Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Biblioteca da Daniela

A Biblioteca da Daniela

Wishlist: Setembro de 2021 (Livros em inglês) - Parte 2

30.09.21, Daniela S.

Hoje é o último dia de setembro, sendo, então, o dia ideal para falar sobre os livros infantojuvenis que foram publicados nos EUA este mês.

 

Em primeiro lugar, temos Yusuf Azeem Is Not a Hero, de Saadia Faruqi. Yusuf Azeem passou toda a sua vida na pequena cidade de Frey, no Texas, e esperou quase esse tempo todo pela oportunidade de participar na competição robótica regional, que ele sabe que irá ganhar.

No entanto, este ano vai ser mais difícil do que ele pensava, pois é o vigésimo aniversário dos ataques terroristas do 11 de Setembro, um aniversário que deixa toda a gente da comunidade muçulmana inquieta.

Com cartazes a dizer "Never Forget" em todo o lado e um grupo hostil das pessoas da cidade a protestar contra a nova mesquita, Yusuf percebe que a raiva do país que surgiu há duas décadas ainda persiste. Poderá ele segurar-se à sua alegria e às suas amizades no meio da dor e do preconceito?

Foi publicado pela Quill Tree Books a 7 de setembro.

 

Yusuf Azeem Is Not a HeroBook Depository.

 

 

A seguir, temos um livro de Fantasia inspirado na mitologia do sudeste asiático. Pahua and the Soul Stealer, de Lori M. Lee, tem como protagonista Pahua Moua, que é vista como sendo estranha. Como uma rapariga Hmong de 11 anos com uma habilidade única de ver espíritos, ela passa os seus dias de verão a cuidar do seu irmão mais novo e a brincar com o seu melhor amigo, um gato fantasma que mais ninguém vê.

Um dia, Pahua acidentalmente liberta um espírito raivoso de uma ponte assombrada na sua vizinhança. Quando o irmão dela fica doente repentinamente e não pode ser acordado, Pahua receia que o espírito da ponte possa ter roubado a alma dele. Ela volta à cena do crime com as antigas ferramentas de shaman da sua tia na esperança de confrontar o espírito e exigir que o seu irmão regresse. Ao invés, ela invoca um demónio.

Felizmente, um shaman guerreiro com um pequeno problema de atitude aparece no último minuto e salva-a. Com a ajuda deste guia, Pahua terá de encontrar o seu caminho entre os mundos dos espíritos e salvar a alma do seu irmão antes que seja tarde demais. O que ela não sabe é que ela fará as suas próprias descobertas ao longo do percurso.

Com personagens inesquecíveis, um sistema mágico baseado na natureza único, reviravoltas e revelações de cortar a respiração e uma grande batalha, esta história baseada na tradição oral Hmong oferece tudo o que um amante de Fantasia poderia querer.

Rick Riordan Presents lançou este livro a 7 de setembro.

 

Pahua And The Soul StealerBook Depository.

 

 

O terceiro livro da lista é Recipe for Disaster, de Aimee Lucido. Neste livro contemporâneo, Hannah Malfa-Adler é judia... mais ou menos. Não é que ela pense muito nisso. Ela prefere focar-se no seu passatempo favorito: fazer comida deliciosa! Mas quando a sua melhor amiga tem um Bat Mitzvah mais do que fantástico, Hannah começa a sentir-se um pouco invejosa... e um pouco deixada de parte. Apesar do "não" firme dos pais, Hannah sabe que, se conseguir aprender o suficiente sobre a sua própria fé, ela pode convencer os seus amigos de que a festa ainda está para acontecer. À medida que os segredos crescem, alguns estão prestes a explodir. Quando isso acontece, Hannah aprende que ser judia não é sobre ter uma grande festa e um vestido bonito e um primeiro beijo. É mesmo sobre ser-se judia. Mais importante do que isso, ela percebe que a única permissão que ela precisa para ser judia vem dela mesma.

 

Foi lançado pela Houghton Mifflin Harcourt/Versify a 14 de setembro.

 

Recipe for DisasterBertrand;
Wook;
Book Depository.

 

 

O próximo livro é perfeito para os miúdos que adoram slime! Em How to Win a Slime War, de Mae Respicio, Alex Manalo e o seu pai acabaram de se mudar para Sacramento para ajudar o mercado filipino da sua família, que está a passar por dificuldades. Alex gosta de ajudar na loja, mas a sua verdadeira paixão é fazer slime! Ele cria as suas próprias receitas e brinca com ingredientes, cores e coisas brilhantes ou irregulares diferentes, coisas que tornam o seu slime realmente especial. Um novo amigo incentiva Alex a vender as suas criações na escola, o que leva a uma luta de vendas com uma rapariga que antes tinha o monopólio de slime. O vencedor ganha o direito de se gabar e de ser o único a fazer slime na cidade.
Mas o pai de Alex pensa que ele deveria focar-se mais em passatempos mais típicos de rapazes e menos no slime. Como novo treinador de futebol, o pai quer que Alex faça parte da equipa. Embora ele odeie desportos, Alex aceita.
Alex está a lutar em várias frentes, quer com os novos amigos na escola, quer com o pai em casa. Será uma luta difícil até ao fim para ver quem sai por cima.

O livro foi publicado pela Random House Inc a 14 de setembro.

 

How to Win a Slime WarBertrand;
Wook;
Book Depository.

 

 

Por fim, temos Last Gamer Standing, de Katie Zhao, um livro de Ficção Científica. No mundo de Reyna Cheng, de 12 anos, jogar é tudo. Equipas profissionais de esports são as grandes celebridades. As crianças começam a treinar a partir de tenra idade para poderem chegar às grandes ligas.
Reyna é uma jogadora amadora júnior de Dayhold, combatendo uma batalha VR contra monstros de Inteligência Artificial e jogadores humanos. Apesar da sua crescente popularidade e das suas habilidades, ninguém sabe quem ela é. O mundo dos jogos ainda pertence muito ao clube dos rapazes e, para se proteger de trolls e do seu assédio, ela joga como o misterioso TheRuiNar.

Quando Reyna qualifica-se para o Torneio Junior de Dayhold, ela sabe que tem o que precisa para ganhar o título de campeã e o prémio de 10.000 dólares. É uma oportunidade para avançar com os seus sonhos de profissional de esports e ajudar a sua família com as dívidas de hospital da mãe.
Mas quando ela é chantageada por um troll anónimo, que ameaça revelar a identidade dela, Reyna deve lutar de cabeça contra a comunidade gaming tóxica.
Com os seus sonhos e o prémio por um fio, o jogo começa!

A Scholastic publicou o livro a 21 de setembro.

 

Last Gamer StandingBertrand;
Wook;
Book Depository.

 

 

 

Por agora, é tudo. Uma lista interessante, não acham?

 

Até breve!

 

 

 

Wishlist: Setembro de 2021 (Livros em inglês) - Parte 1

28.09.21, Daniela S.

