Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Biblioteca da Daniela

A Biblioteca da Daniela

Wishlist: Maio de 2021 (Portugal)

28.05.21, Daniela S.
Em maio, as editoras investiram não só em livros que receberam grandes prémios literários, como também publicaram livros de estreia de autores nacionais.


Em primeiro lugar, temos Lola, de Cátia Vieira. Talvez já conheçam a Cátia, pois ela é uma grande bookstagrammer portuguesa. A sua plataforma chama-se Books Turn You On e conta com imensos seguidores nacionais e internacionais. Neste seu primeiro romance, "Lola anda à procura do seu lugar no mundo. Entre ataques de ansiedade que a deixam paralisada, à sua forma de olhar o outro através da lente da máquina fotográfica, ela vai deambulando pelas ruas do Porto sem, no entanto, encontrar o que procura.

Numa luta permanente entre aquilo que é, aquilo que gostaria de ser e aquilo que os outros esperam dela, Lola decide cortar as frágeis amarras que a prendem ao país e ruma a Madrid, capital alegre e mais aberta onde ela espera encontrar alguma paz.

Neste seu romance de estreia, a autora explora o género coming of age e algumas das questões que afectam o ser humano desde o início dos tempos - quem somos e para onde vamos misturando-as com os tempos modernos e as suas redes sociais, o Tinder, e outras universais como o feminismo e a busca pelo amor".



Foi lançado pela Suma de Letras no dia 4 de maio.
 
 
A seguir, temos mais um romance de estreia português. A Mão que Mata, de Lourenço Seruya, é um thriller sobre segredos de família e homicídios. "Numa fria manhã de inverno, é encontrado um cadáver numa mansão na Serra de Sintra.
A família Ávila estava aí reunida para formalizar as partilhas patrimoniais, na sequência do falecimento do patriarca e jamais imaginava que o processo seria interrompido daquela forma.
O Inspetor Bruno Saraiva e a sua brigada da PJ são chamados a investigar, deparando-se com um caso peculiar: a vítima não era propriamente adorada pelos familiares, mas também ninguém tinha motivos para a querer morta. Terá o homicídio resultado de um assalto?

As opiniões dividem-se e a família Ávila não parece muito disposta a colaborar com a polícia.
Até que é encontrado um segundo cadáver na mansão…

Bruno Saraiva não tem dúvidas que o assassino está naquela casa, mas não tem ninguém que o apoie nesta teoria. Sem provas concretas que sustentem a sua crença, o Inspetor faz uma viagem-relâmpago a uma aldeia do Norte. Aí, toma conhecimento de uma informação que o põe no encalço do assassino: alguém que está disposto a tudo para esconder um terrível segredo".


A Cultura Editora lançou este livro no dia 6 de maio.


Wook.pt - A Mão que Mata
Sinopse retirada do site da Wook.


Os próximos dois livros, que são os últimos desta lista, são de literatura infantojuvenil. O primeiro foi escrito e ilustrado por uma autora e ilustradora portuguesa, Patrícia Furtado. Matilde e o Retrato Amaldiçoado é o segundo volume sobre as aventuras da bruxa Matilde.Desta vez, há um retrato amaldiçoado de um certo mago, uma cave cheia de tesouros e segredos, um homem barbudo muito misterioso e uma amiga mágica que irá ajudar Matilde a praticar novos feitiços. E, claro,l Fred, o furaleão, está sempre pronto para mais uma aventura!


Foi publicado pela Nuvem de Letras no dia 18 de maio.


Wook.pt - Matilde e o Retrato Amaldiçoado
Sinopse original.




Finalmente, apresento-vos O Castelo da Magia Emaranhada, de Sophie Anderson. "Quando Olia, de 13 anos, passa por uma porta mágica, descobre outra terra. Uma terra emaranhada por magia, onde a esperança está perdida e um intrigante mago detém o poder. Olia percebe de imediato que está destinada a salvar esta terra. Mas com o tempo a esgotar-se e os seus novos amigos e família em perigo, tem de procurar a magia dentro de si para salvar tudo e todos os que lhe são queridos".


A Minotauro lançou este livro ontem, dia 27 de maio.


https://img.bertrand.pt/images/o-castelo-da-magia-emaranhada-sophie-anderson/NDV8MjQ3Mjg5NjJ8MjA4ODc1ODh8MTYxOTk5NjQwMDAwMHx3ZWJw/502x
Sinopse retirada do site da Bertrand.

 

 

 

 

Por agora, é tudo. Até breve!

 

 

 



A Batalha das Capas: Três Coroas Negras, de Kendare Blake

25.05.21, Daniela S.

Já tinham saudades de uma boa batalha de capas? Hoje, várias edições de Três Coroas Negras, de Kendare Blake, irão lutar, mas apenas uma poderá ser a vencedora!


Escolhi analisar as capas deste livro porque a tradução portuguesa do quarto e último livro desta coleção foi lançado em abril pela Porto Editora. Abaixo, deixo a sinopse do primeiro livro, pois será importante para perceber os elementos que cada capa tem. É a sinopse oficial portuguesa e foi retirada do site da Bertrand:

Três rainhas negras,
Fruto da mesma terra.
Três gémeas meigas,
Agora entrarão em guerra.

Três irmãs negras –
Quais delas não se adivinha –
Mas duas terão de morrer:
Só uma será rainha.


A CADA GERAÇÃO, NA OBSCURA ILHA DE FENNBIRN, NASCEM TRÊS IRMÃS GÉMEAS.

Três rainhas herdeiras de um só trono, cada uma possuindo um poder mágico muito cobiçado. Mirabella é capaz de inflamar o incêndio mais violento ou a tempestade mais terrível. Katharine consegue ingerir um veneno mortal sem sentir os seus efeitos. De Arsinoe diz-se capaz de fazer florir a rosa mais vermelha e controlar o leão mais feroz.

