Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Deuses Americanos adaptado para o pequeno ecrã pela Starz


Deuses Americanos, do aclamado autor Neil Gaiman, é um livro que foi publicado em 2001 e que pertence ao género da Fantasia Urbana. Fala-nos de Sombra, um homem que, após a sua saída da prisão, aceitou trabalhar para um estranho, o Sr. Quarta-Feira, que é, na realidade, a encarnação de um deus antigo.  Apesar de os deuses antigos estarem em vias de extinção, estas duas personagens devem reunir o maior número de divindades para se prepararem para o conflito que se aproxima cada vez mais. Por isso, terão muitas surpresas pelo caminho. Deuses Americanos é uma aventura que mistura o mágico e o mundano, o mito e o real. Já foi distinguido com vários prémios, como o Hugo Award, Nebula Award e Bram Stoker Award.


Edição portuguesa de American Gods, publicada pela Editorial Presença.
No início deste ano, foi anunciado que a Starz, um canal televisivo norte-americano, iria desenvolver uma adaptação cinematográfica do romance de Neil Gaiman, contando com Bryan Fuller e Michael Green como os grandes responsáveis pela série. Também serão os produtores executivos e já estão a escrever o guião. Também o próprio autor será o produtor executivo pela FremantleMedia North America.



Este canal norte-americano irá produzir uma adaptação televisiva do romance de Neil Gaiman, Deuses Americanos.

Starz afirma que a produção irá começar imediatamente após a escolha do ator que irá interpretar a personagem principal, Shadow Moon. Esta procura pelo ator certo também será uma forma de o canal espalhar a notícia da preparação da série através das redes sociais. De facto, Starz espera "criar uma série televisiva que honra o livro" e que projeta aquilo que os fãs imaginaram. Deste modo, esta adaptação é uma grande prioridade do canal.


American Gods
Capa original de Deuses Americanos.
Por agora, não há muitas notícias relativamente à adaptação, no geral. Contudo, já foi noticiado que Neil Gaiman terá irá ajudar na escrita do guião. Efetivamente, o autor encontra-se feliz, encantado, mas também nervoso e com "uma bola de gloriosa expetativa". Gaiman afirma que o seu livro está em boas mãos. O escritor está entusiasmado para encontrar os atores para interpretarem os grandes papéis: Shadow (na tradução portuguesa, a personagem chama-se Sombra), Wednesday (na tradução portuguesa, é o Senhor Quarta-Feira) e Laura.
Esta não é a primeira vez que Neil Gaiman escreve guiões. O autor é conhecido por ter escrito dois episódios para uma grande série de ficção científica, Doctor Who.

Neil Gaiman
A fotografia de perfil do autor no Twitter.

Divulgação: Half Wild: Entre o Humano e o Selvagem, de Sally Green (continuação de Half Bad: Entre o Bem e o Mal)






Sinopse retirada do site da Bertrand:

Nathan consegue finalmente escapar do cativeiro. Depois de encontrar o seu pai e de este lhe oferecer um dom poderosíssimo, completando assim os três dons que o confirmam como bruxo adulto, o jovem sabe, contudo, que ainda não se encontra a salvo e que tem de continuar a fugir. Porque de um lado estão os Bruxos Negros que o odeiam e do outro, os Bruxos Brancos que desejam asua captura. No meio deste conflito, Nathan tem de conseguir encontrar o seu amigo Gabriel e resgatar Annalise, a jovem que ama e que está prisioneira do temível bruxo negro, Mercury. Mas para ser bem-sucedido, Nathan sabe que terá de aprender a controlar o seu próprio poder…Half Wild é a continuação do livro Half Bad: Entre o Bem e o Mal, aclamado internacionalmente pela crítica e pelo público.

