Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Biblioteca da Daniela

A Biblioteca da Daniela

A Chamada é o primeiro livro da coleção Endgame, de James Frey e Nils Johnson-Shelton. Chegou às prateleiras norte-americanas no dia 4 de outubro de 2014, tendo sido publicado em Portugal, pela Editorial Presença, em dezembro (se não estou em erro). 

Aqui está a sinopse de A Chamada (retirada do site da Bertrand):

Eles chegaram à Terra há 12 mil anos. Vieram dos céus e criaram a humanidade. Quando se foram embora deixaram um aviso: um dia iriam voltar... E quando voltassem, teria início o grande jogo, o Endgame. Ao longo de dez mil anos, as doze linhagens originais existiram em segredo, mantendo sempre, cada uma delas, um jogador preparado para entrar em ação a qualquer momento. O Endgame era sempre uma possibilidade, mas agora que eles voltaram, tornou-se uma realidade, e os doze jovens jogadores estão a postos para entrarem no grande jogo que decidirá o futuro do planeta e da humanidade. Só um pode vencer. Só a linhagem do vencedor será salva. Vence quem encontrar primeiro as três chaves escondidas algures na Terra. E é sobre a busca da primeira chave que se centra este primeiro livro da série. 

Endgame não é apenas um livro. Endgame é uma experiência multimédia a nível mundial inovadora, que inclui um jogo revolucionário construído pela Niantic Labs (Google) através da qual é possível jogar uma versão do Endgame no mundo real. No fim, há um prémio para o primeiro a conseguir resolver o puzzle oculto no livro: meio milhão de dólares em ouro.




A capa portuguesa é idêntica à capa original.

Dei 10/10 estrelas a este livro, uma vez que adoro livros de ficção científica. Além disso, tem outro "ingredientes" que me fizeram dar esta classificação: escrita simples e bastante cinematográfica; repleto de ação e mistério; personagens diversificadas. Para saberem mais sobre a minha opinião, basta clicar aqui.


Como adorei A Chamada, tentar ficar atenta em relação à publicação do segundo livro. Efetivamente, nas férias de verão, descobri que a continuação, que tem como título Sky Key, chegaria às estantes norte-americanas no dia 6 de outubro de 2015. Antes da publicação, divulgaram, nas redes sociais, a capa:



Sky Key (Endgame, #2)


Ontem, ao olhar para a minha estante (algo que faço muitas vezes, claro!), vi A Chamada e pensei: "Bem, já saiu a continuação. Será que também vai ser publicada cá em Portugal?" Posto isto, perguntei à Editorial Presença, no Twitter, se iriam publicar o segundo livro.

Hoje, fiz login à minha conta no Twitter e deparei-me com notificações da Editorial Presença. Cliquei e vi que era a resposta que eu tanto esperava:



@DanielaMS19 olhe o que temos aqui, pronto a sair dia 21/10 😜 pic.twitter.com/bRFHfkJenk


Como ainda não há uma sinopse oficial (pelo menos, não encontrei), aqui está uma traduzida por mim (certos termos podem não ser os que se encontram na edição de A Chamada da Editorial Presença):

Endgame está aqui. A Chave da Terra foi encontrada. Duas Chaves- e nove Jogadores- permanecem. As chaves devem ser encontradas e apenas um Jogador pode ganhar.

Queens, Nova Iorque. Aisling Kopp acredita no impensável: que Endgame pode ser travado. Mas antes de ela chegar a casa para reagrupar, ela é abordada pela CIA. Eles sabem sobre Endgame. E eles têm as suas próprias ideias sobre como ele deve ser Jogado. Ideias que poderiam mudar tudo.

Reino de Aksum, Etiópia. Hilal ibn Isa al-Salt por pouco sobreviveu ao ataque que o deixou horrivelmente desfigurado. Ele agora sabe algo que os outros Jogadores não sabem. Mas os Aksumitas (?) têm um segredo que é único na sua linhagem. Um segredo que pode ajudar a redimir a humanidade- e talvez até pode ser usado para ajudar a derrotar os seres por trás de Endgame.