Mas para uma delas ser coroada rainha, não basta ter a linhagem certa. As trigémeas terão de conquistar o seu direito à coroa, lutando por ele… até à morte.

Na noite em que as irmãs completam 16 anos, a batalha começa. E a rainha que sobreviver, conquistará a coroa!

O bestseller do New York Times finalmente em Portugal.


Comecemos pela capa original. Nesta capa de fundo preto, vemos três coroas completamente diferentes. Cada uma delas representa uma irmã. A primeira representa Arsinoe, tendo em conta que tem um aspeto floral e possui elementos naturais. A segunda coroa é a de Mirabella, que consegue praticar magia com 4 elementos naturais. Por fim, temos a coroa de Katharine, que tem uma cobra como animal de estimação.

Para além de nos apresentar de forma imediata as personagens principais, também é uma capa que explica logo que o livro pertence ao género da Fantasia. As coroas são muito bonitas e as suas cores contrastam bem com o fundo escuro. É uma capa bem conseguida que mostra como é importante valorizarmos os detalhes e que não é necessário haver exageros para ter uma boa capa.


Capa americana/original: Quill Tree Books.

 

 

A seguir, temos a capa portuguesa, que, por acaso, é como a capa da edição alemã, mas com um fundo diferente. Só temos uma coroa na capa, mas a própria coroa e os detalhes que a rodeiam também são representativos das personagens principais. É possível ver os ursos (Arsinoe), a cobra (Katharine) e os cavalos poderão representar Mirabella.

A capa é bonita e os detalhes são magníficos e dignos de um livro de Fantasia, mas será que se destacaria entre todos os outros livros deste género dispostos nas estantes? O fundo branco funcionaria melhor, como podemos ver abaixo.

 

imagem
Capa portuguesa: Porto Editora.

 

 

O fundo branco da edição alemã dá mais destaque à coroa e à restante decoração da capa. Espero que o autocolante vermelho não seja daqueles que fazem mesmo parte da capa. Se não der para remover o autocolante, é uma pena. Estraga uma capa muito bonita.


33135841. sy475
Capa alemã: Penhaligon.


 

Agora, apresento-vos a capa da Indonésia. Apesar das cores muito bonitas na água, penso que é uma capa pobre e que não mostra bem a essência da história. Fazer a água parecer-se com uma coroa é uma ideia interessante, mas esta coroa não tem nada a ver com as protagonistas. Além disso, a capa está demasiado simples e, se não fosse o título, acho que muitos leitores iriam olhar para ela e pensar que o livro era ficção contemporânea e não de Fantasia.


36442701. sx318
Capa da Indonésia: Puspa Populer.



A seguir, temos a capa chinesa. É muito diferente das outras, pois optaram por uma ilustração que mostra as irmãs e os seus respetivos poderes. De facto, fizeram um bom trabalho em mostrar o que cada uma é e acho interessante o facto de terem realçado as cores dos seus poderes. Ainda assim, não posso dizer que adoro esta capa. Gosto, mas apenas isso.


38751730. sx318
Capa chinesa: 臉譜.

 

 

Na capa da edição da Pérsia, devem ter seguido o raciocínio da editora chinesa. Em vez de fazerem mais do mesmo, isto é, dar um grande foco a coroas, esta editora também decidiu ter uma capa ilustrada. Também segue a mesma lógica da capa chinesa ao terem as irmãs presentes na capa a mostrar os seus poderes. Penso que prefiro esta ilustração. Só mudava o fundo. Seria melhor se tivessem escolhido um fundo mais natural e não tão iluminado.


33634824. sx318
Capa da Pérsia: Baazh. 


 

Por fim, temos a capa da Sérvia. É uma capa horrorosa. Não gosto do aspeto das coroas. São demasiado simplórias e são muito comuns tendo em conta outros livros cujas capas também ostentam coroas. Deveriam ter feito como as capas anteriores, ou seja, deveriam ter incluído os poderes das personagens. Não percebo a existência das manchas amarelas no topo da capa. Não fazem nada ali, não acrescentam nada à capa. Foi uma tentativa fraca de não terem uma capa demasiado escura.

 

36197251. sx318
Capa da Sérvia: Publik Praktikum.



E a capa vencedora é... A capa da Pérsia. A ilustração é muito bonita e tenho pena apenas do fundo. As irmãs poderiam, talvez, estar à frente de um trono, por exemplo. Percebo que tenham escolhido um fundo claro para a capa não ser demasiado escura, mas acho que poderiam ter feito outra coisa. De resto, é uma boa ilustração. A grande derrotada é a capa da Sérvia. A da Indonésia não é nada de especial e não é capaz de mostrar a essência da história, mas as cores salvam-na. A capa da Sérvia não é bonita, na minha opinião.


Qual é a vossa capa favorita?


Até breve!
















Wishlist: Maio de 2021 - Parte 2 (Livros em inglês)

19.05.21, Daniela S.

Nesta segunda parte da lista focada em lançamentos de livros em inglês em maio, há imensos livros que foram lançados ontem, dia 18 de maio.


