Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Biblioteca da Daniela

A Biblioteca da Daniela

Opinião: City of Ghosts (Cassidy Blake #1), de Victoria Schwab

28.09.20, Daniela S.



City of Ghosts, de Victoria Schwab, é o primeiro volume de uma trilogia infantojuvenil sobrenatural. A protagonista, Cassidy Blake, um dia, quase morreu por afogamento, mas foi salva por um fantasma, Jacob, que acabou por se tornar num amigo dela. Desde então, Cassidy consegue ver fantasmas. Essa nova habilidade complica a vida de Cassidy nos próximos tempos, pois os pais dela aceitaram fazer um programa televisivo sobre cidades fantasmagóricas. A primeira paragem é Edimburgo, a capital escocesa conhecida como Cidade dos Fantasmas. Que experiências Cassidy e Jacob irão ter nesta cidade nebulosa com uma arquitetura bela, mas sombria?


Victoria Schwab (ou V. E. Schwab) é conhecida pelas histórias de Fantasia escritas para um público mais velho. Já não é a primeira vez que ela escreve livros para um público juvenil, mas foi com City of Ghosts que muitos fãs de outros livros da autora conheceram uma nova faceta dela, a de também saber criar histórias para os mais novos. E que bela história que temos aqui!


Schwab é genial nas suas histórias mais adultas. A maneira como ela nos faz conhecer as suas personagens complexas e querer criar ligações com elas prova a sua mestria em formar personagens interessantes que enriquecem a história. Em City of Ghosts, nós também temos personagens com personalidades muito diferentes e também queremos conhecê-las, mas o foco não está tanto nas personagens, mas sim nas aventuras delas. Portanto, este livro prova uma outra habilidade de Schwab, a de saber inventar peripécias entusiasmantes. Também ajuda o facto de a escrita dela, neste livro, ser muito mais direta e simples do que n'Uma Magia Mais Escura, por exemplo.


Capa da edição francesa.
Fonte.


Como disse, o enredo é rico em aventuras. A ação nunca tem momentos "mortos". Há sempre algo a acontecer, há sempre uma descoberta a fazer, há sempre um problema por resolver. É, portanto, uma história envolvente que sempre nos dá mais alguma coisa e nunca nos deixa frustrados ou aborrecidos. Também ajuda o facto de a ação ser baseada numa viagem. As crianças gostam de conhecer coisas novas e conhecer um lugar como Edimburgo deve ser delirante, principalmente para aquelas que, através deste livro, imaginam esse espaço como algo sombrio, misterioso e ideal para aventuras e para fazer a sua imaginação trabalhar.


Quanto às personagens, foram muito bem construídas e penso que são ideais e suficientemente fascinantes para o público-alvo da história. Quando somos crianças, imaginamos muitas coisas e inventamos as nossas próprias aventuras nas nossas cabeças. Como seria enfrentar um fantasma sem a ajuda dos pais, por exemplo? Como seria ter um fantasma como amigo? 
E Cassidy Blake passa exatamente por essas aventuras que tanto imaginamos, mas, ao acompanharmos Cassidy, já não estamos apenas a imaginá-las, já que até parece que estamos mesmo a vivê-las.
Cassidy não é muito ingénua e é muito independente, mas, claro, não deixa de ser uma menina de 12 anos. Cassidy adora livros cheios de aventuras e magia e gosta de tirar fotografias, tendo a sua máquina fotográfica antiga sempre consigo. Ela consegue ver fantasmas e gosta de fantasmas que são como Jacob, simpáticos e bons, mas é-lhe difícil ter de enfrentar espíritos malignos, como a Raven in Red, uma mulher que, enquanto fantasma, tenta roubar o fio da vida das crianças, incluindo o da Cassidy. Além disso, como alguém que está entre os dois mundos, Cassidy tem a missão de enviar as almas para além do Véu, o lugar que separa os mortos dos vivos. Assim, Cassidy tem de fazer muitas coisas que uma criança de 12 anos normal nunca faria. Isso também torna esta personagem muito interessante, pois as crianças gostam de imaginar que têm poderes e que conseguem enfrentar coisas assustadoras e Cassidy vive os sonhos dessas crianças.
Jacob é um fantasma que é amigo de Cassidy e, já aí, é uma personagem muito intrigante. Quem não gostaria de ter um fantasma bonzinho e divertido como amigo? Além disso, o facto de ele ser um fantasma é como uma forma de falar sobre algo que é muito comum entre as crianças, isto é, os amigos imaginários. Foi um bom toque da parte da autora em ter um fantasma como um grande amigo de Cassidy. Ele tem as qualidades que um bom amigo deve ter, como a vontade de ajudar, a capacidade de fazer rir, a habilidade de ser sério quando é necessário, etc. Quando estão juntos, Cassidy e Jacob são uma dupla engraçada.
Lara é uma menina que Cassidy e Jacob conhecem em Edimburgo. Ela também consegue ver fantasmas e sabe imenso sobre esse modo de vida. É ela que faz Cassidy perceber a missão importante que elas têm, a de ajudar na passagem dos espíritos que ainda estão na Terra para o mundo além do Véu. É muito parecida com Cassidy, pois é muito desenrascada, determinada e inteligente.
Raven in Red é uma antagonista que tem uma história trágica, mas não deixa de ser uma inimiga que quer tirar a vida às crianças humanas. É, deste modo, uma antagonista multifacetada. Não é má apenas para ser a vilã da história e para assustar os jovens leitores. Ela mostra como, muitas vezes, a maldade existe por algum motivo, mas não deixa de provar que, ainda assim, não podemos deixar que o mal vença.