Londres, Inglaterra. Sarah Alopay encontrou a primeira chave. Ela está com Jago- e eles estão a ganhar. Mas foi um grande custo, para Sarah, ter a Chave da Terra. A única coisa que mantém os demónios afastados é Jogar.

Chave do Céu- onde quer que ela esteja, o que quer que ela seja- é a próxima. E os restantes Jogadores não irão parar por nada para a terem.




A Chave do Céu, continuação de A Chamada, chegará às livrarias portuguesas no dia 21 de outubro!
A coleção The Selection (em português, A Seleção), de Kiera Cass, tem feito muito sucesso entre os leitores mais jovens espalhados pelo mundo. Em Portugal, os três primeiros livros já foram publicados pela Editorial Presença (na realidade, pela chancela Marcador Editora) e têm conquistado muitos portugueses (jovens e adultos)!

A Marcador Editora manteve as capas originais, que são muito bonitas!

Para quem não sabe, A Seleção é uma coleção de cinco livros, sendo que os primeiros três falam de America Singer, que é umas das participantes do concurso que servirá para escolher a pretendente para o futuro rei de Illéa, o príncipe Maxon. No entanto, antes de participar no concurso, America já tinha namorado, o guarda Aspen. Portanto, para além de nos ser apresentado um mundo distópico, também estamos perante um triângulo amoroso. É no terceiro livro, The One (na edição portuguesa, A Escolha) que o leitor irá saber qual será a escolha de America.

Em relação ao quarto livro, The Heir (em português, algo como A Herdeira) passa-se vinte anos depois do concurso do Príncipe Maxon. Não poderei contar mais sobre este romance, uma vez que contém spoilers fulcrais relacionados com os livros anteriores.



The Heir (The Selection, #4)
Tal como o que tinha acontecido com as capas anteriores, os leitores adoraram o design do quarto livro.

Na semana passada, foi divulgado o título do quinto e último livro da coleção, sendo, então, a continuação do quarto livro, bem como o desfecho para os restantes livros. O título será The Crown (em português, A Coroa) e estará nas estantes norte-americanas no dia 3 de maio de 2016. A capa e a sinopse serão divulgadas em breve.



O anúncio foi feito nas redes sociais de Epic Reads, uma comunidade digital criada pela editora HarperCollins para que os leitores tenham um contacto mais direto com os autores publicados pela HarperTeen.
Para quem anda sempre a par das novidades literárias divulgadas na Internet, conhecerão esta obra como All The Bright Places. Sim, o romance de Jennifer Niven finalmente chegou a Portugal, graças a uma nova editora, Nuvem de Tinta. Chegou às prateleiras portuguesas no dia 7 de outubro!

Sinopse retirada do site da Bertrand:

Violet Markey vive para o futuro e conta os dias que faltam para acabar a escola e poder fugir da cidade onde mora e da dor que a consome pela morte da irmã. Theodore Finch é o rapaz estranho da escola, obcecado com a própria morte, em sofrimento com uma depressão profunda. Uma lição de vida comovente sobre uma rapariga que aprende a viver graças a um rapaz que quer morrer. Uma história de amor redentora.



Capa original da obra.

Gosto muito da capa americana, mas a capa portuguesa é adorável! Gostaria de comprar edição portuguesa!
Magnus Bane, uma das personagens mais fascinantes dos livros de Cassandra Clare, é muito adorado pelos fãs da coleção Caçadores de Sombras. Portanto, foi com muito agrado que os fãs, no dia 14 de novembro de 2014 (dia do lançamento), foram a "correr" comprar o livro de contos sobre o seu feiticeiro preferido.


Por cá, as coleções de Cassandra Clare já foram todas publicadas pela editora Planeta (a coleção Caçadores de Sombras e a trilogia Caçadores de Sombras- As Origens), que decidiu manter as capas originais. Agora, é a vez de ser publicado o livro sobre a vida do magnífico feiticeiro de Nova Iorque.


A editora Planeta decidiu manter a capa original, tal como tinha feito nas coleções anteriores.

