Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Biblioteca da Daniela

A Biblioteca da Daniela

Divulgação: Toda a Luz que Não Podemos Ver, de Anthony Doerr

30.04.15, Daniela S.
Há pouco tempo, publiquei um artigo que informava que este livro tinha recebido um prémio (e tem recebido outros, claro) e que seria publicado em Portugal pela Editorial Presença. Bem, aqui está a capa portuguesa, que é praticamente igual à original, tendo como diferenças as referências aos prémios e outras distinções.

Espero ansiosamente por ter este lindo romance nas minhas mãos!!!




Sinopse retirada do site da Bertrand: Marie-Laure é uma jovem cega que vive com o pai, o encarregado das chaves do Museu Nacional de História Natural em Paris. Quando as tropas de Hitler ocupam a França, pai e filha refugiam-se na cidade fortificada de Saint-Malo, levando com eles uma joia valiosíssima do museu, que carrega uma maldição. Werner Pfenning é um órfão alemão com um fascínio por rádios, talento que não passou despercebido à temida escola militar da Juventude Hitleriana. Seguindo o exército alemão por uma Europa em guerra, Werner chega a Saint-Malo na véspera do Dia D, onde, inevitavelmente, o seu destino se cruza com o de Marie-Laure, numa comovente combinação de amizade, inocência e humanidade num tempo de ódio e de trevas.

Divulgação: A Magnífica Sophy, de Georgette Heyer

29.04.15, Daniela S.

Sinopse retirada do site da Bertrand: Após alguns anos a viver em Lisboa, Sophy Stanton-Lacy é enviada para Londres pelo seu extravagante pai, o diplomata Sir Horace.
A recebê-la estão os tios, os lordes Ombersley. Entre a incredulidade e o horror, os aristocratas veem-na chegar acompanhada de um papagaio, um cavalo, um macaco, e um galgo chamado Tina.
As surpresas não ficam por aqui. Os modos "latinos" de Sophy são um escândalo perante o qual a jovem não se deixa intimidar. Principalmente quando decide que há muito a mudar no seu - ainda que temporário - novo lar. A começar pelos primos: o arrogante Charles está noivo de uma mulher enfadonha; a bela Cecilia perdeu-se de amores por um poeta estouvado; e o imprudente Hubert está refém de um agiota. Parece que a magnífica Sophy chegou mesmo a tempo de os salvar a todos das suas vidas deprimentes.
Todavia, ela não contou com a reação de Charles. Se o jovem herdeiro tivesse antecipado a perturbação que Sophy causaria, nunca a teria recebido. Agora que o mal está feito, a solução é arranjar-lhe um marido conveniente que a tire de sua casa rapidamente. Uma urgência cujas razões ele prefere não aprofundar.
Mas este cupido amador parece estar perante uma tarefa fácil, pois Sophy sonha em encontrar uma alma gémea. Os seus devaneios românticos é que poderão surpreender Charles… ou talvez não…

Divulgação: O Gigante Enterrado, de Kazuo Ishiguro

28.04.15, Daniela S.

Sinopse retirada do site da Bertrand: Tudo se passa há muitos, muitos anos, num local de fronteiras bem diferentes das actuais e marcado por grandes extensões de solo árido. Nalgumas zonas, os aldeões viviam em abrigos, parte dos quais cavados na encosta dos montes, ligados uns aos outros por passagens subterrâneas. Era num sítio assim que habitava o casal de idosos que tem lugar central nesta história: Axl e Beatrice. Um dia os dois decidiram ter chegado a hora de procurar o filho que há muito não viam e de quem pouco se recordavam. Naquele tempo longínquo esta era uma viagem que, previsivelmente, traria perigos. Mas aquela proporcionou muito mais do que isso. Uma amnésia colectiva parecia ter-se instalado naquela zona, como uma névoa que descera à terra para fazer esquecer em parte o passado, individual e colectivo. Mas a viagem de Axl e Beatrice revela-se um regresso à lembrança. E esta nem sempre deixa um rasto feliz.
Esta é uma história sobre memórias perdidas, amor, vingança e guerra. É ainda uma história que recua ao passado, transportando o leitor para terrenos percorridos por cavaleiros do rei Artur e monges, ogres e dragões. Um dragão em particular - Querig - é o foco das atenções. E, em relação a ele, as missões dividem-se. A diferença entre poupá-lo ou tirar-lhe a vida pouco tem de fantasia. Depois de dez anos sem publicar ficção de fôlego, Ishiguro apresenta-se agora com uma história inesperada que, por certo, fica na memória.