Capa da edição alemã.
Fonte.



Em suma, City of Ghosts é um início promissor de uma nova trilogia infantojuvenil sobrenatural que promete dar aos miúdos e graúdos aventuras fantásticas, personagens interessantes e uma escrita envolvente. As descrições e as peripécias fantasmagóricas tornam este livro na leitura ideal para o Halloween, mas, devido ao talento de Victoria Schwab, é também um livro maravilhoso que pode e deve ser lido em qualquer altura do ano.

P.S.: Até agora, não foi publicado em Portugal. É uma pena, uma vez que acho que muitos jovens leitores iriam gostar de ler este livro.


Classificação: 4.5/5 estrelas.



Wishlist: Lançamentos de setembro (livros em inglês)

25.09.20, Daniela S.

Setembro também foi um mês cheio de novidades interessantes no mundo editorial estadunidense. Cinco desses livros novos estão na minha wishlist.

Cemetery Boys, de Aiden Thomas, é o primeiro livro que pretendo mencionar. É um romance sobrenatural YA sobre um rapaz transgénero, Yadriel, que está determinado em provar que é um brujo real à sua família latin@ tradicional. Com a ajuda da sua prima e melhor amiga Maritza, ele próprio faz um ritual para invocar um fantasma e procura o fantasma do seu primo que foi assassinado para o libertar. No entanto, o fantasma que ele invoca é, na realidade, Julian Diaz, o bad boy da escola. Ele está determinado em saber o que aconteceu e quer encerrar algumas coisas da sua vida antes de partir. Sem escolha, Yadriel concorda em ajudar Julian para que ambos possam ter o que querem. Mas, quanto mais tempo Yadriel passa com Julian, menos quer ele deixá-lo ir.

Foi lançado no dia 1 de setembro pela Swoon Reads (Macmillan USA).


Sinopse original.


De seguida, temos Legendborn, de Tracy Deonn. Depois de a mãe morrer num acidente, Bree Matthews, de 16 anos, não quer nada com as memórias de famílias ou com a sua casa de infância. Um programa para estudantes do ensino secundário brilhantes na UNC - Chapel Hill parece ser a fuga perfeita até Bree testemunhar um ataque mágico na sua primeira noite no campus: um demónio voador que se alimenta de energias humanas, uma sociedade secreta de estudantes "Legendborn" que caçam as criaturas e um misterioso mago adolescente que se chama a si próprio "Merlin" e tenta - e falha - apagar a memória de Bree relativamente ao que ela viu.

A falha do mago desbloqueia a magia única de Bree e uma memória enterrada com uma ligação escondida: na noite em que a mãe morreu, um outro Merlin estava no hospital. Agora que Bree descobriu que há mais a saber sobre a morte da mãe para além do que está escrito no relatório da polícia, ela irá fazer tudo o que puder para encontrar a verdade, mesmo quando isso significa ter de ser uma infiltrada nos Legendborn como uma das iniciadas.

Ela recruta Nick, um Legendborn que se autoexilou com rancor contra o grupo. Contudo, quando os Legendborn revelam-se como os descendentes dos cavaleiros do Rei Artur e explicam que uma guerra mágica está a chegar, Bree tem de decidir o que irá fazer para descobrir a verdade e se ela deveria usar a sua magia para derrubar a sociedade ou fazer parte da luta.


A Margaret K. McElderry Books (Simon & Schuster's Children's Division) lançou este livro no dia 15 de setembro.


Sinopse original


Em terceiro lugar, temos Grown, de Tiffany D. Jackson. Quando o legendário artista de R&B Korey Fields encontra Enchanted Jones numa audição, os sonhos dela em ser uma cantora famosa estão prestes a concretizar-se. Porém, um dia, Enchanted acorda com sangue nas mãos e sem memórias da noite anterior. Quem matou Korey Fields?

De repente, os sonhos de Enchanted transformam-se em pesadelos porque, apesar do charme, Korey tinha um lado obscuro controlador. Agora, ele está morto, a polícia está à porta e todos os sinais apontam para Enchanted.

O livro foi publicado pela Katherine Tegen Books no dia 15 de setembro. 


Sinopse original.



A seguir, apresento-vos Vampires Never Get Old: Tales with Fresh Bite, uma antologia editada por Zoraida Córdova e Natalie C. Parker. Este livro tem 11 contos escritos por grandes vozes da ficção YA. Tem histórias sobre vampiros das redes sociais, vampiros rebeldes famintos por algo mais do que sangue, vampiros ansiosos por sair do armário e vampiros a sair para matar pela primeira vez, contando, ainda, com outras criaturas da noite que são arrojadas, de cortar a respiração, perigosas, sonhadoras, estranhas, icónicas e poderosas.