Esta notícia foi divulgada no Facebook, indicando que os fãs de Cassandra Clare "poderão deliciar-se com As Crónicas de Bane, um livro com onze contos -um deles inédito- escritos em co-autoria com Sarah Rees Brennan e Maureen Johnson". 
Chegará às livrarias portuguesas no dia 11 de novembro.






Há, ainda, uma outra novidade para os leitores que adoraram a escrita de Cassandra Clare: já tinha sido anunciado que a autora iria publicar uma nova trilogia, The Dark Artifices (algo como Os Artifícios Obscuros): o primeiro livro terá como título Lady Midnight (A Senhora da Meia-Noite), sendo o segundo intitulado de Lord of Shadows (O Senhor das Sombras) e o terceiro será The Queen of Air and Darkness (A Rainha do Ar e da Escuridão). 


TDAtemp
A nova trilogia de Cassandra Clare centra-se numa personagem que aparece na segunda metade da coleção Caçadores de Sombras, Emma Carstairs.

A novidade consiste, portanto, na divulgação da capa do primeiro livro, que dá realce à personagem principal da trilogia, Emma Carstairs.


LM cover
Os fãs adoraram a capa do primeiro livro da nova trilogia da autora.


A capa foi divulgada por Harry Shums Jr., que foi à sessão da autora não só para apresentar a capa, mas também para responder às questões dos fãs em relação à série televisiva baseada na coleção Caçadores de Sombras.


Shadowhunters - [LIVE] Cassandra Clare Q&A At New York Comic Con - 976
Harry Shum Jr. adorou a experiência.

Lady Midnight, o primeiro livro da trilogia The Dark Artifices,  narra a vida de Emma Carstairs, uma jovem Caçadora de Sombras que se encontra em Los Angeles e que, após a perda dos pais, dedica a sua vida à erradicação dos demónios e à caça das pessoas responsáveis pela morte dos seus pais.
O livro será lançado no dia 8 de março de 2016.
New York Comic Con é um evento dedicado a fãs de livros de banda desenhada, séries televisivas, filmes e livros (principalmente os de Fantasia e os de Ficção Científica) que decorre durante quatro dias, em Nova Iorque. O evento teve o seu início no dia 8 de outubro, sendo hoje, dia 11, o último dia para os fãs terem livros autografados, colocarem questões aos seus escritores e autores favoritos, entre outras atividades.

New York Comic Con é um evento que dura quatro dias e que é dedicado a livros de banda desenhada, romances gráficos, anime, manga, jogos de vídeo, filmes e televisão.


Foi também esta semana que o elenco de Shadowhunters (série televisiva baseada na coleção Caçadores de Sombras, de Cassandra Clare) finalizou as filmagens da primeira temporada. Posto isto, os produtores, os realizadores e os atores, em conjunto com Cassandra Clare, aproveitaram este evento extraordinário para divulgarem alguns vídeos essenciais para os fãs, que também tiveram a possibilidade de ter autógrafos do elenco e da autora, assim como tirar fotos com eles e ver os adereços mais importantes da série.

Shadowhunters - Friday Live Blog: Shadowhunters at New York Comic Con - 1002
Puderam ver, por exemplo, o chicote de Isabelle Lightwood, uma das personagens dos livros e da série.


Shadowhunters - Saturday Live Blog: Shadowhunters at New York Comic Con - 957
Foram atribuídos cartazes aos fãs para que fossem assinados pelos atores e pela escritora da coleção.


Shadowhunters - Saturday Live Blog: Shadowhunters at New York Comic Con - 959
Um dos adereços que os fãs mais gostaram de ver foi o placar de néon do bar Pandemonium, um local muito importante nos primeiro livros da coleção de Cassandra Clare. Até os atores tiraram alguns retratos perto do placar!

Shadowhunters - [EXCLUSIVE PHOTOS] Introducing The Tarot Cards - 1001
As cartas de Tarot são essenciais no primeiro livro de Caçadores de Sombras e, claro, estão presentes na série!


Como referi acima, foram divulgados três vídeos, como o primeiro trailer da série, que é basicamente um pequeno resumo da primeira temporada de Shadowhunters:



Além disso, os produtores, com o elenco, durante uma sessão aberta para os fãs, também mostraram os primeiros seis minutos do primeiro episódio da série. Abaixo, poderão ver os vídeos (os seis minutos foram apresentados em dois vídeos diferentes):


E os nossos queridos Caçadores de Sombras estão com um ar muito badass, não acham?