Divulgação: O luto de Elias Gro, de João Tordo

27.04.15, Daniela S.

Sinopse retirada do site da Bertrand: Numa pequena ilha perdida no Atlântico, um homem procura a solidão e o esquecimento, mas acaba por encontrar muito mais. 
A ilha alberga criaturas singulares: um padre sonhador, de nome Elias Gro; uma menina de onze anos perita em anatomia; Alma, uma senhora com um coração maior do que a ilha; Norbert, um velho louco que tem por hábito vaguear na noite; e o fantasma de um escritor, cuja casa foi engolida pelo mar. 
O narrador, lacerado pelo passado, luta com os seus demónios no local que escolheu para se isolar: um farol abandonado, à mercê dos caprichos da natureza - e dos outros habitantes da ilha. Com o vagar com que mudam as estações, o homem vai, passo a passo, emergindo do seu esconderijo, fazendo o seu luto, e descobrindo, numa travessia de alegria e dor, a medida certa do amor. 
O luto de Elias Gro é o romance mais atmosférico e intimista de João Tordo, um mergulho na alma humana, no que ela tem de mais obscuro e luminoso.

Divulgação: Filhas da Tempestade, de Philippa Gregory

26.04.15, Daniela S.

Sinopse retirada do site da Bertrand: Estamos em 1453 e o fim do mundo está cada vez mais perto.

Luca Vero é um emissário papal, membro da Ordem das Trevas, recrutado para registar o fim dos tempos. Isolde é uma antiga freira, que abandonou o convento onde estava reclusa, por amor a Luca.

Juntos, com o servo Freize, o irmão Peter e a misteriosa Ishraq, viajam até Piccolo, em Itália, uma cidade atemorizada por superstições.

Piccolo transforma-se quando chega uma cruzada de crianças, liderada por um autoproclamado santo e profeta, João, que afirma ter recebido ordens divinas para conduzir as crianças até à Terra Santa.

Luca duvida de João até que as suas profecias começam a revelarse verdadeiras, podendo tratar-se de milagres. No entanto, até os maiores milagres podem encaminhar para a escuridão… e o caos que se segue é inimaginável.

Opinião: O Longo Inverno, de Ruta Sepetys

24.04.15, Daniela S.
Irei ler
Sinopse retirada do site da Bertrand: Em 1941, Lina, de quinze anos, prepara-se para ingressar na escola de artes e para tudo o que aquele verão lhe pode proporcionar. No entanto, uma noite, a polícia secreta soviética invade a sua casa, levando-a juntamente com a sua mãe e o irmão mais novo. São enviados para a Sibéria. O pai de Lina é separado da família e conduzido a um campo de concentração. Lina decide arriscar tudo e usa a sua arte como forma de enviar mensagens, na esperança de que estas cheguem ao campo prisional onde o seu pai se encontra e lhe transmitam que a sua família ainda está viva. É uma longa e comovente viagem. Apenas a força, o amor e a esperança fazem com que Lina e a família resistam a cada dia. Mas será isso suficiente para os manter vivos?

Opinião: Comecei a ler este lindo livro no dia 22 de abril e terminei-o logo no dia seguinte! Com capítulos curtos, escrita simples e realista, Ruta Sepetys criou uma história tragicamente bela sobre a 2ª Guerra Mundial, mas falando da União Soviética, da NKVD e das deportações dos países bálticos realizadas pelos soviéticos. A história está tão bem escrita que até parece real. A própria autora, na nota final, esclareceu que baseou-se em factos reais quando falou com famílias que sofreram neste período negro da nossa História ao investigar para escrever este livro. Portanto, posso dizer que a autora fez um excelente trabalho e, por isso, está de parabéns.