Foi publicado pela Imprint (Macmillan Publishers) no dia 22 de setembro.


Sinopse original.


Finalmente, temos Recommended for You, de Laura Silverman. Neste romance contemporâneo YA, Shoshanna Greenberg adora trabalhar na sua livraria local favorita, Once Upon. Com as mães dela a brigar em casa e o seu querido caro prestes a "morrer", a livraria é como uma fuga perfeita.

Quando o patrão anuncia que irá haver um bónus festivo para quem vender mais livros, Shoshanna vê isso como uma oportunidade para, pelo menos, arranjar o seu carro. A única pessoa no seu caminho? O novo empregado, Jake Kaplan. Jake é uma afronta a tudo o que Shoshanna apoia. Ele nem sequer lê! Mas as vendas dele aproximam-se dos números dela. Jake pode ser fofo (muito fofo) e ele pode ser um judeu solteiro elegível, mas ele também é o inimigo e Shoshanna está pronta para vencer.

À medida que a competição fica mais intensa, Jake e Shoshanna aproximam-se cada vez mais e percebem que podem estar na mesma página...

Margaret K. McElderry Books  (Simon & Schuster's Children's Division) publicou este livro no dia 1 de setembro.


Sinopse original.


Termino, assim, mais uma publicação sobre a minha wishlist infinita. O que acham destes títulos?



Opinião: A Maldição de Hill House, de Shirley Jackson

24.09.20, Daniela S.

Sinopse original.


Em A Maldição de Hill House, de Shirley Jackson, John Montague, um especialista e estudioso do oculto, vai à Hill House procurar algo concreto que possa provar a existência do sobrenatural. Também vão para lá Theodora, a sua assistente, Luke, o futuro herdeiro do local, e Eleanor, uma mulher solitária e frágil que já teve encontros com poltergeists.

No início, era suposto ser uma experiência focada em fenómenos inexplicáveis. No entanto, rapidamente passa a ser uma luta pela sobrevivência. Serão eles capazes de sobreviver uns dias em Hill House?


Tive conhecimento deste livro quando a Netflix lançou uma série baseada nele e que tem o mesmo título. Apenas vi o primeiro episódio, mas fiquei imediatamente curiosa. Como prefiro ler o livro primeiro e, depois, ver a adaptação cinematográfica/televisiva, deixei de ver a série. Tempos depois, ofereceram-me o livro. Li-o e achei o aspeto psicológico muito interessante, mas não foi uma leitura muito boa.


Aesthetics.
Fonte.


Infelizmente, este livro não é inesquecível. Li-o há mais de um ano e não foi uma experiência impactante, a não ser mesmo o aspeto do terror psicológico, que é um dos poucos pontos fortes do livro. Explora muito bem a mente de cada personagem, principalmente os seus medos. Talvez seja essa a razão pela qual muita gente gostou do livro. Contudo, será que é o suficiente ver um pouco dos receios das personagens e causar algum alarido com isso? Aliás, quando chegamos ao fim do livro, parece que houve alarido para nada. Sim, dá para ver muito bem o estado psicológico e emocional das personagens e como é esse estado delas que confere terror à história, uma vez que é o medo delas que nos faz antecipar por algo. Todavia, depois, não é o que estamos à espera e o entusiasmo desaparece.

Além disso, o desenvolvimento do enredo é feito de forma lenta, acabando por ser uma leitura um pouco aborrecida.


A escrita da autora pode ser mais um dos poucos pontos positivos do livro. O seu estilo mostra bem a intenção de Shirley Jackson, isto é, explorar e "brincar" com as mentes das personagens. Agora, se foi cativante e envolvente? Do pouco que eu me lembro, gostei dos diálogos e a parte mais descritiva era interessante devido ao foco nas cabeças das personagens. Porém, não posso dizer que é um dos melhores estilos de escrita de sempre.


Ilustração baseada no livro.
Fonte.


Quanto às personagens, estas pareciam ter muito potencial no início. Cada uma tem as suas particularidades e gostei de como elas não foram feitas para serem adoradas pelos leitores. São seres humanos com imperfeições e, lá está, a imperfeição é uma das coisas mais exploradas quando um livro tem muito a ver com medos psicológicos. No entanto, aos poucos, as personagens passaram a ser desinteressantes e já não davam algo novo nos últimos capítulos.
Ainda assim, gostei da maneira como Eleanor foi criada pela autora. Ela é que nos faz sentir que estamos a ler uma história de terror, bem como a casa em si. Aliás, será que a casa pode ser vista como uma personagem também? Talvez sim. Na realidade, a casa era mais interessante do que as personagens.

Em conclusão, A Maldição de Hill House é um romance de mistério e de terror psicológico que prometia dar muito, mas não me deu grandes coisas. Se, como eu, estão à espera de uma história de fantasmas, deixo-vos este aviso: o livro nada tem a ver com fantasmas. Tem, sim, a ver com o estado psicológico das pessoas e como ele afeta as vidas delas e tudo o que as rodeia. É, deste modo, interessante de um ponto de vista psicológico, mas nada mais. Tinha potencial para ser algo mais, como um romance sobrenatural, mas acabou por ser um livro pouco memorável e muito vazio.