Em primeiro lugar, temos um dos livros que mais quero ler este ano, Tokyo Ever After, de Emiko Jean. Nesta história, uma rapariga japonesa e americana normal, Izumi Tinaka, nunca sentiu como se realmente pertencesse a algum lugar, até porque não é fácil ser japonesa e americana na sua pequena cidade no norte de Califórnia, um lugar praticamente composto por pessoas brancas. Tem sido sempre ela e a sua mãe solteira contra o mundo. Mas, entretanto, Izumi descobre que o pai é o príncipe herdeiro do Japão, o que significa que ela também é uma princesa. De repente, Izumi vai até ao Japão e conhece o pai e um país que esteve sempre nos seus sonhos. No entanto, ser princesa não tem apenas a ver com vestidos e bailes. Há primos que conspiram, jornalistas ávidos, um guarda-costas carrancudo, mas bonito que poderá ser a sua alma-gémea e milhares de anos de tradições e costumes para aprender rapidamente. Izumi está entre dois mundos e versões de ela mesma. Em casa, nunca era suficientemente "americana". No Japão, ela deve provar que é suficientemente "japonesa". Irá Izumi cair sob o peso da coroa ou irá ela conseguir viver o seu conto de fadas?

 

Este romance contemporâneo YA foi lançado ontem pela Flatiron Books.


Tokyo Ever After
Sinopse original.

 

 

Depois, temos Made in Korea, de Sarah Suk. Não há nada que Valerie Kwon goste mais do que uma boa venda. Ela e Charlie têm a V&C K-BEAUTY, o projeto estudantil mais bem-sucedido da escola. Com cada venda, Valerie fica cada vez mais perto de levar a sua halmeoni amorosa e aventurosa à sua cidade de sonho, Paris.

Wes Jung é o estudante novo da escola e ele está determinado em seguir música depois de acabar a escola, apesar de os pais não concordarem com os planos dele. Quando os colegas dele desejam comprar os produtos de beleza de K-pop que a mãe lhe deu para "fazer novos amigos", ele vê uma oportunidade, algo que poderá ajudá-lo a pagar a mensalidade da escola de música, pois ele sabe que os pais não farão isso... O que ele não sabe é que agora ele é o grande adversário da V&C K-BEAUTY.

Valerie e Wes tentam vender mais do que o outro, fazer mais dinheiro e ficar com o título de melhor negócio da escola. Ao mesmo tempo, tentam resistir à faísca inegável que há entre eles.

 

Este romance contemporâneo YA foi publicado ontem pela Simon & Schuster Books for Young Readers.

 

Made in Korea
Sinopse original.

 

 

A seguir, apresento-vos Off the Record, de Camryn Garrett. Quando Josie Wright, de dezassete anos, ganha um concurso para escrever um perfil de uma celebridade para a revista Deep Focus, ela fica entusiasmada e receosa. Ela imediatamente parte para uma tour de várias cidades e toca com o cotovelo em várias celebridades brilhantes, produtores com cara de poucos amigos e estilistas excêntricos. Ela até apaixona-se pelo alvo do seu perfil, Marius Canet, uma nova estrela.

O mundo de Josie está a expandir-se rapidamente e ela não sabe se está a voar ou a cair. Todavia, quando uma jovem atriz conta-lhe um segredo terrível e os segredos continuam a aparecer, ela percebe que está a ficar tudo fora do controlo. Ela quer fazer a coisa certa, mas será uma história que ela deve contar? E se ela desapontar as mulheres que confiaram nela? E se isto acaba com a sua carreira na escrita antes de ela ter começado? Há muitas razões para ela não avançar com o plano, mas se Josie não fizer nada, quem fará?

 

Penguin Books publicou este livro ontem.

 

Off the Record
Sinopse original.

 

 

O próximo lançamento de ontem é Shipped, de Meredith Tate. Neste romance YA contemporâneo, Stella Greene e Wesley Clarke são os maiores rivais de Gene Connolly Memorial High School. Enquanto os dois têm lutado pelo lugar de melhor estudante, tem sido uma grande maratona quanto a comentários sarcásticos e partidas sujas. A próxima grande batalha é o valedictorian e, mais especificamente, a bolsa de estudos.

Mas Stella e Wes têm mais em comum do que pensam. Ambos são grandes fãs de Warship Seven, uma série televisiva de Ficção Científica popular com fãs online dedicados e os dois falam entre si sob pseudónimos sem saberem. Ambos vão ao SciCon este ano e eles decidem vestir-se com o seu melhor cosplay para se conhecerem na vida real. Enquanto as tensões na escola aumentam e o SciCon aproxima-se cada vez mais, as linhas de rivalidade entre os dois ofuscam quando um projeto de uma aula mostra que podem perceber um ao outro mais do que uma outra pessoa qualquer.


Foi publicado ontem pela Penguin Putnam Inc.

 

Shipped
Sinopse original.




May the Best Man Win é o último lançamento de ontem. Neste romance contemporâneo YA de Zr Ellor, um rapaz trans entra numa batalha para o título de Rei do Baile com o rapaz com quem ele acabou a relação no verão passado.

Jeremy Harkiss, capitão de cheerleading e presidente dos estudantes, não irá deixar a sua saída do armário como rapaz trans arruinar o seu último ano escolar. Em vez de se curvar perante intolerantes e a admnistração escolar retrógrada, Jeremy decide fazer barulho e o que seria melor do que desafiar o seu ex-namorado, Lukas, no concurso de Rei do Baile? Lukas Rivers, estrela de futebol americano e presidente do Comité do Baile, está apenas a tentar encontrar ordem na sua vida depois do funeral do seu irmão mais velho e do fim de uma relação amorosa. Mas, quando Jeremy ameaça partir o seu coração e roubar a coroa dele, Lukas elabora um plano para estragar a campanha de Jeremy.

Quando ambos os rapazes levam a rivalidade até demasiado longe, o baile está quase a ser cancelado. Para salvar o baile, os dois terão de enfrentar a dor que escondem e as borboletas que não podem negar.

 

Foi lançado ontem pela St. Martin's Press.


May the Best Man Win
Sinopse original.