Os fãs que estiveram presentes no evento adoraram estas pequenas surpresas. Todavia, nas redes sociais, houve muitas pessoas que mostraram o seu desagrado em relação aos atores e aos efeitos especiais. Pelos vistos, não gostaram de algumas atuações, acharam que os diálogos soaram um pouco forçados e que os efeitos especiais ficaram um pouco mal feitos. Já muitos dizem que estão desapontados com o trabalho feito e já querem desistir da série. No entanto, eu tenho um pensamento mais positivo e acredito que a série vai ser muito interessante! Aliás, muitos fãs estão ansiosos por verem as mudanças efetuadas pelos argumentistas.

Shadowhunters - Shadowhunters Q&A At New York Comic Con - 1992
Katherine McNamara, como Clary, num dos vídeos exibidos no evento.

Para além destes pequenos vídeos, foi também anunciado que a série irá estrear, nos EUA, no dia 12 de janeiro de 2016, na ABC Family (em breve, Freeform), canal responsável pela série.


Shadowhunters - Shadowhunters Q&A At New York Comic Con - 1994
Dominic Sherwood, como Jace Wayland, e Emeraude Toubia, como Isabelle Lightwood, num dos vídeos que os fãs viram durante a sessão.

Durante a sua passagem pelo New York Comic Con, o elenco fez várias entrevistas, nas quais falaram sobre a própria série, as diferenças entre a adaptação televisiva e os livros de Cassandra Clare, as personagens, entre outros assuntos. Contudo, deram mais importante às diferenças presentes na série em comparação com a coleção Caçadores de Sombras.


O elenco concorda com as mudanças realizadas no enredo, uma vez que a série não teria elementos surpreendentes para os fãs dos livros. Eles estão entusiasmados e ansiosos por saberem se os fãs irão gostar das modificações, pois são interessantes e exploram mais o mundo criado por Cassandra Clare, não estando restrito apenas ao que é narrado nos livros. Aliás, a primeira temporada não estará apenas centrada no primeiro livro da coleção. Também afirmaram que as relações entre as personagens são muito bem exploradas na série.


Shadowhunters - Shadowhunters Q&A At New York Comic Con - 1943
O elenco, o produtor McG (atrás da escritora), Cassandra Clare e uma fã posaram para uma fotografia após a sessão com os fãs.

Shadowhunters, com estreia marcada para o dia 12 de janeiro de 2016 (terça-feira), contará o percurso de Clary Fray (interpretada por Katherine McNamara) que, depois do desaparecimento da mãe, descobre que é uma Caçadora de Sombras (metade humana, metade anjo). Com Jace, Isabelle, Alec, e com o seu melhor amigo, Simon, e o feiticeiro de Nova Iorque, Magnus Bane, Clary irá enfrentar o mal e os demónios espalhados pela cidade, como também irá lutar para encontrar a sua mãe.
Após o estrondoso sucesso internacional de Vai e Põe uma Sentinela (Go Set a Watchman, na versão original), de Harper Lee, a Editorial Presença decidiu traduzir o livro que conta o reencontro do pai e da filha que os leitores puderam conhecer no clássico To Kill a Mockingbird (em Portugal, como teve várias edições de editoras diferentes, também teve títulos distintos: Mataram a Cotovia e Matar a Cotovia são duas delas).


No dia 1 de outubro, a Editorial Presença publicou esta fotografia na sua página oficial no Facebook.


Chicago Tribune descreveu-o como "uma obra de arte" que merece o estatuto de besteller que alcançou em vários países. O leitor reencontra Jean Louise Finch (Scout), que decidiu partir de Nova Iorque para visitar o pai, Atticus, no Alabama. Nos meados dos anos 50, a nação enfrenta vários problemas raciais e é neste ambiente que Jean Louise desvenda segredos perturbadores sobre a sua família, a cidade e as pessoas de quem mais gosta. A partir daí, questiona-se sobre os seus valores e princípios, sendo levada a encarar problemas pessoais e políticos.