Classificação: 2.5/5 estrelas.


Leituras outonais

22.09.20, Daniela S.

O outono já chegou! Para celebrar o primeiro dia desta estação, decidi publicar uma lista de sugestões literárias outonais.


Em primeiro lugar, sugiro City of Ghosts, de Victoria Schwab (também conhecida como V. E. Schwab). Este é o primeiro livro de uma trilogia infantojuvenil sobrenatural sobre Cassidy Blake, uma rapariga que quase morreu por afogamento, mas foi salva por um fantasma, Jacob, que agora é amigo dela. Cassidy consegue ver fantasmas desde o dia em que foi salva. Isso acaba por ser uma complicação quando os pais aceitam fazer um programa sobre cidades fantasmagóricas. A primeira paragem é Edimburgo, a cidade escocesa conhecida como a Cidade dos Fantasmas. Que aventuras e problemas irão Cassidy e Jacob ter lá?


Sinopse original.


A seguir, temos a última recomendação em inglês. Li Ghost Squad, de Claribel A. Ortega, há uns dias e gostei muito da experiência. É um livro infantojuvenil sobrenatural inspirado numa crença da cultura dominicana, a de que os pirilampos são as almas dos entes queridos falecidos. Lucely e Syd são as grandes traquinas do livro. Uns dias antes do Halloween, Lucely descobre que o pai e ela podem perder a casa. Além disso, parece que os pirilampos dela, ou seja, as almas dos familiares dela, estão a enfraquecer e podem desaparecer de vez. Por isso, as duas meninas usam um feitiço que, pensavam elas, poderia salvar os pirilampos. No entanto, o feitiço despertou espíritos malignos. Como irão as duas resolver esse problema? Será que Lucely irá conseguir salvar a sua casa e os seus pirilampos?




Relativamente a livros em português, temos Coraline e a Porta Secreta, de Neil Gaiman. Muitas pessoas preferem o filme, mas o livro também é muito bom. Neste livro infantojuvenil, Coraline, ao ir para a sua nova casa, decide explorar o novo lugar. A casa tem muitas portas e janelas, mas uma das portas está sempre fechada. Um dia, ela consegue abri-la e, assim, descobre uma passagem secreta para uma outra casa que é exatamente igual à sua, apesar de também ser muito diferente... Uma das coisas mais estranhas da passagem é o facto de essa outra casa também ter outros pais iguais aos dela! No início, eles eram muito simpáticos, mas, aos poucos, Coraline vê que esse mundo estranho não é um espaço bom... Será Coraline capaz de sair desse lugar?


Sinopse original.


De seguida, temos O Lar da Senhora Peregrine para Crianças Peculiares, o primeiro volume de uma coleção de Fantasia YA de Ransom Riggs. Após a morte do avô, Jacob vai a uma ilha remota na costa do País de Gales, onde encontra as ruínas do lar para crianças peculiares da senhora Peregrine. Ao ver uma estranha coleção de fotografias antigas e explorar o lugar, Jacob pensa que as crianças poderiam ser perigosas e que, mesmo após tantos anos, podem ainda estar vivas.

Podem ler a minha opinião sobre este livro aqui. Para mim, é a leitura ideal para o outono devido, por exemplo, às descrições feitas quanto ao clima do País de Gales.


Sinopse original.


Por fim, temos Jane Eyre, de Charlotte Brontë. A protagonista é, claro, Jane Eyre, uma rapariga órfã que viveu com a mulher do tio até ir para uma escola rígida, mas que lhe deu uma boa educação. Aos 18 anos, é contratada para ser preceptora de uma menina francesa que vive em Thornfield Hall. Lá, ela conhece o proprietário, Mr. Rochester, e vê coisas estranhas...

Li este livro há quase duas semanas. As descrições dos locais e as situações misteriosas que nos fazem lembrar o sobrenatural fizeram-me pensar que este clássico é uma boa leitura outonal.


Sinopse original.


Por agora, é tudo! Conhecem outros livros que poderiam fazer parte desta lista?



Wishlist: Lançamentos de setembro (Portugal)

21.09.20, Daniela S.

Em setembro, os catálogos das editoras portuguesas estão recheados de livros para todos os gostos. Atrevo-me a dizer que é, até agora, um dos melhores meses de 2020 quanto a novidades editoriais. Tendo em conta que há mesmo muitos livros interessantes este mês, acabei por selecionar apenas quatro livros.


Em primeiro lugar, temos Os rapazes de Nickel, de Colson Whitehead. É sobre dois amigos que, num reformatório juvenil, lutam pela sobrevivência, tendo em conta que vivem num país e num tempo em que a cor da pele determina demasiado as vidas deles. Este livro é baseado numa história verídica.

Foi publicado pela Alfaguara Portugal (Penguin Random House Grupo Editorial) no dia 8 de setembro.


Sinopse original.


A seguir, temos um romance contemporâneo YA. Positivo, de Camryn Garrett, tem como protagonista Simone, uma rapariga seropositiva que está a começar do zero numa escola nova. Ela tem conseguido conhecer pessoas novas e até parece ter um fraquinho por Miles. No entanto, ela tem medo que saibam que ela é seropositiva, pois não correu bem na última vez em que ela contou essa parte da sua vida.