Este mês, nos EUA, não faltaram novidades literárias para todos os gostos! Como saíram imensos livros nos Estados Unidos, terei de escrever duas publicações diferentes. A primeira será sobre livros YA e Adultos, enquanto a segunda será somente focada nos livros infantojuvenis.

 

Comecemos por um livro Adulto. Em The Inheritance of Orquídea Divina, de Zoraida Córdova, os Montoyas estão acostumados a uma vida sem explicações. Eles sabem melhor do que andar a perguntar como é que a despensa nunca tem poucas coisas ou nunca está vazia. Ou porque é que a matriarca deles nunca sai da casa deles em Four Rivers, nem mesmo para festas de finalistas, casamentos ou batizados. Mas quando Orquídea Divina convida-os para o seu funeral e para obterem a herança, eles esperam descobrir segredos que a matriarca guardou este tempo todo. Ao invés, Orquída transforma-se, deixando mais perguntas do que respostas.

Sete anos mais tarde, os seus dons manifestaram-se em formas diferentes para Marimar, Rey e a filha de Tatinelly, Rhiannon, garantindo-lhes bênçãos inesperadas. Mas uma figura escondida começa a infiltrar-se na árvore de família, acabando com eles um por um para destruir toda a linhagem de Orquídea.

Decididos a salvar o que resta da família e a descobrir a verdade sobre a sua herança, os quatro descendentes viajam até ao Equador, o lugar onde Orquídea enterrou os seus segredos e promessas quebradas e nunca mais olhou para trás.

Alternando entre o passado de Orquídea e o presente dos seus descendentes, este é um romance fascinante sobre o que herdamos dos nossos antepassados, consciente ou inconscientemente, os laços que nos unem e sobre reclamar o nosso poder.

Foi publicado pela Atria Books a 7 de setembro.

 

The Inheritance of Orquidea DivinaBertrand;
Wook;
Book Depository.

 

 

A seguir, temos um YA que é um reconto de um clássico muito conhecido que já ganhou imensas versões, quer no pequeno ecrã, quer no grande ecrã. Estou a falar sobre So Many Beginnings: A Little Women Remix, de Bethany C. Morrow.

Carolina do Norte, 1863. Enquanto a Guerra Civil Americana continua, a Colónia de Freedpeople em Roanoke Island desenvolve-se, sendo um porto seguro para os que foram recentemente emancipados. As pessoas negras começaram a construir a sua própria comunidade, um refúgio da sombra da antiga vida. É onde a família March conseguiu finalmente, de forma segura, criar raízes com as suas quatro filhas:

Meg, uma professora que espera encontrar o amor e ter a sua própria família;
Jo, uma escritora cujas palavras são demasiado poderosas para serem contidas;
Beth, uma costureira talentosa à procura de um propósito maior;
Amy, uma dançarina ansiosa por explorar a vida fora da casa da família.

À medida que as quatro irmãs tornam-se em jovens mulheres independentes, elas enfrentarão o primeiro amor, problemas de saúde, corações partidos e novos horizontes. Mas irão enfrentar tudo juntas.

 

A St. Martin's Press publicou este livro a 7 de setembro.

 

So Many Beginnings: A Little Women RemixBook Depository.

 

 

O próximo livro é visto como uma junção de The Conjuring com The Vow, sendo, portanto, um livro de terror. Em Small Town Monsters, de Diana Rodriguez Wallach, Vera Martinez só quer escapar de Roaring Creek e da reputação dos seus pais como demonologistas. Ela não tem as habilidades inatas dos pais e tem medo das coisas ocultas que espreitam na cave.

Maxwell Oliver supostamente deveria estar a aproveitar o verão antes do ano de finalista e passar os dias a pensar em festas e nos amigos. Todavia, ele está a tomar conta da sua irmã mais nova enquanto a mãe transforma-se em alguém que ele não reconhece. Ele suspeita que aquilo que ele pensava ser luto pela morte do pai pode ser algo mais... sinistro.

Quando Maxwell e Vera juntam-se, eles descobrem histórias profundamente perturbadoras sobre seitas, culto à morte e a verdadeira natureza que leva as pessoas ao mal.

Foi lançado a 7 de setembro pela Random House Inc.

 

Small Town Monsters

Bertrand (ebook);
Wook (ebook);
Book Depository.

 

 

A Dark and Starless Forest, de Sarah Hollowell, é um livro de Fantasia Contemporânea YA. Derry e os seus oito irmãos vivem numa casa isolada perto do lago, separada do resto do mundo por uma floresta misteriosa e ameaçadora. Frank, o homem que os criou depois de eles terem sido abandonados pelas suas famílias, diz que é para o bem deles. Aliás, o mundo não é seguro para pessoas com magia. E Derry sente-se segura. Grande parte do tempo. Até à noite em que a sua irmã mais velha desaparece. Jane e Derry juraram uma à outra que nunca iriam à floresta, não depois de a última viagem ter terminado em sangue, mas Derry tem a certeza de ter visto Jane a andar até às árvores. Quando um outro irmão desaparece e a verdadeira essência de Frank começa a revelar-se, sentir-se segura já não é uma opção. Derry irá arriscar tudo para proteger a família que lhe resta, mesmo se isso significa voltar para a floresta, que começou a chamar por Derry nas vozes dos irmãos desaparecidos. À medida que Derry passa mais tempo entre as árvores, a sua magia fica mais forte, bem como a escuridão dentro dela, a maldade que ela finge não existir. Mas salvar os irmãos da floresta e de Frank pode significar abraçar a escuridão. E isso pode ser a coisa mais perigosa de todas.

 

Foi publicado pela HMH Books for Young Readersa 14 de setembro.

 

Dark and Starless ForestBertrand;
Wook;
Book Depository.

 

 

A próxima novidade é Not Here to Be Liked, de Michelle Quach. Neste romance contemporâneo YA, Eliza Quan é a perfeita candidata para o lugar de editora-chefe do jornal da sua escola. Bem, até o ex-atleta Len DiMartile decidir concorrer contra ela por capricho. De repente, as suas vastas qualificações valem zero porque o inexperiente Len, que é alto, bonito e homem, parece-se mais com um líder.

Quando as frustrações de Eliza transformam-se num ensaio que se torna viral, ela encontra-se no meio de um movimento feminista que ela nunca quis começar, estando entre aqueles que acreditam que ela é uma campeã da igualdade de género e outros que pensam que ela apenas grita misoginia.

No meio da tensão crescente, a escola convida Eliza e Len a trabalhar lado a lado para mostrar civilidade. Mas, ao conhecerem-se um ao outro, Eliza sente estar presa numa realização horrível - ela pode estar a apaixonar-se pela cara do patriarcado.

Harper Children's lançou este livro a 14 de setembro.

 

Not Here to Be LikedBertrand;
Book Depository (capa dura);
Book Depository (capa mole).