Divulgação: A Criança Nº44, de Tom Rob Smith





Sinopse retirada do site da Bertrand:

A União Soviética de Estaline é, oficialmente, um paraíso, onde os cidadãos vivem livres do crime e apenas temem uma coisa: o todo-poderoso Estado. Defendendo este sistema, temos o oficial de segurança Leo Demidov, um herói de guerra que acredita no punho de ferro da Lei. 
Mas quando um assassino começa a matar indiscriminadamente e Leo se atreve a investigar, este obediente servidor do Estado dá por si despromovido e exilado. Agora, apenas com a sua mulher ao seu lado, Leo tem de se debater para descobrir verdades chocantes a respeito de um assassino - e de um país onde o crime supostamente não existe.

Capa do novo romance de Nicholas Sparks


Há uns tempos atrás, divulguei que Nicholas Sparks iria publicar mais um romance, que estará disponível nas livrarias norte-americanas a partir do dia 13 de outubro. Chegará às terras lusas em novembro, pela Edições Asa. (link da minha publicação acerca do novo romance de Nicholas Sparks: http://simplesmenteamolivros.blogspot.pt/2015/07/edicoes-asa-anuncia-publicacao-do-novo.html)

It’s Official! New book coming this October…
Manuscrito do novo romance de Nicholas Sparks.
Como podem constatar, o título da nova obra do escritor é See Me (Vê-me, em português) e, na altura da divulgação da grande notícia, Nicholas Sparks ainda não tinha a capa oficial. Porém, na semana passada, o autor publicou um link no qual os fãs poderiam ver duas capas diferentes e, a partir dái, tinham que escolher uma capa para o livro. Sparks indica mesmo que foi a primeira vez que deixou os seus leitores escolherem uma capa para uma obra sua.
Posto isto, aqui estão as capas opcionais:


Opção A.


Esta foi a opção B.

Após milhares de leitores de todo o mundo terem votado, Nicholas Sparks acabou por informar que a nova capa seria a opção B:


Tradução da sinopse do romance: Colin Hancock está a tentar a dar o seu melhor com a sua segunda oportunidade. Com uma história de violência e más decisões e a ameaça de prisão a acompanhar todos os seus passos, ele está determinado em endireitar a sua vida. Para Colin, isso significa aplicar-se única e exclusivamente no seu curso de ensino e evitar tudo o que provou ser destrutivo no seu passado. Lembrando-se diariamente da suas lições, a última coisa que ele está à procura é de um relacionamento sério.

Maria Sanchez, a filha trabalhador de imigrantes mexicanos, é o retrato do sucesso convencional: com uma licenciatura no Duke Law School e um emprego numa empresa de prestígio em Wilmington, ela é uma beldade de cabelo escuro com uma trajetória profissional aparentemente impecável. No entanto, Maria tem uma história traumática que a obrigou a voltar para sua cidade natal, deixando-a questionar muito sobre aquilo em que acreditava.

Um encontro casual numa estrada molhada irá alterar o curso das vidas de Colin e de Maria, desafiando suposições profundamente fixas sobre o outro e, finalmente, sobre eles mesmos. Como o amor apodera-se insperadamente entre eles, Colin e Maria atrevem-se a imaginar acerca de um futuro juntos. . . Até que lembranças ameaçadoras de eventos do passado de Maria começam a aparecer.

Quando um conjunto de incidentes ameaçam provocar caos na vida de Maria, Maria e Colin serão testado em formas cada vez mais aterrorizantes. Serão demónios do seu passado capazes de destruir a relação ténue que eles começaram a construir, ou será que o seu amor irá protegê-los, até mesmo na hora mais escura?

Rico em emoção e repleto de suspense, See Me lembra-nos que o amor às vezes é forjado nas crises que ameaçam destruir-nos. . . e que aqueles que nos veem como realmente somos podem não ser sempre os mais fáceis de reconhecerem a verdade.


Então, quem está ansiosa/o pelo novo livro de Nicholas Sparks? :D

O Diário da Nossa Paixão será uma série televisiva da The CW


O Diário da Nossa Paixão deve ser o romance mais conhecido do autor Nicholas Sparks. Não só o mais conhecido, como também o mais adorado pelos fãs do escritor. Portanto, claro que os leitores adoraram a altura em que houve a adaptação cinematográfica do livro, que contou com Ryan Gosling e Rachel McAdams nos papéis principais.