As coisas estão a correr bem entre Simone e Miles e, por isso, ela começa a ponderar em como irá dizer que é seropositiva. Contudo, um dia, ela encontra um bilhete anónimo que diz que a pessoa sabe que ela tem VIH e, por isso, dá-lhe um ultimato: ou ela larga Miles, ou a pessoa conta tudo a toda a gente.

Como irá Simone lidar com esta situação?

A Edições Chá das Cinco (Saída da Emergência) lançou este livro no dia 18 de setembro.


Sinopse original.


A seguir, temos Circe, de Madeline Miller. Circe sente-se deslocada entre os deuses e os seus pares e, por isso, vai para o mundo dos homens, onde descobre que pode fazer feitiçaria. Zeus sente-se ameaçado e decide enviá-la para uma ilha deserta, onde Circe conhece imensas figuras mitológicas, como o Minotauro e Ulisses. Apesar das circunstâncias, Circe tem de ver se pertence ao mundo dos deuses, onde nasceu, ou ao mundo dos homens, que ela aprendeu a amar.

Foi lançado pela Editora Minotauro (Grupo Almedina) no dia 3 de setembro.


Sinopse original.


Em último lugar, temos um livro que está na minha wishlist desde que ganhou o Booker Prize de 2019. Rapariga, Mulher, Outra, de Bernardine Evaristo, tem 12 personagens centrais, sendo quase todas elas mulheres, negras e, de uma maneira ou de outra, o resultado do legado do império colonial britânico. É um livro multifacetado que representa a sociedade multicultural da atualidade, abordando várias questões, como a identidade, a identidade de género, as classes, o colonialismo, a emigração e a diáspora.

A Elsinore (2020 Editora) lançou este livro no dia 7 de setembro.


Sinopse original.


Por hoje, é tudo. O que acham da minha wishlist?



Opinião: Salt to the Sea, de Ruta Sepetys

19.09.20, Daniela S.


Salt to the Sea é um livro de ficção histórica YA que conta com quatro perspetivas diferentes: Joanna, uma rapariga da Lituânia com alguma experiência como enfermeira; Florian, um soldado da Prússia com um tesouro roubado e que foge dos Nazis; Emilia, uma rapariga polaca que está prestes a dar à luz; e Albert, um Nazi com ilusões de grandeza. Este livro junta estas personagens fictícias a factos reais da História que, infelizmente, são muito desconhecidos do público geral: o naufrágio de um navio alemão, Wilhelm Gustloff, no Oceano Báltico causado por um submarino soviético.


Este romance histórico está, na realidade, relacionado com um outro romance histórico YA da autora, O Longo Inverno, pois Joanna é prima da protagonista desse livro. No entanto, as ligações terminam aí. Aliás, eu não estou a falar apenas de curiosidades da autora, mas sim em termos de qualidade dos livros. Para mim, O Longo Inverno foi um livro maravilhoso, mas Salt to the Sea foi uma desilusão.


Em primeiro lugar, admiro a autora por querer dar a conhecer uma das grandes tragédias da Segunda Guerra Mundial, mas que, infelizmente, é muito pouco falada. 9000 pessoas morreram, incluindo 5000 crianças. A embarcação tinha, ao todo, 10.500 passageiros. Foi, portanto, um acontecimento horrível e ainda bem que Sepetys decidiu usar a ficção histórica para que mais pessoas soubessem da existência deste naufrágio. Nesse aspeto, o enredo está bem conseguido. De facto, Sepetys fez um bom trabalho e não foi necessário ela aproveitar-se de pessoas reais para poder usá-las como personagens. Através de personagens que nunca existiram, ela conseguiu cumprir um dos grandes objetivos da ficção histórica: ensinar História através da ficção.

Quanto à escrita, continua impecável como no primeiro livro da autora que eu li. Simples, direta e envolvente. No entanto, os capítulos muito pequenos, que, para mim, foram um dos pontos positivos n'O Longo Inverno, não resultaram neste romance. Penso que a vontade de ter quatro perspetivas completamente diferentes não ajudou para que a técnica dos capítulos curtos resultasse. Se ela queria tanto ter quatro protagonistas, deveria, então, ter escrito capítulos mais longos. Também poderia ter "sacrificado" alguns protagonistas. Poderia ter tido apenas dois e não quatro, por exemplo.

O que quero dizer é que o estilo de escrita continua bom, mas a técnica dos capítulos curtos não resultou, tendo em conta a quantidade de informação e o tempo debaixo dos holofotes que a autora queria dar às quatro personagens.


Aesthetics.
Fonte.