 

 

White Smoke, de Tiffany D. Jackson, é a próxima novidade da lista. Neste thriller psicológico YA, Marigold está a fugir de fantasmas. Os fantasmas da sua antiga vida continuam a assombrá-la, mas a mudança da sua família recém-misturada da pequena cidade de praia da Califórnia para uma cidade movimentada no meio do oeste de Cedarville pode ser o novo começo que ela precisa. A mãe dela aceitou um novo emprego com a Fundação Sterling, o que lhes garante uma casa grátis, uma que Mari agora tem de partilhar com Piper, a meia-irmã malcriada de dez anos.

A renovada e perfeita casa em Maple Street, que fica entre casas dilapidadas e é rodeada por vizinhos cautelosos, tem os seus próprios segredos. Isso é apenas metade do problema: objetos da casa desaparecem, as portas abrem-se sozinhas, as luzes desligam-se, sombras passam por quartos, vozes podem ser ouvidas nas paredes e há um cheiro mau que escapa das aberturas que apenas Mari consegue notar. Pior do que isso, Piper continua a falar sobre um amigo que quer que Mari vá embora.

Mas "fugir dos fantasmas" é apenas uma metáfora, não é?

Mari entretanto descobre que o perigo não está limitado à Maple Street. Cedarville também tem os seus segredos. E os segredos sempre acabam por sair pelas rachaduras.

Este livro, que já foi parar ao topo da lista de bestsellers do New York Times, foi publicado pela HarperCollins Publishers Inc a 14 de setembro.

 

White SmokeBertrand;
Wook;
Book Depository (capa dura);
Book Depository (capa mole).

 

 

A seguir, temos All These Bodies, de Kendare Blake. Este nome é familiar porque há uma coleção de Fantasia desta autora, Três Coroas Negras, que foi totalmente publicada em Portugal pela Porto Editora. Desta vez, o seu novo livro é um thriller Jovem Adulto. No verão de 1958, um assassino macabro aterroriza o Midwest, deixando para trás corpos completamente sem sangue.

Michael Jensen, um aspirante a jornalista cujo pai é o xerife da cidade, nunca imaginou que os Assassínios Sem Sangue chegariam ao seu quintal, não até à noite em que a família Carlson foi encontrada morta na sua casa. Marie Catherine Hale, uma rapariga de 15 anos, foi encontrada na cena do crime coberta de sangue. Ela é a única suspeita detida.

Michael nunca pensou que faria parte da investigação, mas Marie decide que ele é o único a quem ela irá confessar. Enquanto Marie conta a sua versão da história, Michael acaba por ser aquele que tem de encontrar a verdade: O que realmente aconteceu na noite em que os Carlsons foram mortos? E como foi uma rapariga parar no meio de todos esses corpos?

 

A Quill Tree Books lançou este livro a 21 de setembro.

 

All These BodiesBertrand;
Wook;
Book Depository (capa dura);
Book Depository (capa mole).

 

 

O penúltimo título da lista de hoje é Iron Widow, de Xiran Jay Zhao. Este livro de Ficção Científica YA é descrito como uma junção de Pacific Rim com The Handmaid's Tale e História chinesa.

Os rapazes de Huaxia sonham em fazer par com raparigas para pilotar Chrysalises, robots transformadores gigantes que conseguem combater contra os aliens mecha que se escondem além da Grande Muralha. Não interessa se as raparigas, muitas vezes, morrem devido à tensão mental.

Quando Zetian, de 18 anos, oferece-se como uma concubina-piloto, ela pretende assassinar o piloto ace responsável pela morte da irmã dela. Mas ela consegue a sua vingança de forma inesperada: ela mata-o através da ligação psíquica criada entre os pilotos e sai do cockpit incólume. Ela é rotulada de Viúva de Ferro, um tipo de piloto feminina muito temida e silenciada que pode sacrificar rapazes para dar energia aos Chrysalises.

Para controlar a sua força mental enervante, mas inestimável, ela faz par com Li Shimin, o piloto masculino mais forte e controverso de Huaxia. Mas agora que Zetian provou um pouco de poder, ela não irá encolher-se tão facilmente. Ela não perderá uma única oportunidade para usar o seu poder e a sua infâmia para sobreviver a cada atentado contra a sua vida até ela perceber a razão pela qual o sistema de pilotos funciona de uma forma sexista, para impedir que mais raparigas sejam sacrificadas.

Penguin Teen publicou este livro a 21 de setembro.

 

Iron Widow
Bertrand;
Wook;
Book Depository (capa dura);
Book Depository (capa mole).

 

 

Por fim, temos Beasts of Prey, de Ayana Gray. Neste primeiro livro de uma nova coleção de Fantasia, a magia já não existe na cidade partida de Lkossa, principalmente para raparigas como Koffi, de 16 anos. Escolhida para o notório Night Zoo, ela cuida das suas criaturas míticas e temíveis para pagar as dívidas da família e assegurar a sua liberdade. Contudo, quando a segurança dos seus ente queridos é ameaçada pelo mestre cruel do Zoo, Koffi liberta um poder que ela não percebe totalmente.

Como filho de um herói condecorado, Ekon está apenas destinado a tornar-se num guerreiro de elite até um fogo no Night Zoo perturbar o seu futuro certo. À beira do seu último ritual de passagem, Ekon é expulso, deixando a sua reputação em pedaços.

Para Koffi e Ekon, as perspetivas são sombrias, a não ser que consigam capturar Shetani, o monstro cruel que assola a cidade, e, assim, recuperar os seus futuros. Mas derrotar Shetani é algo que nunca foi antes feito, apesar de muitos terem tentado. Quando Koffi e Ekon entram na Greater Jungle, um mundo mergulhado em magia selvagem e perigos incalculáveis, a tentativa de aliança entre eles é testada ao extremo.

A caça começa, mas serão eles os caçadores ou os caçados?

É lançado hoje, 28 de setembro, pela G.P.Putnam's Sons Books for Young Readers'.

 

Bertrand.pt - Beasts Of PreyBertrand;
Wook;
Book Depository (capa dura);
Book Depository (capa mole).

 

 

Termino, assim, a primeira parte da wishlist de setembro relativamente a novidades dos EUA. O que acham destes lançamentos?

 

 

 

Wishlist: Setembro de 2021 (Portugal) - Parte 2

27.09.21, Daniela S.

Há uns dias, foram publicados dois livros infantojuvenis mágicos que, por terem ilustrações tão lindas, estão na minha wishlist. Aliás, já comprei o primeiro. O terceiro livro desta publicação sai amanhã e é uma história relacionada com uma série de grande sucesso da Netflix.

 

 

Aqui está a sinopse do livro que já comprei:

A Anna está furiosa porque tem de deixar a sua casa, a escola e a cidade onde vive. Vai mudar-se com os pais para Moonville, uma aldeia antiquada no meio de um bosque cheia de lendas e segredos.