A edição portuguesa de Go Set a Watchman, de Harper Lee. Tem 240 e custa 15 euros e 21, se for encomendado através do site da Bertrand. 



Antes de publicar To Kill a Mockingbird, Haper Lee tinha escrito Vai e Põe uma Sentinela, mas a sua editora estava mais interessada na infância da personagem principal. Assim, Harper Lee decidiu escrever o romance que viria a tornar-se num dos clássicos mais aclamados na literatura norte-americana. 
Desde a publicação de Mataram a Cotovia, pensava-se que o manuscrito de Go Set a Watchman tinha desaparecido, mas foi encontrado em 2014, tendo sido finalmente publicado este ano. 
O livro chegará às prateleiras portuguesas no dia 21 de outubro.


Em 1960, Harper Lee viu To Kill a Mockingbird a ser publicado. No ano seguinte, o seu romance ganhou o Prémio Pulitzer de Ficção.
A coleção Harry Potter, de J.K. Rowling, já teve várias edições com capas extremamente bonitas e apelativas. Desta vez, Pottermore (site focado nas partes desconhecidas da história do mundo mágico de Harry Potter; criado pela autora, em parceria com Sony, o site contém imensas páginas de textos que nunca chegaram a ser publicados, tendo também acesso a descontos em e-books e audiobooks da coleção) e a empresa norte-americana Apple juntaram-se para realizar um projeto que irá deixar os fãs muito contentes: publicar e-books com mais de 200 adições para tornarem a série (ainda) mais mágica.



Os e-books estarão disponíveis para quem tenha aparelhos com iOS.



Os e-books estarão disponíveis para quem tenha o sistema iOS, o que significa que estes leitores terão acesso aos romances, que mantêm o texto original competo, mas com adições fantásticas: animações interativas, desenhos e anotações escritas pela própria J.K. Rowling. Assim, o leitor poderá ver as personagens em ação, bem como os "bastidores" do processo criativo da "rainha" J.K. Rowling.

Páginas do novo e-book de Harry Potter e a Pedra Filosofal.


Um executivo da Pottermore explicou que o leitor terá uma experiência magnífica com os novos e-books, uma vez que é "apropriado permitir ao leitor ver o mundo mágico" tal como está descrito nas passagens onde haverá as tais imagens interativas. Por isso, foi complicado escolher as cenas certas para serem representadas em animações.







Mas há mais uma novidade para os Potterheads (fãs da coleção e dos livros de Harry Potter): no passado dia 6 de outubro, foi lançada uma edição ilustrada do primeiro livro, Harry Potter e a Pedra Filosofal.

Edição ilustrada de Harry Potter e a Pedra Filosofal (imagem retirada do site de Bloomsbury Children).

Esta nova edição foi ilustrada por Jim Kay e publicada pela Bloomsbury Children. Contém 256 pages repletas de ilustrações belas e cheias de cores magníficas, como podem ver nas seguintes imagens:

Link permanente da imagem incorporada
Uma ilustração da Hermione Granger. Jim Kay confessou que a sua inspiração para esta ilustração foi a sua sobrinha que, tal como Hermione, é uma menina muito estudiosa e que adora "reprimir" o seu tio.




Albus Dumbledore illustrated by Jim Kay
Uma ilustração de Albus Dumbledore. Desta vez, o ilustrador inspirou-se num amigo que vive no outro lado do mundo, um amigo simpático que o ajudou nas ilustrações do grande feiticeiro, posando para Kay. O próprio ilustrador chegou a vestir um manto roxo e posava-se perante o espelho quando estava a desenhar Dumbledore.



Hagrid illustration by Jim Kay
Uma ilustração de Hagrid, o guarda dos campos de Hogwarts e um grande amigo de Harry Potter. O desenho foi inspirado num grande homem que o ilustrador tinha visto, uma vez, na cidade. Era grande, velho e tinha bardas, e tinha uma t-shirt de uma banda de heavy metal. Jim Kay confessa que ele tinha um ar assustador mas, na realidade, era um homem carinhoso. Tal como Hagrid.