Relativamente às personagens, não tenho muito a dizer. Apesar das situações extremamente angustiantes, violentas e trágicas, não senti muita empatia por elas. Além disso, a questão dos capítulos curtíssimos prejudicou essa parte de fazer o leitor conhecer as personagens. Dá para ver que, como disse anteriormente, Sepetys deveria ter escolhido apenas dois protagonistas. As personalidades e as histórias de Joanna e Florian estão muito mais bem desenvolvidas do que Emilia e Albert. Sem dúvida alguma que ler os momentos antes e após o naufrágio foi algo intenso para mim e, aí, senti empatia, mas por causa da narração em si e não pelas personagens. Eu percebo que a autora queria analisar e fazer sobressair várias perspetivas muito diferentes e, de facto, estas quatro personagens têm características únicas. No entanto, por vezes, menos é mais. A autora deveria ter mesmo contado apenas duas histórias fictícias dentro da história verídica do naufrágio.



Aesthetics.
Fonte.


Concluindo, Salt to the Sea não conseguiu chegar aos calcanhares d'O Longo Inverno. A sua sinopse prometia muito e criei expectativas altas. Todavia, foi uma leitura que me deixou desiludida. Por vezes, isto acontece quando um autor quer meter muitas coisas diferentes num livro, mas, afinal, não sabe bem como fazer isso. Dá para ver que a autora usou fórmulas d'O Longo Inverno, como os capítulos curtos e a escrita sem rodeios. Mas, tendo em conta que os objetivos para este livro eram diferentes, as fórmulas anteriores resultaram num livro assim-assim. Pelo menos, aprendi alguma coisa e, nesse aspeto, este romance mostra a importância da ficção histórica.


Classificação: 3/5estrelas.



A Batalha das Capas: Eliza e os seus monstros, de Francesca Zappia

14.09.20, Daniela S.

Para este novo episódio d'A Batalha das Capas, escolhi analisar 3 capas diferentes do romance YA contemporâneo de Francesca Zappia, Eliza e os seus monstros. Podem ler a minha opinião sobre este livro aqui.


A capa portuguesa é a capa original (as cores do título e do nome da autora são as únicas diferenças, pois, no original, são verdes):


Bertrand.pt - Eliza e os Seus Monstros
Edição da Topseller.


Comentários: A capa é muito bonita e, por ser muito colorida, penso que atrai a atenção das pessoas facilmente. Além disso, apresenta elementos-chave da história, como a arte e as relações que surgem ao longo do livro. Gosto muita da mistura dessas tonalidades de verde e azul. Também acredito que a Topseller fez bem em mudar a cor do título do livro para amarelo, pois, assim, dá mais variedade e vida à capa.

Conclusão: A capa é, de facto, uma pequena obra de arte.



A segunda capa é a da Storia Books, uma editora romena:


40516712. sx318


Comentário: Penso que esta capa funciona como um bom exemplo de como uma editora pode manter a essência da edição original e, ao mesmo tempo, fazer algo diferente. Adoro as cores escolhidas e o resultado da combinação delas. Acho que apenas retiraria os desenhos das estrelas, tendo em conta que, na parte do título, já há pontinhos amarelos que fazem lembrar estrelas. Assim, pode haver um excesso de pormenores. Também penso que a capa está demasiado escura.

Conclusão: Uma capa muito bonita que mostra como é possível manter um pouco da capa original e, ao mesmo tempo, ter uma capa diferente.


Por fim, temos a terceira capa, a da Young & Awesome, uma editora holandesa:


39983995 


Comentários: Como é possível criarem uma capa tão pobre para uma história tão rica e complexa como Eliza e os seus monstros? A protagonista é uma artista que até tem um fandom graças à sua webtoon. Poderiam, de facto, colocar a silhueta dela, bem como algo que fizesse lembrar a arte dela, como ela a desenhar as suas personagens no seu quarto, por exemplo. No entanto, decidiram que seria muito mais interessante ter um contorno de uma rapariga, cores demasiado escuras e um fundo qualquer de uma parte do espaço. É verdade que elementos como estrelas e constelações fazem parte da história, mas esta capa é ridícula e simples. Além disso, é quase impossível ler bem o título.

Conclusão: A editora deveria ter vergonha em estragar este livro e arruinar o seu potencial desta forma...


O grande vencedor: A capa da edição portuguesa. Apesar de ter adorado a capa romena, ela não se destaca tanto como esta capa, até porque é uma capa mais escura. A edição romena poderia ser melhor do que a capa portuguesa se tivessem usado de forma moderada o preto e o azul escuro. A capa da edição portuguesa tem o aspeto ideal para atrair a atenção de qualquer leitor.


Por agora, é tudo. O que acham destas capas?


Wishlist: Lançamentos de agosto (livros em inglês)

03.09.20, Daniela S.
Não consegui publicar este artigo antes de agosto terminar, mas isso não quer dizer que seja tarde demais para divulgar estes quatro títulos!

Em primeiro lugar, temos Vicious Spirits, continuação de Wicked Fox, de Kat Cho. O próximo parágrafo é a apresentação do segundo livro e, por isso, contém spoilers relativamente ao primeiro livro, que adorei ler no ano passado.

Miyoung e Jihoon estão a juntar as peças das vidas partidas após a morte da mãe de Miyoung, Yena, e da avó de Jihoon. Com o apoio da amiga Somin e do amigo/inimigo Junu, eles podem ter uma oportunidade para ter uma vida normal. Contudo, Miyoung está a ficar cada vez mais doente e os amigos dela não sabem o que fazer. Já com poucas opções, Junu tem uma ideia que pode exigir um grande sacrifício e, sejamos sinceros, Junu não é conhecido pela sua "generosidade". Entretanto, os eventos de Wicked Fox derrubaram as forças que governam a vida e a morte e há entidades sobrenaturais a espreitar no fundo que não irão parar para corrigir o seu mundo.