Rachel McAdams interpretou Allie, uma jovem mulher que sempre viveu num meio abastado. Ryan Gosling foi Noah, que era considerado um péssimo pretendente para Allie por ser mais pobre.


Agora, os fãs ficarão ainda mais contentes com a seguinte notícia: The CW será o canal norte-americano responsável pela adaptação televisiva do romance de Nicholas Sparks. Contarão, também, com a ajuda do próprio autor, que irá escrever o guião.


Nicholas Sparks a promover a adaptação cinematográfica de uma obra sua: The Longest Ride (Uma Vida ao Teu Lado, na versão portuguesa).

O canal norte-americano, num comunicado, divulgou que a série irá seguir o percurso romântico das duas principais personagens, Noah e Allie. A série vai explorar a forma como o seu relacionamento evolui enquanto tentam criar um futuro juntos num cenário pós-Segunda Guerra Mundial cheio de desigualdades económicas, sociais e raciais. A trama terá lugar na Carolina do Norte durante a década de 1940". A versão televisiva deverá estrear-se em 2016, mas ainda não tem elenco confirmado. Todavia, o autor já informou, pelas redes sociais, que irão anunciar mais detalhes acerca da série ao longo do ano.

The CW é um canal norte-americano muito conhecido pelas suas séries viradas para um público mais jovem.

Para quem não sabe a história de O Diário da Nossa Paixão, o livro conta a vida de um casal que se conhece e se apaixona na adolescência, acabando por ser separado pelos pais. Contudo, anos mais tarde, reencontram-se e vivem juntos até ao pós-guerra. O enredo é narrado por um senhor de idade a uma doente de Alzheimer que se encontra num lar de idosos.


Divulgação: Volta para Mim, de Mila Gray


Sinopse retirada do site da Bertrand:

Regressado de uma missão em Cabul, o marine Kit Ryan sente-se perigosamente atraído por Jessa, irmã do seu melhor amigo. Mas Jessa parece ser a única rapariga que ele não pode ter. Kit, porém, não deixa que nada se interponha entre ele e Jessa, e ela rende-se irresistivelmente. O que começou por ser um namoro de verão, em breve se transforma numa relação que altera radicalmente o mundo de ambos. Kit tem de partir de novo, mas está disposto a sacrificar tudo por Jessa. Ela dispõe-se a esperar por Kit, aconteça o que acontecer. No entanto, para além da distância e do tempo, algo mais os separa... Uma história intensa e apaixonante sobre o amor e a amizade.

Opinião: Em Parte Incerta, de Gillian Flynn



Sinopse retirada do site da Bertrand:

Uma manhã de verão no Missouri. Nick e Amy celebram o 5º aniversário de casamento. Enquanto se fazem reservas e embrulham presentes, a bela Amy desaparece. E quando Nick começa a ler o diário da mulher, descobre coisas verdadeiramente inesperadas…
Com a pressão da polícia e dos media, Nick começa a desenrolar um rol de mentiras, falsidades e comportamentos pouco adequados. Ele está evasivo, é verdade, e amargo - mas será mesmo um assassino?
Entretanto, todos os casais da cidade já se perguntam, se conhecem de facto a pessoa que amam. Nick, apoiado pela gémea Margo, assegura que é inocente. A questão é que, se não foi ele, onde está a sua mulher? E o que estaria dentro daquela caixa de prata escondida atrás do armário de Amy?

Com uma escrita incisiva e a sua habitual perspicácia psicológica, Gillian Flynn dá vida a um thriller rápido e muito negro que confirma o seu estatuto de uma das melhores escritoras do género.



Opinião: Caros leitores, estamos perante um livro incrivelmente aterrorizador! Vibrante, tóxico e deslumbrante. Tem todas as qualidades que um thriller psicológico deve apresentar: mexe com a nossa mente de uma forma extremamente alucinante!

Em Parte Incerta foi considerado o livro do Ano (em 2012) pela Publisher Weekly, pela Amazon, pela Barnes & Nobles, tendo sido também o número 1 do top de New York Times. Sinceramente, mereceu todas as belas críticas que lhe foram direcionadas. Gillian Flynn é uma autora muito inteligente: tudo muito bem planeado, não só o enredo, como também a construção das personagens, a pesquisa que realizou em relação à área jurídica. Tudo foi feito de modo meticuloso, detalhado. Gillian Flynn está de parabéns.