Em relação ao enredo, é rápido, mas não é por isso que não deixamos de criar uma certa empatia e compaixão pelas personagens. É um enredo rico, complexo e que nos transmite mensagens muito bonitas: nunca percam a esperança, amor acima de tudo, sê generoso e ajuda os outros. É um livro pequeno, mas repleto de enormes e magníficas lições. Lê-se de tudo neste livro: a dor das vítimas, mas também a sua esperança. A crueldade dos membros da NKVD, mas também a compaixão de alguns deles. A distância das famílias, que acabam por arranjar forças através das suas memórias e do amor. O facto de ser possível encontrar esperança e amor, coragem e determinação, luz nos momentos mais obscuros. É, de facto, um enredo belo e bem construído.

Quanto à escrita, como já disse, é simples. A escritora optou por frases curtas e simples, apresentando um vocabulário igualmente simples mas, com as palavras certas, conseguiu transmitir-nos a dor, o medo, a escuridão, assim como a esperança, o amor e a luz. Como disse anteriormente, é uma escrita que transmite muito através de palavras simples. É uma escrita que toca nos lugares mais recônditos da nossa alma. Ao menos, isso aconteceu a mim. Senti tanta raiva por tudo isto ter acontecido... Tantas morte horríveis, tantas separações cruéis, tanto sofrimento... Mas também senti amor e um certo conforto porque estas personagens sempre encontraram forças para lutar pela sua vida.

Em relação às personagens, adorei todas elas pela sua bravura, pela sua fé, pelo seu espírito de partilha e de ajudar o próximo e pela sua determinação. É claro que odiei os membros da polícia soviética, sem dúvida alguma. Se bem que houve um que acabou por ser bom...
Lina, a protagonista, teve os seus bons e maus momentos. Por vezes, era uma rapariga determinada e capaz de lutar pela sua família. Foi uma rapariga que encontrou amor e esperança durante esta época horrível. Mas, efetivamente, foi uma jovem confusa, que também tinha muito ódio dentro de si e, por vezes, queria ser egoísta. No entanto, o leitor acaba por entender este lado de Lina. Afinal, acabei por criar uma grande empatia por ela... Uma jovem que se refugiou na arte, que procurou consolo na família e que tentou ser melhor por todos, pelo rapaz que amava e por si própria. 
Todas as personagens são únicas, tocam-nos profundamente pelas suas diferentes histórias de vida e parecem ser reais.

Em suma, este livro é excelente, belo, magnífico. Não tenho muito mais a dizer, a não seri: leiam. É um livro excecionalmente lindo.

P.S- Gostei muito desta citação, que se encontra nas notas finais do livro: "o amor revela-nos a natureza verdadeiramente milagrosa do espírito humano."


Classificação: 10/10 estrelas

Compras!!!

24.04.15, Daniela S.
Ontem, como foi o Dia Mundial do Livro, a minha mãe ofereceu-me este livro:


Sinopse retirada do site da Fnac: Quando Sophia Danko conhece Luke, algo dentro dela muda para sempre. Luke é muito diferente dos homens ricos e privilegiados que a rodeiam. Através dele, Sophia conhece um mundo mais genuíno e puro do que o seu, mas também mais implacável. Ela tem uma vida protegida. Ele vive no limite. À medida que se descobrem e apaixonam, Sophia encara a possibilidade de um futuro diferente do que tinha imaginado. Um futuro que Luke tem o poder de reescrever... se o segredo que o atormenta não os destruir a ambos. Não muito longe, algures numa estrada escura, um desconhecido está em apuros. Ira Levinson tem 90 anos e acabou de sofrer um acidente de carro. Ao tentar manter-se consciente, Ira sente a presença de Ruth, a sua mulher que morreu há 9 anos, materializar-se a seu lado. Ela encoraja-o a lutar pela vida, relembrando a história de amor que os uniu. Ira sabe que Ruth não pode estar no carro com ele mas agarra-se às suas delicadas memórias, revivendo as tristezas e alegrias que definiram a sua paixão. Ira e Ruth. Sophia e Luke. Dois casais com pouco em comum, cujas vidas vão cruzar-se com uma intensidade inesperada nesta celebração do poder do amor e da memória. Uma viagem extraordinária aos limites mais profundos do coração humano pela mão de Nicholas Sparks.