Por exemplo:

Quem é o gato misterioso que segue a Anna para todo o lado?
Pode o gato ser de uma bruxa?

Esperem lá um momento… e se a bruxa for ela?

 

Bertrand.pt - Anna Kadabra - O Clube da Lua CheiaBertrand;
Wook.

 

 

A Oficina do Livro publicou o segundo livro da coleção dias depois. Eis a sua sinopse:

Em Moonville estão sempre a acontecer coisas estranhas, mas é a primeira vez que se vislumbra cocó com purpurina!

O culpado parece ser um pequeno porcórnio, um animal voador, metade porco metade unicórnio.

A Anna Kadabra e os amigos do Clube da Lua Cheia têm de o pôr a salvo antes que os seus inimigos, os malvados Caça-Bruxas, o descubram.

 

Bertrand.pt - Anna Kadabra - Um Problema com AsasBertrand;
Wook.

 

 

Por fim, apresento-vos Sex Education - The Road Trip, de Katy Birchall. Neste romance contemporâneo que funciona como um acréscimo à série da Netflix, "o irmão de Maeve está de novo em apuros o que não é propriamente uma surpresa. Sean acaba na prisão depois de ter sido acusado de um crime por um grupo de rapazes ricos.

Como Maeve é a única família que lhe resta, decide ir em seu auxílio. Mas com Otis, o improvável guru de sexo, a seu lado, a amiga Aimee no lugar do condutor, e Eric no banco de trás, Maeve não parte para esta missão sozinha. Por muito que quisesse

As provas contra Sean parecem bastante irrefutáveis. Conseguirão Maeve e os amigos desatar o emaranhado de medos secretos, amores ocultos e motivos obscuros por trás deste caso e descobrir toda a verdade?

Um livro que tem tudo o que os fãs adoram: relacionamentos entre adolescentes, personagens com profundidade emocional, honestidade sem limites, um enredo misterioso e muito humor".

Será publicado amanhã, 28 de setembro, pela Nuvem da Tinta.

 

Bertrand.pt - Sex Education - The Road TripBertrand;
Wook.

 

 

 

O que acham destes livros? Que novidades de setembro compraram ou gostariam de comprar?

 

Até breve!

 

Wishlist: Setembro de 2021 (Portugal) - Parte 1

 

Opinião: A Imperatriz da Lua Brilhante, de Weina Dai Randel

24.09.21, Daniela S.

Bertrand.pt - A Imperatriz da Lua Brilhante

 

Sinopse oficial: No palácio da China imperial, uma concubina aprende rapidamente as várias técnicas para conquistar o coração do imperador, o Único acima de Todos: pintar a cara de branco, desenhar um sinal de beleza, fazer penteados elaborados… Mei é convocada aos 13 anos para a corte do palácio na China imperial, uma honra que resgatará a sua família, outrora nobre e influente, da miséria.

Porém, ela rapidamente descobre que para se aproximar do imperador e conquistar o seu coração terá de ultrapassar obstáculos perigosos. Como desconhece a arte da sedução, no dia do aniversário do imperador, Mei oferece-lhe um presente singular: uma adivinha. Porém, quando lhe parecia que estava em posição de seduzir o homem mais poderoso da China, Mei apaixona-se por Faisão, o filho mais novo do imperador. Contudo, uma tentativa de assassinato ao imperador provoca uma luta terrível pelo poder na corte imperial. E Mei terá de se servir das suas excelentes capacidades de inteligência, sabedoria e engenho para escapar e salvar o amor da sua vida.

Baseando-se em factos reais, Weina Dei Randel pinta de forma notável o quadro da China antiga, em particular da corte imperial, em que o amor, a ambição, a intriga e os jogos de poder podem determinar a vida ou a morte.

 

 

 

Este livro baseia-se numa figura da História da China, a Imperatriz Wu Zetian. Neste livro, ela chama-se Mei e é uma rapariga que nasceu numa família nobre que, devido à morte do pai, caiu na desgraça. Mei vê que as coisas podem melhorar quando é convocada para ser uma concubina do imperador. Não faltam intrigas, traições e táticas inteligentes que deixam o leitor curioso até chegar à última página. Mas será o livro sempre assim tão bom?

 

A linha narrativa não é complicada: Mei quer salvar a sua família da miséria e, por isso, ao ser convocada para ser concubina, aceita sem problemas. Aliás, ela promete a si mesma que fará tudo para estar no topo da hierarquia das concubinas, ou seja, ela pretende ser A Mais Adorada, uma posição de respeito e de alto nível que garante segurança e uma vida relativamente boa. No entanto, há problemas políticos que nada têm a ver com ela que poderão dificultar os seus planos, já para não falar que ela acaba por se apaixonar pelo filho mais novo do imperador. Posto isto, por um lado, temos Mei como uma jovem que gostaria muito de ser uma rapariga normal e livre para poder estar com quem realmente ama. Por outro lado, temos uma Mei astuta que quer ajudar a sua família e ganhar poder. Este contraste entre a ingenuidade e a pureza do amor entre Faisão e Mei e as intrigas políticas e a vida de concubina foi feito de forma interessante e tornou a história mais rica.
Desconheço a História da China, mas penso que a junção equilibrada dos factos históricos com a imaginação da autora funcionou muito bem neste livro, captando a atenção e o interesse do leitor. Realço, no entanto, que é uma leitura lenta e pode dar a sensação de que nunca mais acaba, mesmo quando os pormenores históricos e as personagens são interessantes.
A violência, a deslealdade, a desconfiança e o medo são coisas que vêm com o poder imperial e isso está muito bem explícito ao longo da história. Comentários sociais sobre o papel da mulher num mundo onde o poder é só dos homens também estão muito presentes neste livro. Devido à hierarquia das concubinas, há muita competição, raiva e inveja, mas também há espaço para a amizade e a entreajuda. Algumas são muito influentes e, de certa forma, acabam por ter o seu próprio poder, mesmo que sejam, ainda assim, dependentes e inseguras quanto à sua vida. É neste ambiente que Mei, que entra nele aos 13 anos, aprende a ser perspicaz, sedutora e inteligente. É muito interessante vê-la a desenvolver-se e a transformar-se numa mulher com potencial enquanto os homens não se apercebem disso devido aos seus próprios planos e conspirações.

 

 

MooninthePalaceCapa da edição dos EUA.

 

A criação de personagens complexas que se desenvolvem ao longo da história é, assim, um ponto forte e positivo de Weina Dai Randel. São personagens credíveis com atitudes e pensamentos expectáveis tendo em conta a situação de cada um. São, por isso, personagens muito humanas. São figuras que compõem um elenco muito diversificado em termos de objetivos e maneiras de ser. Existem pessoas honestas e simpáticas, pessoas mentirosas e egoístas, pessoas ingénuas e tontas. Estas personagens, quer as que têm objetivos políticos, quer as que apenas querem sobreviver, fazem com que este romance seja cativante.
Apesar disso, penso que a relação amorosa entre Mei e Faisão deveria ter sido mais desenvolvida. A pureza do amor deles é palpável, mas não suficientemente encantadora.