Em relação ao enredo, penso que o melhor é mesmo a 2ª e a 3ª partes do livro. A obra está dividida em três partes, de acordo com o desenrolar da ação. A primeira, temos, praticamente, a apresentação das personagens: Nick como um homem arrogante, egocêntrico e impaciente que despreza a sua mulher, afirmando mesmo que já não a ama; Amy como uma mulher inocente, vítima de um homem egoísta e carrancudo, uma mulher que tem medo do seu próprio marido. Depois, temos o desaparecimento de Amy e a polícia e o público a culpa o marido problemático. Até aqui, apesar de a ação se desenrolar com toques interessantes, ainda não estava muito "apaixonada" pela história. No entanto, quando comecei a 2ª parte, a ação ficou logo muito mais interessante, cativante, explosiva. Com a 3ª parte, a leitura tornou-se ainda mais compulsiva e irresistível, tal como tinha acontecido com a 2ª parte. Aliás, é nessas duas partes que conhecemos melhor estas personagens tão peculiares e tóxicas. Acerca do final, penso que a autora conseguiu um fim jeitoso, de modo a satisfazer o leitor, mas também deixando no ar aquela possibilidade de o leitor poder, um dia, ler mais um livro sobre Nick e Amy. Se isso acontecer, vai ser muito interessante, acreditem!

Quanto às personagens, e como tinha dito anteriormente, Nick e Amy são, realmente, pessoas tóxicas, formando um casal infeliz. Ambos têm medo de um e do outro. Ambos desejam ter a sua própria vingança. É verdade que, ao longo do desenrolar da ação, eu estive sempre contra Nick. Sempre. Mesmo sabendo, depois, quem era Amy na realidade. Aí, também fiquei contra ela. Deste modo, acho que a autora não queria que o leitor apenas pensasse que haveria uma personagem angelical e outro diabólica, mas ela elaborou personagens que pudessem mexer com a nossa cabeça. E é por isso que digo que esta obra tem todos os ingredientes que um thriller psicológico deve ter: deve fazer o leitor pensar (e muito!) e refletir acerca dos assuntos retratados. Deve fazer o nosso cérebro mexer, deve fazer o nosso foro psicológico funcionar. E Gillian Flynn conseguiu isso. Apesar de ter ficado contra ambas as personagens, também tive compaixão por elas e refleti sobre a sua situação. Foi uma aventura deveras interessante. As outras personagens, como Margo (irmã de Nick), Andie, Desi, entre outras, também foram elementos fulcrais para o desenvolvimento da história, contribuindo imenso para criar um fantástico thriller psicológico.


Quanto à escrita, a autora tem um discurso fluente, eloquente, magnífico e engenhoso. Flynn tem a escrita ideal para um thriller. Sabe fazer as descrições corretas, sabe transmitir as reviravoltas corretas, tudo numa velocidade alucinante, principalmente, nas duas últimas partes do livro. Uma escrita simples, cativante e arrepiante. Muito arrepiante e hipnotizante. 

Em conclusão, eu pensava que nunca iria gostar de ler um thriller. Já tinha lido um livro ou outro que envolvesse polícias, detetives, tribunais e assassinatos, mas nunca me cativaram porque nunca foram livros surpreendentes. Todavia, Gillian Flynn criou uma obra extraordinária para quem adora thriller, principalmente aqueles que mexem com a nossa cabeça e com o nosso coração. Em Parte Incerta merece todo o louvor que tem recebido ao longo destes anos e ainda bem que teve uma adaptação cinematográfica, pela qual estou entusiasmada por ver, pois também recebeu críticas muito boas. Posto isto, Em Parte Incerta foi uma leitura explosiva, surpreendente, com reviravoltas impressionantes, personagens credíveis e extraordinariamente reais e um enredo bem estruturado e fascinante, fazendo-nos refletir muito, fazendo-nos colocar a seguinte questão: Conhecemos, de facto, as pessoas que amamos?