Termino esta lista com uma novidade que sairá no dia 25 de maio. Hani and Ishu's Guide to Fake Dating, de Adiba Jaigirdar, é também um romance YA contemporâneo. Toda a gente gosta de Humaira Hani Khan. É fácil lidar com ela e é uma das raparigas mais populares da escola. No entanto, quando diz às amigas que é bissexual, elas invalidam a sua identidade e dizem que ela não pode ser bi se ela apenas namorou com rapazes. Em pânico, Hani diz que está numa relação com uma rapariga que as amigas odeiam absolutamente, Ishita Ishu Dey. 

Ishu é o oposto completo de Hani. Ela é uma estudante esforçada que espera tornar-se head girl para que ela fique no caminho certo para ir para a universidade. Mas Ishita aceita ajudar Hani se Hani ajudar a torná-la mais popular para que tenha uma hipótese de ganhar o título de head girl

Entretanto, elas acabam por desenvolver sentimentos reais uma pela outra, mas os relacionamentos são complicados e algumas pessoas farão tudo e mais alguma coisa para que duas raparigas bengáli não tenham o seu final feliz.

Será publicado pela Page Street Kids.

 

Hani and Ishu's Guide to Fake Dating
Sinopse original.



E, assim, termino a segunda e última parte. O que acham desta lista?



Clube Literário Read with Daniela: Leitura em inglês de junho

14.05.21, Daniela S.

Para o mês de junho, o clube não irá ter uma leitura em português. No entanto, haverá a leitura em inglês e ela foi escrita por uma autora portuguesa!


A Curse of Roses, de Diana Pinguicha, é um reconto da lenda das rosas da Rainha Santa Isabel. Neste livro YA, a princesa Yzabel (os nomes estão em inglês), sempre que tenta comer comida, acaba por transformá-la em flores. O reino português está a passar por grandes dificuldades e ela sente-se culpada sempre que come e vê flores a sair da sua boca. O melhor seria se ela conseguisse transformar flores em comida...

É neste contexto que ela conhece Fatyan, uma Moura encantada, a única pessoa que pode ajudá-la. No entanto, ela está presa em ligações mágicas. Ela pode ensinar Yzabel a controlar a sua maldição... Se Yzabel conseguir libertá-la com um beijo.

Como prometida do Rei de Portugal, Yzabel estaria a cometer uma traição, mas para que serve um rei se o seu país morrer à fome?

Com apenas um beijo, Fatyan fica livre. E, com apenas um beijo, Yzabel fica a desejar por mais. Ela conheceu Fatyan para poder ajudar o seu povo. Agora, amá-la pode ser a destruição de Yzabel.

Baseado numa lenda portuguesa, este livro de Fantasia histórica #OwnVoices é uma história épica de mistério, magia e sobre fazer a escolha impossível entre o amor e o dever.

 

Gatilhos: Sangue; body horror; homofobia; homicídio; self-harm (baseado na religião); sexismo; assédio sexual.

 

 

A Curse of Roses
Book Depository (capa dura);
Blackwell's (capa dura).

 

 

Infelizmente, apesar de o livro estar disponível nos sites da Bertrand e da Wook, ninguém tem conseguido comprar o romance através destas plataformas. É por isso que apenas menciono duas livrarias online na descrição da imagem. Podem, claro, tentar outras plataformas internacionais que conheçam.

 

O que acham desta escolha? Posso dizer que muitos leitores portugueses já leram este livro e ADORARAM a experiência.


Conto convosco?


ARMYdathon: TBR (To Be Read/Para ler)

07.05.21, Daniela S.

Há uns dias, falei sobre o ARMYDATHON, uma maratona literária baseada nos BTS, um grupo sul-coreano que anda a conquistar o mundo. Hoje, irei apresentar os oito livros que pretendo ler para esta readathon.


Para o desafio Borahae (ler um livro cuja capa seja, pelo menos, 50% roxa), escolhi ler Vicious Spirits, de Kat Cho. É a continuação de Wicked Fox. São romances paranormais YA inspirados na mitologia coreana.

Se ainda querem ler o primeiro livro, não leiam o parágrafo seguinte, que é a sinopse do segundo:

Miyoung e Jihoon estão a juntar as peças das vidas partidas após a morte da mãe de Miyoung, Yena, e da avó de Jihoon. Com o apoio da amiga Somin e do amigo/inimigo Junu, eles podem ter uma oportunidade de ter uma vida normal. Contudo, Miyoung está a ficar cada vez mais doente e os amigos dela não sabem o que fazer. Já com poucas opções, Junu tem uma ideia que pode exigir um grande sacrifício e, sejamos sinceros, Junu não é conhecido pela sua "generosidade". Entretanto, os eventos de Wicked Fox derrubaram as forças que governam a vida e a morte e há entidades sobrenaturais a espreitar no fundo que não irão parar para corrigir o seu mundo.

 

Dokkaebi: Vicious Spirits
Sinopse original.


 

Quanto ao desafio Seoul (ler um livro cujo cenário seja o teu país ou a tua cidade), irei ler Onde cantam os grilos, de Maria Isaac. Quando soube que a autora iria lançar o seu segundo livro em maio, pensei que estava na altura de perceber o fascínio por ela.

Aqui está a sinopse oficial (retirada do site da Bertrand): Ainda bebé, Formiga foi deixado num cesto nos degraus da casada Herdade do Lago.
O mistério da sua chegada é apenas mais um na longa história daherdade e das várias gerações dos Vaz, que a assombra de lendase maldições: uma fonte inesgotável de mistérios fascinantes paraa imaginação do rapazinho cabeça de vento.