Por fim, relativamente à escrita, esta não é floreada, mas sim clara e precisa, não sendo aborrecida ou menos fascinante. As descrições da vida na corte imperial são equilibradas e visuais. Entra-se facilmente no cenário graças às descrições das roupas, das tradições, dos eventos e da arquitetura do palácio. Digo que são equilibradas porque não tornam o livro enfadonho e, pelo contrário, enriquecem-no. A escrita também mostra o trabalho que a autora teve na sua pesquisa histórica e como ela conseguiu transformar essa pesquisa num romance histórico intrigante e não num livro de ficção que se parece mais com um manual escolar com um pouco de imaginação.

 

 

https://www.weinarandel.com/wp-content/uploads/2016/03/Thai-Empress.jpgCapa da edição da Tailândia.

 

Em suma, A Imperatriz da Lua Brilhante é fascinante graças às descrições cinematográficas e envolventes sobre a vida na corte imperial chinesa (desde as roupas até aos espaços do palácio) e às personagens muito humanas e complexas. Acrescenta-se, ainda, o talento da autora em escrever um romance histórico que não se pareça com uma aula de História. É pena o facto de a relação entre Mei e Faisão ter aparecido rapidamente e não ter tido grande desenvolvimento. O livro também pode parecer maçudo devido às constantes conspirações e momentos da vida palaciana um pouco repetitivos. Ainda assim, é uma leitura interessante.

 

Classificação: 4/5 estrelas.

 

 

Sweater Weather Readathon

22.09.21, Daniela S.

Imagem

 

Até agora, tenho tentado participar em readathons/maratonas literárias, mas as coisas nunca correm bem... Acabo sempre por ler apenas um ou dois livros, o que é o mesmo que dizer que abandono a maratona. Contudo, espero fazer melhor na Sweater Weather Readathon!

 

É uma readathon que irá durar uma semana (21 a 27 de outubro) e foi criada por três booktubers: Zoë (Youtube e Instagram), Abigail (Youtube e Instagram) e Olivia (Youtube e Instagram). É perfeita para quem adora o outono e coisas aconchegantes.

 

 

Imagem

 

 

Esta readathon, ao contrário do que normalmente acontece, tem duas listas de desafios, sendo uma delas a lista com as propostas de leitura e a outra é para fotografias no Instagram. Primeiro, temos a lista literária:

 

  • Lê um livro com cor de laranja na capa;
  • Lê um livro cuja ação passe durante o outono;
  • Lê um livro num formato que não é o habitual para ti;
  • Lê um livro com uma palavra relacionada com o outono no título;
  • Lê um livro backlist (publicado antes de 2021).

 

 

Imagem

 

 

Por fim, temos a lista dos desafios fotográficos:

 

  • Dia 1: Os livros que irás ler durante a readathon;
  • Dia 2: Bebida ou deleite inspirado no outono;
  • Dia 3: Lugar de leitura aconchegante;
  • Dia 4: Leitura do momento + o exterior;
  • Dia 5: Outfit outonal aconchegante;
  • Dia 6: Decoração de casa outonal;
  • Dia 7: Abóbora.

 

Imagem

 

Poderão acompanhar a maratona através do Twitter e do Discord, bem como pelas redes sociais das criadoras.

 

O que acham desta maratona? Espero fazer um bom trabalho desta vez!

 

Até breve!

 

 

 

Opinião: Tunnel of Bones (Cassidy Blake #2), de Victoria Schwab

20.09.21, Daniela S.

Tunnel of Bones (City of Ghosts #2)Capa da edição britânica.

 

Tunnel of Bones, de Victoria Schwab, é o segundo livro da trilogia infantojuvenil sobrenatural Cassidy Blake. Desta vez, Cassidy e o seu melhor amigo fantasma, Jacob, estão em Paris, onde os pais dela estão a filmar para o seu programa sobre as cidades mais assombradas do mundo. Claro que é divertido comer croissants e ver a Torre Eiffel, mas há verdadeiros perigos fantasmagóricos debaixo de Paris, nas arrepiantes Catacumbas. Quando Cass acidentalmente acorda um espírito forte, ela deve usar as suas habilidades de caçadora de fantasmas (ainda a desenvolverem-se) e pedir ajuda a velhos e novos amigos para desvendar um mistério. Mas o tempo está a esgotar-se e o espírito está a ficar cada vez mais forte.
Se Cass falhar, a força que ela libertou poderá assombrar a cidade para sempre.

 

Mais uma vez, Schwab maravilha-nos com uma história fantasmagórica sobre amizade, resiliência e a importância de continuar a lutar apesar de todos os obstáculos. Desta vez, o cenário é Paris e, de facto, a autora sabe transportar-nos até lá com as suas descrições cinematográficas e referências à comida francesa e aos grandes símbolos da capital francesa. A sua escrita continua a ser fascinante, mas será que gostei deste livro tanto quanto gostei do primeiro?

 

Tunnel of Bones (City of Ghosts #2), 2Capa da edição dos EUA.

 

Tal como no primeiro livro, é muito fácil acompanhar o enredo deste segundo capítulo. Mais uma vez, Cassidy e as restantes personagens vão para um sítio por causa das filmagens de um programa sobre o sobrenatural. Vão para Paris, onde ficam maravilhados com a sua beleza e História, principalmente com as Catacumbas. No entanto, sem querer, Cassidy acorda um espírito e, assim, ela percebe logo que tem mais uma batalha a travar, ao lado de Jacob e outras pessoas. A linha narrativa é, portanto, simples, deixando-nos, na mesma, curiosos sempre que viramos a página. Além disso, a sua simplicidade torna este livro numa leitura rápida e prazerosa. Ainda assim, gosto mais do primeiro livro do que do segundo. Penso que o vilão do primeiro era mais cativante e assustador do que o do segundo livro. Todavia, Tunnel of Bones, ao contrário de City of Ghosts, é mais focado nos sentimentos, medos e receios das personagens, bem como na presença constante da morte e na vida de Jacob antes de ser um fantasma. Neste livro, Cassidy reflete mais sobre como, um dia, Jacob terá de desaparecer para sempre, tendo em conta que é um fantasma que está há demasiado tempo no mundo dos vivos. Ela até sonha que ele irá transformar-se num poltergeist, um tipo de fantasma que gosta de caos, e ela não quer isso para o seu amigo. Ou a amizade acaba um dia, ou, então, ela terá de usar os seus conhecimentos como caçadora de fantasmas contra o amigo.