Jim Kay foi entrevistado por um correspondente do site Pottermore. Para lerem a entrevista completa, em inglês, disponibilizo o link: https://www.pottermore.com/features/jim-kay-interview-with-pottermore-correspondent-illustrated-edition

Para verem mais imagens da edição ilustrada, basta clicar neste link, que vai diretamente ao site da editora do livro de ilustrações: http://www.harrypotter.bloomsbury.com/uk/harry-potter-and-the-philosophers-stone-9781408845646/

Se quiserem comprar o livro do ilustrador Jim Kay, podem recorrer a este site, a partir do qual não precisam de pagar os transportes, apenas o produto que desejam comprar: http://www.bookdepository.com/Harry-Potter-Philosophers-Stone-J-K-Rowling/9781408845646


Harry Potter ilustrado por Jim Kay.
O Prémio Nobel da Literatura é considerado o mais importante galardão que qualquer autor pode receber. O galardão já foi concedido a 112 escritores (incluindo a vencedora deste ano) e foi pela primeira vez atribuído em 1901, ao escritor francês Sully Prudhomme. No ano passado, o vencedor foi Patrick Modiano, também de nacionalidade francesa. Muitas das suas obras encontram-se publicadas no nosso país graças à Porto Editora.





Hoje, dia 8 de outubro, a Academia Sueca, responsável pela escolha e pela divulgação do laureado, decidiu distinguir a escritora bielorrussa Svetlana Alexievich, sendo a 14ª mulher a receber o galardão. A Academia anunciou que a autora apresenta uma escrita "polifónica, um monumento ao sofrimento e à coragem no nosso tempo". Irá, então, receber o prémio monetário de oito milhões de coroas suecas (cerca de 860.000 euros).

Link permanente da imagem incorporada
A Academia Sueca publicou esta imagem na sua conta oficial do Twitter, a fim de anunciar a vencedora do Prémio Nobel de Literatura de 2015: Svetlana Alexievich.



A nova secretária da Academia Sueca, Sara Danius, indicou que a autora bielorrussa esteve "ocupada nos últimos trinta ou quarenta anos a mapear o indivíduo [do período] pós-soviético". A seguir, afirmou que "não se trata de uma história sobre acontecimentos, mas sobre emoções."


Andrei Zorin, professor de russo na Universidade de Oxford, apoia a decisão da Academia Sueca, uma vez que esta atribuição "é uma forte tomada de posição moral e literária, que defende os valores da vida humana em tempos de militarismo triunfante, e a dignidade pessoal dos que enfrentam ditaduras arrogantes".


O Prémio Nobel da Literatura foi atribuído à escritora bielorrussa, Svetlana Alexievich.



Svetlana Alexievich nasceu a 31 de maio de 1948, na Ucrânia. Cresceu na Bielorrússia, onde estudou Jornalismo, e, atualmente, é uma conceituada escritora e jornalista. Os seus livros estão traduzidos em 22 línguas, tendo, alguns, sido adaptados a peças de teatro e documentários. Antes do Prémio Nobel da Literatura, Alexievich já tinha recebido grandes prémios internacionais, como o Erich Maria Remarque Peace Prize, em 2001, e o National Book Critics Circle Award, em 2006. Em 2013, recebeu o Prémio Médicis Ensaio graças ao livro O Fim do Homem Vermelho, que foi também considerado o Melhor Livro do Ano pela revista Lire.





Em Portugal, já foi publicado, este ano, pela Porto Editora o livro O fim do homem soviético- um tempo de desencanto. Após o anúncio da Academia Sueca, a Topseller, editora portuguesa, informou que a sua chancela, Elsinore, irá editar, em breve, o novo livro da vencedora do Nobel da Literatura, Vozes de Chernobyl (título ainda provisório), uma obra de não ficção que assinalará os 30 anos do desastre nuclear de Chernobyl.