Deslumbrado pela vida da família que venera de formaatrapalhada, Formiga corre e trepa a árvores, encolhe-se, faz-seinvisível, inventa um pouco de tudo para conseguir acompanharconversas, descobrir mais um segredo.
Mas o último segredo que ele descobre revela-se demasiadogrande para a curiosidade bem-intencionada de uma criança, e umerro seu acaba por destruir o único mundo que conhece e pôr fimà sua infância.

Mais de vinte anos depois, Formiga regressa à Herdade do Lago eescreve para um leitor invisível, relembrando tudo o que foi e quenão deveria ter sido.

 

Bertrand.pt - Onde Cantam os Grilos
Bertrand.



Para Epiphany (ler um livro que inclua as seguintes palavras: eu, meu, eu próprio, etc.), selecionei Minha Sombria Vanessa, de Kate Elizabeth Russell. Este livro recebeu muita atenção quer nos EUA, quer em Portugal, principalmente quando foi lançado. Deste modo, tenho muita curiosidade quanto a este livro, que é baseado na vida da própria autora.

Sinopse oficial (retirada da Wook): Em 2000, Vanessa Wye é uma adolescente de 15 anos ambiciosa e solitária. Sonhando ser escritora, não se importa de estar sempre sozinha, mas abre uma exceção quando Jacob Strane, o seu professor de inglês, lhe começa a dar mais atenção. Antes que Vanessa tenha consciência, iniciam uma relação, e ela acredita que ele realmente a ama.

Em 2017, uma ex-aluna acusa Strane de abuso sexual. Vanessa fica perante uma escolha impossível: ficar calada, acreditando que se havia envolvido voluntariamente naquela relação… ou redefinir a sua grande história de amor como mera violação. Por um lado, não quer rejeitar esse primeiro amor, o homem que a transformou e tem sido uma presença constante na sua vida. Por outro, será possível que ele seja muito diferente do que ela pensava? Será ela apenas mais uma vítima?

Alternando entre passado e presente, Minha Sombria Vanessa é um retrato excecional de uma adolescência conturbada e das suas consequências, levantando questões cruciais sobre liberdade, consentimento, abuso e vitimização, captando de forma brilhante uma cultura em mudança que transforma as nossas relações e a própria sociedade.

 

Wook.pt - Minha Sombria Vanessa
Wook.

 

 

A seguir, temos Shadow (ler um livro que te assuste, isto é, um thriller, um mistério, um livro de terror, etc). Para esta categoria, escolhi Um de Nós Mente, de Karen M. McManus. Sabiam que este livro foi lançado em 2017 e ainda ocupa bons lugares nas listas literárias americanas? Realmente, muitas pessoas adoraram ler este livro. Muitos leitores portugueses também falaram bem deste thriller YA.

Sinopse oficial (retirada da Bertrand): Simon Kelleher é o criador do Má-Língua, uma nova aplicação que está a encurralar a elite de Bayview High, revelando pormenores da vida privada dos alunos da escola.
Mas o caso torna-se mais grave quando Simon e quatro colegas ficam fechados de castigo numa sala, e ele morre diante das suas vítimas.

Os quatro que se tornam suspeitos imediatos do homicídio, são:
A melhor aluna da escola, Bronwyn que nunca viola uma regra e quer entrar em Yale.
A estrela da equipa de basebol de Bayview, Cooper.
Nate, o criminoso, que está em liberdade condicional por vender droga.
A menina bonita, Addy, que parece ter a vida perfeita ao lado do namorado perfeito.

Que segredos queriam esconder para eliminar Simon?
Quem será o culpado?


Bertrand.pt - Um de Nós Mente
Bertrand.

 

 

Relativamente ao MAMA (ler um livro com uma personagem que seja mãe ou que desempenhe um papel maternal), escolhi Confissões, de Kanae Minato. Já está há algum tempo na minha estante e, por isso, nada como aproveitar esta readathon para ler uma história que promete ser emocionante.

Sinopse oficial (retirada da Wook): Os seus alunos assassinaram a sua filha. Esta é a sua vingança.

Confissões é um romance narrado a várias vozes, magistralmente construído onde o suspense é mantido até o fim, quando as diferentes peças encaixam. Mas também é uma reflexão sobre o sistema educativo, os laços familiares, o comportamento humano, o amor e a vingança.

 

Wook.pt - Confissões
Wook.


 

Para Serendipity (ler um livro romântico), pensei que seria inteligente juntar o útil ao agradável, isto é, escolhi The Henna Wars, de Adiba Jaigirdar. Este romance YA é também o livro em inglês de maio do meu clube literário, Read with Daniela. Veio mesmo a calhar!

Nishat não quer perder a sua família, mas ela também não quer esconder mais quem realmente ela é e as coisas ficam mais complicadas quando uma amiga de infância regressa à sua vida. Flávia é bonita e carismática e Nishat apaixona-se por ela imediatamente. Mas, quando uma competição escolar convida os alunos a criar os seus próprios negócios, ambas decidem mostrar os seus talentos como artistas de henna. Numa luta para provar quem é a melhor, as suas vidas acabam por ficar mais entrelaçadas, mas Nishat não consegue não gostar de Flávia, especialmente quando ela parece gostar dela também.

À medida que a competição vai aquecendo, Nishat tem uma decisão a tomar: permanecer no armário pela sua família ou colocar de lado as suas diferenças com Flávia e dar uma oportunidade à relação.
 
 
 
The Henna Wars
Sinopse oficial.

 

 

Quanto à penúltima categoria, Sweet Night (ler um livro cuja capa/título inclua estrelas ou lua), selecionei A Phoenix First Must Burn, editado por Patrice Caldwell. É uma antologia que reúne histórias YA que têm como protagonistas mulheres negras ou "gender nonconforming individuals" negros.