 

As personagens, deste modo, ganham mais vida neste livro, principalmente Jacob. Pode ser um fantasma, mas este livro dá-nos mais detalhes sobre a vida dele antes de falecer, passando a ser uma personagem mais ativa e presente, tendo em conta que era apenas um braço direito engraçado de Cassidy no primeiro livro, e não uma personagem com uma personalidade mais vincada e única.
As dinâmicas entre as personagens são sempre um dos pontos fortes de Schwab. Ela é sempre capaz de criar relações cativantes e autênticas entre personagens. Neste caso, é muito curioso ver Cassidy lidar com os seus novos conhecimentos enquanto uma caçadora de fantasmas que, ao mesmo tempo, tem um amigo fantasma. Lara, uma personagem do primeiro livro, reaparece nesta história como a enciclopédia do mundo dos caçadores e dos fantasmas e é bom ver a inclusão da tecnologia como uma grande ajuda na missão, isto é, já basta de histórias infantojuvenis onde a tecnologia é sempre vista como uma inimiga ou algo mesmo muito mau.
Neste segundo volume, aparece mais uma criança que quer ajudar Cassidy e Jacob, Adele Laurent. Ela estava simplesmente aborrecida e juntou-se aos dois jovens para descobrir a identidade do poltergeist. Parece-me que Adele representa todos os leitores que leem precisamente para terem as suas aventuras e uma vida fora da vida dita normal.

Não posso terminar esta opinião sem mencionar o estilo de escrita de Schwab. Mais uma vez, de forma brilhantemente cinematográfica, ela faz-nos viajar pelos locais que as personagens visitam. Melhor do que isso, ela sabe muito bem como criar um ambiente atmosférico e sombrio, ideal para um livro sobrenatural como este. É uma escrita deliciosa e, como dizem em inglês, spooky.

 

Cassidy Blake - tome 2 Plongée dans les catacombes (2) (French Edition):  Schwab, Victoria, Dali, Sarah: 9782371022898: Amazon.com: BooksCapa da edição francesa.

 

Em suma, Victoria Schwab está de parabéns por ter escrito mais um livro infantojuvenil sobrenatural sensacional e cativante. Gostei muito mais do primeiro, mas Tunnel of Bones mantém o estilo de escrita fenomenal, atmosférico e visual de Schwab e uma linha narrativa interessante que proporciona uma leitura rápida e agradável. Além disso, as personagens estão mais desenvolvidas nesta história, passaram por aventuras incríveis e fizeram novas descobertas, deixando o leitor mais curioso em relação ao terceiro livro. Recomendo a leitura deste livro, bem como do anterior!

 

Para lerem a minha opinião sobre o primeiro livro, cliquem aqui.

 

Classificação: 4/5 estrelas.

 

P.S.: O Grupo Almedina, que já publicou quatro livros de Victoria/V.E. Schwab, confirmou que irá publicar mais livros da autora em 2022. Será que irão, pelo menos, publicar City of Ghosts? Veremos!

 

Até breve!

 

 

Clube Literário Read with Daniela: Leituras de outubro

16.09.21, Daniela S.

Já estamos a meio de setembro, o que significa que está na hora de divulgar as leituras do Read with Daniela para outubro!

 

Em primeiro lugar, temos o livro em português. É uma novidade no mercado editorial nacional que conquistou logo a atenção dos bookstagrammers portugueses. Estou a falar d'As Mulheres Douradas, de Namina Forna, um romance de Fantasia jovem-adulto.

Sinopse oficial: Somos raparigas ou somos demónios? Vamos morrer ou vamos sobreviver?

Deka, de 16 anos, devido à sua intuição e natureza sente-se diferente e vive com medo do ritual do sangue, o qual irá determinar se pode ou não ser um membro da sua aldeia. Se o seu sangue correr vermelho, será aceite pela comunidade. Mas no dia da cerimónia o seu sangue revela ser dourado - a cor da impureza, de um demónio, e as consequências serão pior do que a morte.

A jovem vê-se forçada a abandonar a aldeia onde sempre vivera na companhia de uma mulher misteriosa e a juntar-se a um exército de raparigas como ela - as alaki. Um grupo de raparigas quase imortais com dons raros e as únicas capazes de travar a maior ameaça do império.

Mas, à medida que avança até à capital para treinar para a derradeira batalha, Deka descobre que a grande cidade murada encerra em si muitas surpresas. Nada nem ninguém é exatamente o que parece ser - nem mesmo Deka…

 

 

Gatilhos: Racismo; Homomisia; Misoginia; Violação; Violação de uma criança (mencionada); Auto-mutilação (corte) para ritual; Sangue e ferimentos físicos; Assassinato gráfico; Tortura; Morte; Perda de um parente; Fome; Trauma.

 

 

Mulheres DouradasBertrand;
Wook;
Almedina;
Leya;
RELI.

 

 

 

E a leitura em inglês é um infantojuvenil sobrenatural que li no ano passado. Adorei imenso esta aventura e acho que muitos outros leitores também irão gostar de conhecer Lucely, Syd e o gato Chunk! Não percebo como ainda não foi publicado cá... De qualquer forma, Ghost Squad, de Claribel Ortega, é a leitura ideal para o Halloween!

 

Sinopse da minha autoria: É um livro infantojuvenil sobrenatural inspirado numa crença da cultura dominicana, a de que os pirilampos são as almas dos entes queridos falecidos. Lucely e Syd são as grandes traquinas do livro. Uns dias antes do Halloween, Lucely descobre que o pai e ela podem perder a casa. Além disso, parece que os pirilampos dela, ou seja, as almas dos seus familiares, estão a enfraquecer e podem desaparecer de vez. Por isso, as duas meninas usam um feitiço que, pensavam elas, poderia salvar os pirilampos. No entanto, o feitiço despertou espíritos malignos. Como irão as duas resolver esse problema? Será que Lucely irá conseguir salvar a sua casa e os seus pirilampos?

 

Gatilhos: Ataques de ansiedade; Bullying (mencionado); Morte de um parente.

 

 

Ghost SquadBertrand;
Wook;
Book Depository;
Blackwell's.

 

Recordo que podem ler estes livros em qualquer formato e adquiri-los através de outras livrarias. Apenas deixo sugestões.

 

Então, o que acham destas escolhas para outubro? Até breve!

 

 

 

Opinião: Frankly in Love, de David Yoon

07.09.21, Daniela S.

Frankly in Love | Amazon.com.br

 

P.S.: Esta opinião contém spoilers. Se ainda não leram o livro, passem para o próximo parágrafo depois de verem a palavra spoilers assim: SPOILERS.

 

Frankly in Love, de David Yoon, é um romance contemporâneo YA sobre um rapaz coreano-americano, Frank,  que quer namorar com uma rapariga branca, mas os seus pais querem que ele namore com alguém que também seja de ascendência coreana. Deste modo, ele faz um pacto com uma amiga coreano-americana, Joy, cujos pais são como os pais dele. Só que nenhum dos jovens pensava que o amor iria crescer entre eles...