Classificação: 10/10 estrelas

Divulgação: Um Momento Meu, de Paulo Caiado


Sinopse retirada do site da Bertrand:

Amigos desde sempre, Lucas, Marcos, Mateus e João chegaram à casa dos 40, com tudo o que isto tem de bom e de menos bom: a maturidade e a experiência, mas também a insegurança em relação às decisões a tomar para o futuro e a angústia quanto à aproximação dos 50.
Este romance é, quase na íntegra, narrado por Lucas, o personagem que, no fundo, reúne um pouco de todas as características dos quatro amigos: a costela marialva de Marcos, a introspecção de Mateus e a objectividade de João. Com grande sensibilidade e franqueza, Lucas descreve as suas vivências e as do seu grupo de amigos e amigas, questionando-se e questionando-as. 
Um Momento Meu relata com genuinidade o passado e o presente de homens e mulheres nascidos nos anos 1960 que, a caminho do meio século de existência, ainda buscam para o seu futuro a felicidade plena ou, pelo menos, um equilíbrio entre a rotina e momentos felizes. É o retrato de uma geração que irá trazer recordações e provocar e lágrimas a todos aqueles que a ela pertencem.

Autores de Young-Adults inspirados pela trilogia de Suzanne Collins


As adaptações cinematográficas d' Os Jogos da Fome são muito conhecidas internacionalmente. Excelente elenco, maravilhosos efeitos especiais e cenários, uma história bem contada. No entanto, nada disto teria acontecido sem a trilogia de Suzanne Collins, claro. 

A trilogia foi publicada em Portugal pela Editorial Presença.


Esta trilogia insere-se no género da Ficção Científica, uma vez que se trata de uma distopia. Os Jogos da Fome são livros muito falados pelo mundo inteiro, uma vez que aborda temas interessantes e atuais, como a liberdade e a opressão, o amor e a amizade, o poder e a censura, de uma forma extremamente brilhante. Suzanne Collins, de facto, fez um fantástico trabalho ao escrever a sua trilogia. Deste modo, claro que os seus livros acabam por ser uma inspiração, não só para leitores, mas também para escritores:


Rae Carson, autora de The Girl of Fire and Thorns, afirma que a trilogia de Suzanne Collins foi escrita para "um público mais jovem, mas não deixa de apresentar um retrato corajoso das consequências das guerras". Inspirou-a a "honrar os sacrifícios dos amigos e da família que são veteranos de guerra", permitindo-a explorar os efeitos da violência nos seus livros.

The Girl of Fire and Thorns é o primeiro livro da trilogia Fire and Thorns. Foi publicado em 2011, nos EUA, e insere-se no género da Fantasia.

Lindsay Cummings, autora de O Complexo dos Assassinos (publicado em 2015, em Portugal, pela editora Saída de Emergência), comenta que Os Jogos da Fome mostraram-lhe a "importância da bravura e que é possível desafiar as probabilidades". Aliás, Suzanne Collins foi a sua inspiração na sua ingressão no mundo editorial aos 18 anos.

Edição portuguesa de The Murder Complex, de Lindsay Cummings.


Para ler sobre outros autores que se sentiram inspirados pela trilogia de Suzanne Collins, clique neste link (o artigo está em inglês): http://www.mtv.com/news/2235077/suzanne-collins-birthday-hunger-games-tribute/?xrs=_s.fb_main

Divulgação: História de Duas Cidades, de Charles Dickens


Sinopse retirada do site da Bertrand:

Ao fim de dezoito anos de prisão na Bastilha como prisioneiro político, o envelhecido Dr. Manette é libertado e parte para a Inglaterra, onde volta a encontrar a filha. Aí, dois homens, Charles Darnay, um aristocrata francês exilado, e Sydney Carton, um advogado brilhante mas de má reputação, apaixonam-se por Lucie Manette. Das ruas pacíficas de Londres, são levados para a Paris do Reino do Terror, onde a sombra fatal da guilhotina abarca tudo e todos.