Há Fantasia e Ficção Científica e são histórias atmosféricas e fortes que exploram relações e universos alternativos cativantes. Há sociedades futuristas, amor, traição, resistência, trauma e heroísmo. É uma coleção de histórias complexas e realistas que incluem bruxas, cientistas, amantes, irmãs, sacerdotisas e rebeldes. As heroínas prometem ser inesquecíveis e brilhantes.
 
 
 
A Phoenix First Must Burn
Sinopse oficial.


 

Por fim, para Begin (ler o primeiro livro de um autor asiático), escolhi The Poppy War, de R. F. Kuang. Não sei como é que ainda não foi publicado em Portugal. Já ganhou imensos grandes prémios de Fantasia e praticamente toda a gente adora este livro.

Quando Rin brilhou no Keju, o teste para encontrar os estudantes mais talentosos do Império, ela chocou toda a gente: desde os oficiais do teste, que não queriam acreditar que uma órfã de guerra da Província Rooster poderia passar sem enganar, até aos responsáveis por Rin, que esperavam enriquecer ao fazê-la casar por conveniência. Também foi uma surpresa para Rin, que percebeu que estava finalmente livre de uma vida de servidão. Foi ainda mais surpreendente ela ter entrado na Sinegard, a escola militar de elite em Nikan. Mas as surpresas nem sempre são boas.

Não é fácil ser uma camponesa de pele escura do sul na Sinegard. Ao lutar contra o preconceito dos seus colegas rivais, Rin descobre que ela possui um poder letal e sobrenatural, uma aptidão para a quase mítica arte do xamanismo. Quando explora as profundezas do seu poder com a ajuda de substâncias psicoativas e de um professor, Rin aprende que os deuses que supostamente estavam mortos estão, na realidade, vivos e que saber manusear os seus poderes pode significar mais do que apenas sobreviver na escola.

Apesar de o Império de Nakara estar em paz, a Federação de Mugen está à espreita num mar estreito. A Federação ocupou Nikan durante décadas depois da Primeira Poppy War e por pouco perdeu o continente na Segunda. Enquanto a maioria das pessoas tem uma vida pacífica, algumas têm noção de que pode haver uma Terceira Guerra em qualquer momento...

 

The Poppy War
Sinopse oficial.

 


Quem irá participar nesta readathon?



Wishlist: Maio de 2021 - parte 1 (livros em inglês)

04.05.21, Daniela S.

O mês de maio está cheio de novidades super interessantes! Por isso, relativamente aos lançamentos de livros em inglês, tive de dividir a lista em duas partes. As duas publicações irão incluir Young Adult e infantojuvenil, livros contemporâneos, Ficção Científica, Fantasia, entre outros.

A primeira parte é apenas sobre livros lançados precisamente hoje, dia 4 de maio.


Em primeiro lugar, temos The Ones We're Meant to Find, um livro que li antes do seu lançamento. A minha opinião foi publicada ontem e podem lê-la aqui. É um romance de Ficção Científica YA sobre duas irmãs que, separadas pelo oceano, tentam reencontrar-se de formas diferentes. É uma história distópica que explora temas como a humanidade, o meio ambiente e a tecnologia.

É lançado pela Text Publishing (Austrália, Reino Unido e Nova Zelândia) e Roaring Brook Press (EUA).


Sinopse original.


 

A seguir, temos um livro contemporâneo YA. Counting Down with You, de Tashie Bhuiyan, é sobre uma adolescente do Bangladesh reservada que tem 28 dias para tomar a grande decisão da sua vida depois de concordar ser a namorada falsa de um bad boy da escola.

Karina Ahmed tem um plano. Olhar para baixo, acabar o liceu sem alarido e seguir as regras dos pais, mesmo se isso significa sacrificar os seus sonhos. Quando os pais vão a Bangladesh durante quatro semanas, Karina espera alguma paz e sossego. Mas uma simples mentira desvenda tudo.

"A Karina é minha namorada".

Dar explicações ao bad boy da escola já era algo que passava das marcas. Fingir que namora com ele? Ultrapassava tudo. Mas Ace Clyde faz tudo certo: ele dá-lhe café de manhã, ele impressiona as amigas dela sem tentar e até promete comprar-lhe muitos livros (por semana) se ela mantiver viva a relação falsa. Apesar de Karina concordar, ela não consegue não contar os dias até os pais regressarem.

São 28 dias até tudo voltar ao normal. Mas e se Karina já não quiser isso?

A Inkyard Press publica este livro hoje.

 

Counting Down with You
Sinopse original.


 

O último YA a ser mencionado é Meet Cute Diary, de Emery Lee. Neste romance contemporâneo, Noah Ramirez pensa que é um profissional no romance. Ele tem de o ser por causa do seu blog popular, o Meet Cute Diary, uma coleção de finais felizes trans. Mas há um problema: todas as histórias são falsas. O que começou como fantasias de um rapaz transgénero com medo de sair do armário tornou-se num raio de esperança para leitores trans de todo o mundo.

Quando um troll expõe o blog como algo fictício, o mundo de Noah desfaz-se. A única maneira de salvar o Diário é convencer toda a gente da veracidade das histórias, mas ele não pode provar nada. Depois, Drew entra na vida de Noah e as peças encaixam-se: Drew está disposto a ser um fake date de Noah para salvar o Diário. No entanto, quando os sentimentos de Noah ultrapassam o romance encenado, ele percebe que namorar na vida real não é o mesmo que encontrar o amor na página.

Noah terá, então, de escolher entre seguir as suas próprias regras para o amor ou descobrir que os finais mais românticos são os que fogem ao guião.

É publicado pela HarperCollins Publishers Inc.


Meet Cute Diary
Sinopse original.