 

Apesar de a minha própria sinopse estar focada na vida amorosa do protagonista, na realidade, o amor não é exatamente o grande tema do romance. Este livro, de forma muito direta, explora o racismo, a xenofobia, o "anti-blackness" na comunidade coreana, entre muitos outros assuntos sociais. É, portanto, um livro carregado de mensagens sociais, mas também de sentimentos e experiências típicas da adolescência.

 

O enredo é muito simples: Frank é coreano-americano e os seus pais querem muito que ele namore com alguém como ele. No entanto, ele está apaixonado por uma rapariga branca. Entretanto, uma amiga dele, Joy Song, que também é coreano-americana, tem o mesmo problema. Assim, eles fazem um pacto: perante os pais, eles fingem ser namorados. Fora das suas casas e dos seus meios familiares, eles estão com os seus respetivos pares. Era suposto ser um plano simples, mas, depois, os sentimentos mudam...
Ao longo da história, não vemos tanto sobre esta parte da vida de Frank. Vemos, sim, Frank a explorar questões como a dualidade da sua identidade e o facto de ele não gostar da forma de pensar dos pais. Frank está sempre a falar sobre racismo, xenofobia, as diferenças entre a sua geração e a geração dos pais e as relações familiares complexas. É interessante ver como o autor alude imensas vezes o racismo que existe entre pessoas da comunidade coreana em relação aos que não são coreanos, principalmente relativamente a pessoas negras. Por exemplo, a irmã de Frank namora com um homem negro e os pais não aceitam o relacionamento.
Posto isto, é um romance contemporâneo YA que explora mais as temáticas importantes e atuais como as que foram mencionadas do que Frank e os seus amigos como adolescentes.
O problema nisto é que muitos leitores, eu inclusive, pensavam que iria ser um livro amoroso com linhas narrativas que muitos adoram, como o triângulo amoroso e o namoro falso. Ao verem que, afinal, esses aspetos narrativos não existem numa grande escala, acabaram por não gostar muito do livro e sentiram-se enganados. De facto, a editora deveria ter tido mais cuidado quanto à sinopse e às próprias estratégias de marketing, que apresentavam em grande destaque a situação do triângulo amoroso. Outras pessoas, mesmo depois de perceberem que o amor não era o grande tópico da história, acabaram por, pelo menos, gostar do livro na mesma devido à forma como o protagonista está atento ao mundo que o rodeia.
No meu caso, acho que a abordagem dos temas e o triângulo amoroso deveriam existir nas mesmas medidas, uma vez que... As relações amorosas não eram genuínas e não faziam grande sentido. Não foram desenvolvidas ao ponto de serem algo, pelo menos, realista. Frank gosta de Brit, a rapariga branca, porque.... é bonita. Não há muito mais para além disso. Devido ao namoro falso, ele acaba por não estar muito com Brit e os seus sentimentos por ela não são mais do que atração física e não crescem. Quanto a Joy... Foi tudo muito repentino. Durante o namoro falso, viram que tinham muitas coisas em comum e divertiam-se imenso juntos e... pronto... Apaixonaram-se e, SPOILERS, deram início a uma relação verdadeira, traindo os seus respetivos pares, o que é horrível. Eu odeio histórias que parecem validar a traição e esta parte da história foi, para mim, uma das piores partes do livro.

 

FILFonte.

 

Quanto à escrita, não sei se gostei do estilo de Yoon. Houve momentos em que achei a escrita um pouco pretensiosa. O pior são certas piadas que... não têm piada. Não me lembro de exemplos concretos, mas há coisas muito estranhas e esquisitas ao longo do livro. Alguns leitores disseram que o autor tentou ser peculiar como John Green e consigo ver a lógica nesse argumento. Green ficou conhecido por ter personagens ímpares que se acham muito filosóficas e especiais em relação aos meros mortais que não passam a vida a dizer citações memorizadas. Yoon pareceu querer criar um estilo também peculiar e ímpar, mas... Acabou por ser um estilo apenas estranho. Talvez a melhor parte da sua escrita seja a forma como incluiu os temas sociais acima referidos e os momentos que destacam a cultura coreana e as suas tradições. Os mesmo foram abordados de forma simples, mas eficaz.

 

Relativamente às personagens... Parto já para a melhor parte: Frank e os pais. No início, Frank revolta-se muito, especialmente interiormente e não propriamente à frente dos pais, contra a maneira de pensar deles. Entretanto, ele vai percebendo as razões pelas quais eles têm os preconceitos que têm. Ele não aceita, claro, mas começa a compreender as suas opiniões e maneiras de ser e quer melhorar a sua relação com eles. De resto...
Primeiro, como já disse, a ligação entre ele e Brit é nada mais do que algo físico. Não há mais nada ali. Nada. Por causa disso, Brit não passa de uma menina bonita. Ela não tem personalidade. É como se ela existisse apenas devido à sua beleza e por ser um desafio aos ideais dos pais de Frank. Depois, Joy... Nem deu para perceber como surgiram os sentimentos supostamente genuínos entre eles. Pelos vistos, devido às semelhanças que partilhavam enquanto coreano-americanos, Frank de repente percebeu que gostava dela. Joy, que tinha um namorado, foi na onda de Frank e começaram a namorar. Joy também não é muito diferente de Brit relativamente a personalidades. Há poucas diferenças, como o facto de Joy ser um pouco mais rebelde, "boa onda" e... Não sei mais o que dizer, sinceramente. É interessante ver como, mais uma vez, a personalidade de uma personagem feminina não foi bem desenvolvida.
Quanto a Frank, é muito difícil gostar dele. Por vezes, o seu humor e o sarcasmo são bons, mas eram mais vezes estranhos do que bons. Ele critica os pais por julgarem aqueles que não são como eles, mas Frank não é muito diferente deles ao estar constantemente contra a geração anterior. É perfeitamente válido criticar a geração dos pais e ele faz críticas muito boas, mas ele próprio é preconceituoso. Depois, há o facto de ele não querer saber de nada que seja mais complexo e profundo relativamente a raparigas e relações amorosas. Portanto, não sei se gostei dele. As críticas sociais e o facto de estar atento à sociedade em que está inserido devem ser os aspetos mais positivos desta personagem.
Por último, gostaria de falar sobre Q, mas tenho de avisar que há SPOILERS a seguir. Q, um rapaz negro, é o melhor amigo de Frank. É com ele que Frank fala sobre a sociedade e raparigas. Também jogam jogos e fazem outras coisas do género. E é isto. Não há muito mais. No entanto, queria falar sobre ele porque o autor achou por bem usá-lo como um plot twist: Q é gay, ama Frank e beija-o nas últimas páginas. Acho que não é nada bom quando um autor deixa cair de paraquedas uma personagem gay só para tornar o protagonista na melhor pessoa de sempre ou para fazer com que o livro seja um pouco mais diversificado. Uma personagem secundária gay não deve existir para enaltecer o protagonista ou o próprio livro. Se é para incluir uma personagem gay, a mesma deve existir como um todo, como uma pessoa autêntica, não como um meio para atingir um fim.