E hoje decidi obter mais livros, uma vez que ontem não tinha dinheiro comigo. Portanto, comprei estes dois:


Comprei este em versão de livro de bolso, pois nunca mais encontrei na versão normal :\


Sinopse retirada do site da Bertrand: Para salvar a vida da mãe, Clary tem de ir à Cidade de Vidro, o lar ancestral dos Caçadores de Sombras - não a incomoda que a entrada nesta cidade sem autorização seja contra a Lei e que violá-la possa significar a morte. Piorando mais a situação, ela vem a saber que Jace não a quer lá e que Simon foi encarcerado na prisão pelos Caçadores de Sombras que suspeitam de um vampiro que tolera a luz do Sol. Ao tentar descobrir mais pormenores sobre o passado da sua família, Clary encontra um aliado no misterioso Sebastian. Com Valentine a reunir toda a força do seu poder para destruir de uma vez por todas os Caçadores de Sombras, a única possibilidade de estes o derrotarem é combater ao lado dos seus eternos inimigos. Mas podem os Habitantes do Mundo-à-Parte e os Caçadores de Sombras pôr de lado o seu ódio mútuo e aliarem-se? Embora Jace compreenda que está pronto a arriscar tudo por Clary, poderá ela utilizar os seus poderes recentes para ajudar a socorrer a Cidade de Vidro - custe o que custar? O amor é um pecado mortal e os segredos do passado provam ser letais quando Clary e Jace enfrentam Valentine no último volume da trilogia Os Instrumentos Mortais - obra que figura na lista de sucessos literários do New York Times.Caçadores de Sombras é o título da trilogia que começa com A Cidade dos Ossos, com uma fantasia urbana povoada por vampiros, demónios, lobisomens, fadas, e que é um autêntico romance de acção explosiva.

P.S- Como já devem saber, a autora decidiu mais três livros publicados após esta trilogia, que acabam por funcionar como uma segunda trilogia.



E também decidi comprar um livro em inglês, já que pretendo melhorar as minhas capacidades nesta língua tão fundamental nos dias de hoje.


Sinopse retirada do site da Bertrand: Part of Alma Classics Evergreen series at GBP4.99, this edition pictures and section on Bronte's life and works. With characters that are as unforgettable as the story they enact, and a striking use of language that amazed the readers of the day, Jane Eyre ranks among the most influential English novels ever written.


Como podem ver, a minha semana foi muito boa! :p

Warner Bros compra direitos para a adaptação cinematográfica do livro "A Seleção"

22.04.15, Daniela S.
Warner Bros comprou os direitos cinematográficos para o primeiro livro da coleção literária de Kiera Cass, A Seleção. Katie Lovejoy ficará responsável pela adaptação, tendo como produtores Denise DiNovi, Alison Greenspan e Pouya Shahbazian.

No entanto, a própria autora informa, através da sua conta no Twitter, que ainda estão em fase de negociações. Portanto, ainda não há certezas se haverá, de facto, um filme, apesar de a Warner Bros ter adquirido os direitos.

A autora Kiera Cass

O primeiro livro da coleção já vendeu 3.5 milhões de cópias a nível mundial e o sucesso continuou nos outros dois volumes publicados. A editora da coleção, HarperTeen, fez um acordo para a publicação de outros dois livros que darão continuidade à trilogia original.


As capas originais da trilogia The Selection



De seguida, é apresentada a sinopse retirada do site da Bertrand:

Para trinta e cinco raparigas, A Seleção é a oportunidade de uma vida. É a possibilidade de escaparem de um destino que lhes está traçado desde o nascimento, de se perderem num mundo de vestidos cintilantes e joias de valor inestimável e de viverem num palácio e competirem pelo coração do belo Príncipe Maxon.

No entanto, para America Singer, ser selecionada é um pesadelo. Terá de virar as costas ao seu amor secreto por Aspen, que pertence a uma casta abaixo da sua, deixar a sua família para entrar numa competição feroz por uma coroa que não deseja, e viver num palácio constantemente ameaçado pelos ataques violentos dos rebeldes. Mas é então que America conhece o Príncipe Maxon. Pouco a pouco, começa a questionar todos os planos que definiu para si mesma e percebe que a vida com que sempre sonhou pode não ter comparação com o futuro que nunca imaginou. 

35 candidatas. Apenas uma coroa.


O livro foi publicado em Portugal, em 2014, pela Editora Marcador.

A editora portuguesa decidiu manter a capa original

Pág. 1/4