 

Os próximos três livros são infantojuvenis. Primeiro, temos Finding Junie Kim, de Ellen Ho. Junie Kim só quer encaixar-se. Por isso, ela mantém a cabeça para baixo e tenta não atrair atenção para ela mesma. Mas quando um graffiti racista aparece na sua escola, Junie deve decidir entre ficar em silêncio ou falar.

Depois, na aula de História, os alunos têm um projeto a realizar e Junie decide entrevistar os seus avós e aprende sobre as suas experiências inacreditáveis enquanto crianças que passaram pela Guerra da Coreia. Junie admira a determinação feroz da avó em superar adversidades impossíveis e a compaixão inabalável do avô durante o tempo da guerra. À medida que o racismo na escola difunde-se mais, Junie usa a força dos seus ancestrais para encontrar a coragem para fazer o que é correto.

Finding Junie Kim lembra-nos que, dentro de nós, há a força de superar dificuldades e para sair triunfante.

É lançado pela HarperCollins Publishers Inc.

 

Finding Junie Kim
Sinopse original.


 

Depois, apresento-vos The Last Fallen Star, de Graci Kim. Nesta próxima aposta de Rick Riordan Presents, seguimos uma rapariga coreano-americana adotada que descobre a sua herança e a sua magia numa viagem perigosa para salvar a sua família, que é um clã de bruxas.

Riley Oh não pode esperar ver a irmã ser iniciada no Clã Gom, uma linhagem poderosa de bruxas curadoras coreanas à qual a sua família pertence há gerações. A sua irmã, Hattie, irá obter a sua pulseira Gi e, finalmente, ser capaz de fazer feitiços sem supervisão adulta. Apesar de Riley estar desesperada em seguir os passos da irmã quando fizer 13 anos, ela é uma saram, uma pessoa sem magia. Riley foi adotada e, embora tenha decorado todos os feitiços de cura, ela muitas vezes sente-se como uma estranha na família e na comunidade prendada.

Depois, a Hattie tem uma ideia: e se as duas fizessem um feitiço que possibilitasse a partilha da magia de Hattie com Riley? A investigação delas revela um encantamento promissor no livro de feitiços antigos da família e as irmãs decidem realizá-lo na cerimónia de iniciação de Hattie. No entanto, quando elas tentam quebrar as leis do Godrealm, a vida de Hattie corre perigo e, para salvá-la, Riley deve concretizar uma tarefa impossível: encontrar a última estrela caída. Mas o que é essa estrela e como deve ela encontrá-la? Durante a viagem na procura da estrela, Riley encontra criaturas fantásticas e colabora com os seus piores inimigos. Quando ela descobre segredos que desafiam tudo o que ela aprendeu a acreditar, Riley deve decidir o que significa ser bruxa, o que significa ser uma família e o que realmente significa pertencer.

É publicado pela Disney Book Publishing Inc.


The Last Fallen Star
Sinopse original.


 

E, finalmente, temos The Adventure is Now, de Jess Redman. Às vezes, é difícil ser Milton P. Greene. Ele diz as coisas erradas, a sua família está a destruir-se e toda a gente na escola evita-o por causa de um embaraçoso incidente, o Bird Brain Incident. Mas quando Milton joga o seu vídeo-jogo, Isle of Wild, ele torna-se noutra pessoa: Sea Hawk, um explorador naturalista brilhante e corajoso que enfrenta todos os perigos.

Entretanto, os pais de Milton fazem com que ele passe o verão na remota Lone Island, onde o seu tio Evan é um pesquisador ambientalista. A ilha está cheia de espécies espetaculares e Milton percebe que esta é a sua oportunidade para se tornar no naturalista corajoso e brilhante que ele sempre quis ser. Até pode conhecer outros exploradores! Contudo, o futuro da Lone Island corre perigo e a única coisa a fazer para salvá-la é um guia de terreno cheio de pistas crípticas. Se Milton e os seus novos amigos inesperados querem proteger a ilha, eles devem confiar uns nos outros, descobrir novas verdades e embarcar numa aventura maravilhosa.


É publicado pela Farrar, Straus and Giroux (BYR).


The Adventure Is Now
Sinopse original.

 

 

Por agora, é tudo. Na próxima semana, poderão ler a segunda parte da lista.


Até breve!



Opinião: The Ones We're Meant to Find, de Joan He

03.05.21, Daniela S.
Edição australiana de The Ones We're Meant to Find.

 

Em primeiro lugar, quero deixar o meu agradecimento à Text Publishing (editora australiana) e à NetGalley (plataforma de eARCs) por me terem cedido gratuitamente um eARC deste livro. Isto, no entanto, não irá influenciar a minha opinião acerca desta leitura.


Em The Ones We're Meant to Find, de Joan He, duas irmãs, separadas pelo oceano, tentam reencontrar-se a todo o custo.
 
Cee acordou numa ilha abandonada há três anos e não sabe como lá chegou. Agora com 18 anos, ela vive numa cabana com um android e uma única memória: ela tem uma irmã e ela deve escapar para encontrá-la.

Na segurança da eco-city que flutua acima da Terra, agora dizimada por desastres naturais, Kasey, de 16 anos, faz o luto por Cee, que deve estar morta. Ela também quer escapar: a eco-city deveria ser um santuário para as pessoas que querem salvar o planeta, mas os seus habitantes são capazes de tudo para terem um refúgio, até mentir. Estará Kasey pronta para usar a tecnologia para ajudar a Terra, apesar de ter falhado a sua irmã?

Cee e Kasey pensam que se conhecem bem e que o seu mundo é verdadeiro. Ambas estão erradas.



Este livro de Ficção Científica YA é explosivo e cativante e é de uma inteligência tremenda. Abordando temas como o luto, o meio ambiente e a humanidade, este romance distópico irá agradar os fãs de Black Mirror e de ficção distópica no geral.