Vicious Spirits foi lançado pela Penguin Putnam Inc. no dia 18 de agosto.


Dokkaebi: Vicious Spirits
Sinopse original.




De seguida, apresento-vos um livro infantojuvenil, Eva Evergreen, Semi-Magical Witch, de Julie Abe. 

Às vezes, tudo o que precisas é de uma pitada de magia. Eva Evergreen está determinada em obter o posto de Bruxa Noviça antes do seu décimo terceiro aniversário. Se ela não conseguir, ela irá perder a sua magia para sempre. Para a maioria dos jovens bruxos e feiticeiros, é um teste simples:
Um: Ajuda a tua cidade e faz o bem em todo o lado;
Dois: Vive lá durante uma lua e não partas demasiado cedo;
Três: Voa para casa na vassoura, o truque mais fácil.

O único problema? Eva só tem uma pitada de magia. Ela invoca cabeças de repolhos em vez de flores e fica queimada do sol em vez de fazer aparecer a chuva. Além disso, quando ela utiliza demasiado a sua magia, ela adormece.
Quando ela vai para Auteri, os residentes esperam uma bruxa poderosa, não uma rapariga semi-mágica. Então, Eva elabora um plano: criar uma loja de reparações mágica para ajudar Auteri e provar o valor dela. Ela pode ter mais sangue do que magia, mas as suas "reparações semi-mágicas" irão reparar as vidas das pessoas de várias maneiras nunca antes imaginadas. Todavia, a pitada de magia de Eva pode não ser o suficiente quando a maior tempestade mágica da História ameaça a cidade que ela aprendeu a amar. Eva deve invocar toda a magia, bravura e inteligência que conseguir ou Auteri e os sonhos de Eva de se tornar numa bruxa irão desaparecer com a tempestade.

Little, Brown and Company publicou este livro no dia 4 de agosto.


Eva Evergreen, Semi-Magical Witch
Sinopse original.



Star Daughter, de Shveta Thakrar, é o terceiro livro desta lista. Sheetal, filha de uma estrela e de um mortal, está habituada a guardar segredos, a fingir ser normal. Mas, quando uma explosão acidental do seu fogo estelar coloca o seu pai humano no hospital, Sheetal precisa da ajuda de uma estrela para curar o pai. Uma estrela como a mãe, que regressou ao céu há muito tempo.

A jornada de Sheetal para salvar o pai irá levá-la até a uma corte celestial de maravilhas brilhantes e sombras, onde ela deve subir ao palco como campeã da sua família numa competição que irá decidir a próxima casa que governará os céus ou ela poderá nunca mais regressar à Terra.


O livro foi lançado no dia 11 de agosto pela HarperTeen.


Star Daughter
Sinopse original.



Para terminar a publicação de hoje, temos Raybearer, de Jordan Ifueko. 

Nada é mais importante do que lealdade. Mas... E se juraste proteger aquele que nasceste para destruir?

Tarisai sempre quis sentir o calor de uma família. Ela foi criada em isolamento por uma mãe misteriosa e ausente conhecida como A Senhora. A Senhora envia-a para a capital do império global de Aritsar para competir com outras crianças e, assim, ser escolhida para ser uma das pessoas do Conselho dos 11 do Príncipe Herdeiro. Se ela for escolhida, ela irá juntar-se aos outros membros do Conselho através do Ray, um vínculo mais profundo do que o sangue. Essa proximidade é irresistível para Tarisai, que sempre quis pertencer a algo. Mas A Senhora tem outras ideias, incluindo um desejo mágico que Tarisai deverá cumprir: matar o Príncipe Herdeiro quando ela ganhar a confiança dele. Tarisai não vai ficar parada e ser o peão de alguém. No entanto, será ela forte o suficiente para escolher um caminho diferente para si mesma? 

Este livro foi lançado pela Amulet Books no dia 18 de agosto.




O que acham destes lançamentos americanos do mês de agosto?





Stranger Things Readathon: A minha lista de leituras

01.09.20, Daniela S.

Stranger Things Readathon começa hoje e irá terminar no dia 30 de setembro, sendo, deste modo, um evento que irá durar um mês. Para saberem mais sobre este readathon, cliquem aqui.

Este readathon tem três equipas e, apesar de eu não estar oficialmente inscrita em nenhuma delas, vou realizar os desafios da equipa Scoops Troop. Nesta publicação, vou indicar os livros que pretendo ler durante este readathon de acordo com o que foi estipulado para esta equipa. 


Imagem
Lista dos desafios da equipa Scoops Troop.


  1. Dustin: Lê um livro de Ficção Científica. 

    O Filho Dourado
    , de Pierce Brown. Este livro é a sequela d'Alvorada Vermelha. Li o primeiro há já algum tempo e este segundo está à espera de ser lido praticamente desde a altura em que foi lançado em Portugal. Não querendo dar spoilers quanto ao primeiro livro, deixo aqui a minha opinião sobre o mesmo. É pena que a Editorial Presença não tenha publicado o terceiro e último livro.


