outros seres sobrenaturais. É raro ler livros sobre vampiros (desde a minha desilusão quanto ao Amanhecer), mas gostei deste livro.
Esta obra apresenta uma escrita cativante e repleta de sensualidade. Além disso, nota-se que a autora quis formar os seus próprios seres sobrenaturais, criando elementos novos e poderes fantásticos. Gostei muito da raça das comarrés. São interessantes e poderosas, apesar de serem vistas como objetos ou comida. Portanto, em relação à originalidade do livro, penso que o livro é muito bom. Em relação às personagens, o mesmo não acontece, pelo menos comigo. O elenco não é vasto, mas é moderado para a ação apresentada. São complexas, uma vez que cada uma tem a sua própria história e passaram por muitos maus momentos na sua vida. Contudo, não criei numa empatia por elas, a não ser quanto a Malkolm. Para mim, este é o que mais se destaca na narrativa. Em relação à protagonista feminina, Chrysabelle, não criei nenhum sentimento especial por ela. Aliás, por vezes, sentia-me frustrada com ela por se armar muito e apenas querer mostrar às pessoas que era independente e tudo isso. No entanto, penso que ela foi um pouco tola, já que, na situação decorrente, ela deveria estar preocupada com outras coisas, e não com coisas tão banais. Além disso, ela não tem a noção da situação em que se encontra. Ela é uma comarré e a sua raça tem segredos e, ainda assim, conta esses segredos a qualquer um... Não entendo... Ela tem 150 anos e parece uma jovenzinha tolinha e descuidada....
Porém, acho que o livro apresenta uma história boa e interessante, até porque, mesmo no final, houve surpresas muito boas, já que eram mesmo inesperadas.
Concluindo, para quem anda à procura de livros sobre vampiros, aconselho a leitura deste livro.

Classificação: 7.5/10 estrelas

Pág. 2/2