Em primeiro lugar, o enredo está muito bem conseguido. A primeira metade do livro pode ser um pouco mais lenta, principalmente por causa dos termos científicos e tecnológicos usados. Mas é uma boa base para tudo o que acontece na segunda metade, que é, sem dúvida alguma, a melhor parte do livro. Se a primeira metade foi como uma preparação para algo mais forte, a segunda metade ultrapassou as expetativas criadas nos primeiros capítulos. As reviravoltas não apareceram do nada. Aliás, quando elas acontecem, percebemos logo o porquê e como acontecem e a magia das reviravoltas está aí, ou seja, no facto de a autora ter deixado peças do puzzle pelo caminho de forma tão brilhante ao ponto de conseguirmos uma imagem final arrebatadora. Não há pontas soltas (a não ser o fim relativamente aberto, que é uma jogada inteligente, uma vez que nos faz pensar não só na história em si, mas também no estado do planeta e da humanidade) e não há nada no enredo que nos faça pensar que há demasiada palha. É um enredo forte e bem conseguido que nos faz refletir ao explorar a humanidade e os seus defeitos e qualidades, o meio ambiente e a relação que o ser humano tem com ele, as capacidades da tecnologia e até que ponto usamos o que criamos e se é usada para um bem geral ou para satisfazer desejos egoístas. Enfim, é todo um leque de reflexões e de sentimentos mistos. É, deste modo, um enredo sensacional.
 
 
 
Os dois cenários principais do livro.
Esquerda: a cabana de Cee.
Direita: a eco-city onde Kasey vive.
Artista: Eduardo Vagas.
 

 
A escrita de Joan He é brilhante. É interessante como a história tem tanto a ver com a ciência, a Natureza e a tecnologia, mas a escrita é muito humana e bela, tendo, por vezes, pinceladas poéticas e passagens muito bonitas. Engana-se aquele que pensa que a escrita de um livro de Ficção Científica deve ser mais direta e objetiva. Estamos, afinal, a falar de ficção de qualquer forma. Não haverá poesia e beleza na ciência e na tecnologia? He tem uma escrita muito bonita e cativante. A única coisa não tão boa é o uso extremo de termos técnicos e científicos na primeira metade do livro. Fiquei confusa muitas vezes, mas isso também pode dever-se ao facto de o inglês não ser a minha língua materna e, assim, sentia dificuldade em perceber certas passagens e palavras. De qualquer forma, é uma boa escrita e também dá para ver nisso através dos capítulos, que eram focados alternadamente numa perspetiva de uma das irmãs. Dava para ver claramente que um capítulo era de Cee e o outro era de Kasey. Desta forma, a autora soube adequar o seu estilo à maneira de ser de cada irmã.


As personagens são o ponto forte do livro. São mesmo o meio para atingir o fim do livro, ou seja, são as personagens que dão propósito e alma à história. Cee é divertida e sentimental, apesar de dar demasiado valor à opinião que os outros têm dela, enquanto Kasey é mais racional e objetiva, sentindo que não percebe as outras pessoas. São personagens muito complexas e ricas em traços positivos e negativos, tornando a história mais dinâmica. É com estas duas irmãs que podemos explorar, de formas diferentes, o que é ser-se humano, como pode a tecnologia ser nossa amiga ou inimiga, o que devemos fazer pelo planeta e como devemos encarar esta nossa casa que, todos os dias, é maltratada pelos seus próprios habitantes. Há, ainda, outros temas abordados através destas duas irmãs, como o amor, a amizade, o luto e a moralidade.
Outras personagens que, embora sejam secundárias, têm, também, o seu valor e contribuem para a narrativa e as questões levantadas pelo próprio livro são Hero e Actinium. Hero é um rapaz que, um dia, do nada, surge na ilha de Cee. Sem memórias e sem saber o que faz na ilha, Hero acaba por ser aquele através do qual refletimos sobre o que realmente nos torna humanos. Actinium é um jovem que Kasey conhece quando ela tenta seguir o rasto deixado pela irmã. É através dele que podemos pensar sobre a nossa própria moralidade. Se tivéssemos o poder e a inteligência para ajudar a Humanidade, mas também tivéssemos desejos sombrios próprios, que caminho seguiríamos?
As restantes personagens, que funcionam como ideias gerais, mostram o ser humano no seu melhor e no seu pior. Por um lado, vemos pessoas a fazerem o que podem para arranjarem soluções para problemas graves que afetam toda a população. Por outro lado, temos pessoas extremamente egoístas. E, ainda, temos aqueles que não veem esperança no fundo do túnel e, devido ao egoísmo dos anteriores, sofrem e acabam por ficar corrompidos ao ponto de magoarem outros para poderem salvar a sua própria pele. Tudo isto porque outras pessoas nunca quiseram resolver os problemas mais cedo ou, simplesmente, não queriam resolvê-los.



Personagens do livro.
Esquerda: Hero e Cee.
Centro: Cee e Kasey.
Direita: Kasey e Actinium.
Artista: Paulina Klime.




Em suma, The Ones We're Meant to Find pode ter um início um pouco lento, prejudicado principalmente pelo vocabulário técnico e científico, mas as reviravoltas estonteantes, as  personagens complexas e o enredo cativante são surpreendentes. É não só um livro que nos entretém, como também nos faz questionar sobre o estado atual do planeta e da Humanidade. Joan He é uma autora a seguir.


Classificação: 4.5/5 estrelas.
 
 
O livro será lançado amanhã, dia 4 de maio.
 
 
Avisos de gatilho: Doença terminal; suicídio; violência; morte; morte de parente (não na página); vómito; grande escala de desastres naturais e de baixas em massa; gore.