    Bertrand.pt - O Filho Dourado - Alvorada Vermelha 2
    Sinopse.





  2. Erica: Lê um livro infantojuvenil.

    Escolhi Ghost Squad, de Claribel Ortega. Já em setembro, muita gente fica empolgada com o Halloween e, como sabem, espíritos e fantasmas têm muito a ver com este dia. Além disso, na série, temos cenas focadas no Dia das Bruxas, um dia adorado pelos rapazes mais jovens da série. Ghost Squad é sobre duas crianças, Lucely e Syd, que, acidentalmente, com um feitiço, fizeram acordar espíritos malignos, provocando estragos em St. Augustine. Portanto, têm de lutar contra os espíritos e resolver a situação com a ajuda da avó bruxa de Syd, Babette, e do seu gato Chunk antes que seja tarde demais.


    Ghost Squad: Ortega, Claribel, Ortega, Claribel A.: 9781338280128:  Amazon.com: Books
    Sinopse original.





  3. Robin: Lê um livro com uma relação amorosa entre mulheres. 

    Selecionei You Should See Me in a Crown, de Leah Johnson. Tem como protagonista Liz, uma rapariga que sempre pensou que era demasiado negra, pobre e estranha para brilhar na sua pequena e rica cidade obcecada por bailes de finalistas. No entanto, Liz tem um plano para sair da cidade: ir para uma universidade de elite, tocar na sua orquestra mundialmente conhecida e ser médica. Contudo, quando a ajuda financeira com a qual estava a contar deixa de existir, parece que os seus planos não serão realizados... Até que ela se lembra do baile de finalistas, onde o rei e a rainha do baile ganham bolsas. Apesar do seu medo pelos holofotes e da falta de vontade em enfrentar trolls das redes sociais, concorrentes mesquinhos e eventos públicos humilhantes, ela quer fazer tudo por tudo para ir para a universidade. O que torna tudo suportável é a aluna nova, Mack, que é inteligente, divertida e estranha, como a Liz. Mas Mack também é uma das concorrentes para o título de rainha do baile. Será que o amor que Liz sente por Mack irá impedi-la de concretizar os seus sonhos ou irá torná-los em realidade?

    Ainda tenho de encomendar este livro. Espero que chegue a tempo!


    You Should See Me in a Crown
    Sinopse original.





  4. Steve: Lê um livro popular. 

    Muitos leitores portugueses já leram e gostaram de ler este livro, mas é principalmente nos EUA que dá para ver que ele é muito popular. The Starless Sea, de Erin Morgenstern, d
    á-nos a conhecer um lugar, o Mar Sem Estrelas, com um labirinto de túneis e quartos repletos de histórias. Pode ser difícil lá chegar, pois algumas portas estão bem escondidas, mas quem procura irá conseguir encontrar uma. Zachary Ezra Rawlins anda a procura da sua porta, apesar de não saber disso. De repente, depois de começar a ler um livro misterioso sobre cidades perdidas, prisioneiros que procuram o amor e acólitos sem nome, descobre que a história da sua infância encontra-se escrita nesse livro. Zachary, através de uma abelha, uma chave e uma espada impressas no livro, conhece duas pessoas: Mirabel e Dorian. Esses estranhos irão levá-lo a bailes, salões clandestinos e a uma sociedade secreta através da qual Zachary descobrirá a entrada para o lugar que ele sempre desejara ver. O que irá ele descobrir?


    Wook.pt - Um Mar Sem Estrelas
    Capa e sinopse da edição portuguesa.




  5. USS Butterscotch. Lê um livro contemporâneo fofo/doce. 

    Escolhi I'll Be the One, de Lyla Lee. Skye Shin, uma jovem coreano-americana gorda e bissexual que participa num concurso televisivo de K-Pop, querendo quebrar as regras de que raparigas gordas não podem fazer parte de grupos de K-Pop. Depois de ter sucesso nas primeiras provas, Skye passa por imensos treinos, atuações chocantes e pelo drama típico de um reality show. No entanto, ela não contava com os padrões de beleza extremamente gordofóbicos da indústria musical coreana, a fama, o escrutínio e as borboletas na barriga causadas por Henry Cho, que também é um participante do concurso. Apesar de tudo, Skye ainda quer ser a primeira cantora plus-size de K-Pop sem perder a competição e a si mesma.


    I'll Be the One
    Sinopse original.





  6. Starcourt Mall: Lê um livro que compraste/recebeste recentemente: Em princípio, irei ler Encontrar-me, Encontrar-te, Encontrá-lo, de Maria Cunha e Silva. Ainda não comprei este livro, mas irei tratar disso em breve. Júlia, a protagonista, numa madrugada cheia de pensamentos loucos e planos inesperados, compra um bilhete só de ida para Tailândia. Os próximos meses, envoltos em mistério, servirão para Júlia descobrir mais sobre si mesma e a sua vida.


    Bertrand.pt - Encontrar-me, Encontrar-te, Encontrá-lo
    Sinopse original.



Quem também irá participar neste readathon?