Este livro foi editado este ano, pela Porto Editora
A sua sinopse foi retirada do site da editora portuguesa:

Volvidas mais de duas décadas sobre a desagregação da URSS, que permitiu aos russos descobrir o mundo e ao mundo descobrir os russos, e após um breve período de enamoramento, o final feliz tão aguardado pela história mundial tem vindo a ser sucessivamente adiado. O mundo parece voltar ao tempo da Guerra Fria.
Enquanto no Ocidente ainda se recorda a era Gorbatchov com alguma simpatia, na Rússia há quem procure esquecer esse período e o designe por a Catástrofe Russa. E, desde então, emergiu uma nova geração de russos, que anseia pela grandiosidade de outrora, ao mesmo tempo que exalta Estaline como um grande homem.
Com uma acuidade e uma atenção únicas, Svetlana Aleksievitch reinventa neste magnífico requiem uma forma polifónica singular, dando voz a centenas de testemunhas, os humilhados e ofendidos, os desiludidos, o homem e a mulher pós-soviéticos, para assim manter viva a memória da tragédia da URSS e narrar a pequena história que está por trás de uma grande utopia.
No início de 2015, a ABC Family (o canal norte-americano, em breve, irá assumir um novo nome: Freeform) anunciou que iria adaptar, para o pequeno ecrã, a coleção de Cassandra Clare, Caçadores de Sombras, que conta com 6 livros. A série terá como título Shadowhunters (Caçadores de Sombras), apesar de o título original da coleção ser The Mortal Instruments (Os Instrumentos Mortais).
Mal foram divulgados os atores principais do elenco, começaram as filmagens no dia 25 de maio. Neste momento, estão a finalizar o décimo terceiro episódio, para que a série seja transmitida a partir de janeiro de 2016.


Shadowhunters é a adaptação televisiva da coleção Caçadores de Sombras, de Cassandra Clare.

Ao longo dos meses das filmagens, o elenco e a restante equipa divulgaram várias imagens dos cenários e dos próprios atores a encarnarem as personagens. Deste modo, a ansiedade dos fãs dos livros foi aumentando, até que, hoje, foi publicado, no Snapchat, um pequeno vídeo promocional da série:

allowfullscreen>
A 5ª Vaga (editada, em Portugal, pela Editorial Presença), de Rick Yancey, é uma trilogia de ficção científica, na qual o planeta Terra é invadido por extraterrestres e devastado por cinco vagas: na primeira, as luzes apagaram-se; na segunda, houve ondas altas; na terceira, apareceu a pestilência; na quarta, apareceu o Silenciador; na quinta... Não posso dizer, pois é o assunto principal do primeiro livro da trilogia.
A edição portuguesa de The 5th Wave.


Ao longo do primeiro livro, acompanhamos a missão de Cassie Sullivan, uma rapariga de 16 anos, que tenta salvar o seu irmão mais novo. Ao mesmo tempo, lidamos com as desconfianças de Ben Parish ao deparar-se num complexo militar.
A Quinta Vaga ganhou uma adaptação cinematográfica, que irá estrear em janeiro de 2016. Podem ver, abaixo, um dos trailers do filme:



O segundo livro, O Mar Infinito, já se encontra nas livrarias portuguesas desde o dia 16 de agosto de 2015. Nesta sequela, Cassie junta-se a outros jovens, mas têm uma escolha a fazer: deixar passar o duro inverno ou ir à procura de outros sobreviventes antes que o inimigo se aproxime demasiado.

A edição portuguesa do segundo livro da trilogia, The Infinite Sea.

Hoje, a USA Today, um jornal diário norte-americano, divulgou, no seu site, a capa do último livro da trilogia, The Last Star (algo como A Última Estrela). O último romance começará com a perspetiva de uma das personagens secundárias, Ringer, que conseguiu fugir dos Outros.


O autor destacou a personagem presente na capa, Cassie Sullivan, indicando que esta, bem como as outras personagens, enfrenta um futuro obscuro e incerto.


Na entrevista realizada pela USA Today, Yancey afirma que haverá um desfecho concreto para todas as personagens e que nem todas estão a salvo.
The Last Star chegará às livrarias norte-americanas no dia 24 maio de 2016.




O primeiro livro da trilogia de Rick Yancey, A Quinta Vaga, foi considerado, em 2013, "um dos melhores livros para Jovens Adultos.