 

 

14 people who weren't prepared for the Frankly in Love trailer - Penguin  TeenImagem do book trailer.
Fonte.

 

Concluindo, é engraçado como, no final da leitura, eu não tinha tantos apontamentos negativos relativamente a Frankly in Love. Eu até tinha gostado da experiência de leitura. Mas há mesmo mais aspetos negativos do que positivos. Sim, continuo a gostar de como o autor falou sobre o racismo, a xenofobia, a diáspora, famílias complexas, etc. Também há momentos divertidos. No entanto, a sua escrita um pouco pretensiosa, as suas personagens com personalidades pouco desenvolvidas ou inexistentes e o enredo simples, mas pouco satisfatório em comparação ao que era prometido pela sinopse são aspetos que devem ser apontados.

 


Classificação: 3/5 estrelas (mas 3 estrelas fracas).

 

 

Wishlist: Setembro de 2021 (Portugal)

03.09.21, Daniela S.

Setembro acabou de chegar e já está a pôr um sorriso na minha cara, pois há imensas novidades fascinantes no mercado nacional este mês!

 

Em primeiro lugar, apresento-vos um livro infantojuvenil português que promete ter muitos mistérios e aventuras. Em Colégio do Templo - O Corvo, de Nuno Bernardo, "Sara tem 15 anos e acaba de chegar ao misterioso Colégio do Templo, em Tomar. Os últimos meses não têm sido fáceis, e a mãe decidiu colocá-la num colégio interno. Se pelo menos conseguisse mudar o que aconteceu… certamente nunca teria ido parar ali. Mas foi.

E que sítio é aquele de que ninguém ouviu falar e que nem sequer aparece na Internet?
Que segredos escondem aquelas paredes?

Com a ajuda dos seus novos colegas, Sara percebe que aquele é, afinal, um colégio para pessoas com dons especiais. Pessoas como ela…

Só que Sara não chega numa boa altura. Uma das alunas do colégio, Alice, desapareceu sem deixar rasto. na tentativa de descobrir o que lhe aconteceu, Sara vai mergulhar nos mistérios do colégio e a sua vida nunca mais será a mesma".

 

Foi publicado ontem, 2 de setembro, pela Manuscrito.

 

https://cdn.shopify.com/s/files/1/0450/0717/5837/products/image-1_b49ed5a3-2a6f-4987-afab-e4e9b5bf38cf_1024x1024.jpg?v=1628636693
Bertrand.
Wook.

 

A seguir, temos Ana dos Cabelos Ruivos, de L. M. Montgomery, como novela gráfica. O texto foi adaptado por Mariah Marsden e as ilustrações são de Brenna Thummler. "O clássico de Lucy Maud Montgomery encontra uma nova expressão nesta novela gráfica a cores, muito apelativa para as novas gerações de leitores.

Quando Matthew e Marilla Cuthbert decidem adotar um órfão para os ajudar na sua quinta, não fazem ideia das boas surpresas e inesperados problemas que os aguardam. Com cabelos ruivos e uma imaginação imparável, Ana Shirley, de 11 anos, vai agitar a quinta Green Gables.

A vida dos dois irmãos nunca mais será a mesma, nem a dos habitantes da pequena vila de Avonlea. Ninguém esquecerá a magia e a beleza de Green Gables, e muito menos esta personagem alegre, corajosa, inteligente e bondosa.

Uma edição que torna acessível o clássico de Lucy Maud Montgomery, com beleza e um estilo moderno, e ao mesmo tempo fiel à época em que se desenrola a história. Narrativa cheia de pureza e valores universais e que promove a coragem, a bondade, a alegria, a superação e a resiliência".

 

Será lançado pela Fábula (2020 Editora) a 13 de setembro.

 

Bertrand.pt - Ana dos Cabelos RuivosBertrand.
Wook.

 

No mesmo dia e também pela Fábula, será publicado Olha para os dois lados, de Jason Reynolds. "Dez caminhos percorridos no mesmo dia. Dez adolescentes que saem da mesma escola. Um livro inesquecível de um autor multipremiado que nos prende e questiona: «Como vais mudar o mundo?»

Em 10 breves histórias, que se entrecruzam de forma perfeita e quase impercetível nos mais pequenos detalhes, acompanhamos vários adolescentes desde o toque de saída da escola até à chegada a casa. Cada conto é apresentado sob vários ângulos. Tal como quando se atravessa a rua, somos levados a olhar para os dois lados da vida de cada um deles, e só então percebemos o porquê das suas ações e dos caminhos que tomam. Cada adolescente tem personalidade e circunstâncias distintas, as suas alegrias, os seus medos e os seus desafios diários. Uma galeria de personagens que nos inspiram com a sua coragem e a sua resiliência.

Este livro aborda com humor e sensibilidade uma série de questões que afetam os adolescentes: bullying, insucesso escolar, doença, discriminação racial e de género, crise familiar e financeira… Depois de o ler, passamos a olhar com mais atenção e respeito para os dois lados de cada pessoa com quem nos cruzamos no nosso caminho".

 

Bertrand.pt - Olha para os Dois LadosBertrand.
Wook.

 

O próximo livro é Olívia 1: O Génio Espertalhão, de Thom Pico (texto) e Karensac (ilustração). "Vem conhecer a Olívia, heroína de aventuras repletas de ação, mistério, personagens caricatas e muito respeito pela natureza.

A Olívia adora viver na cidade, mas, por causa do trabalho da mãe, ela e a família tiveram de se mudar para o campo… Sim, o campo, onde nada acontece! Há pedras, plantas, e mais pedras e mais relva… mas ninguém com quem brincar.

E quando ela está prestes a morrer de tédio, aparece uma pastora de cães lãzudos, um par de monstros e ainda um génio que concede desejos matreiros.
Bom... talvez a vida no campo não seja, afinal, um tremendo aborrecimento, mas o princípio de uma grande aventura!

Divertida e mágica, uma aventura que ultrapassa os limites da imaginação!"

 

Também será publicada a continuação desta história, Olívia 2: A Raposa Furiosa. "Vem conhecer a Olívia, heroína de aventuras repletas de ação, mistério, personagens caricatas e muito respeito pela natureza.

O verão acabou e a Olívia tem de regressar à escola. Mas parece que o tempo anda a comportar-se de forma muito doida! Será que está relacionado com a chegada de uma raposa furiosa, que quer acabar com a primavera? Pois... provavelmente…

Procurando a origem do problema, a Olívia vai perceber o pior. Agora, se não resolver o dilema a tempo, será o fim das estações do ano e do vale que ela aprendeu a respeitar e a amar!

Divertida e mágica, uma aventura que ultrapassa os limites da imaginação!"

 

As duas novelas gráficas serão publicadas a 13 de setembro pela Booksmile (2020 Editora).

 

Bertrand.pt - O Génio Espertalhão   Bertrand.pt - A Raposa FuriosaBertrand.
Wook.

 

A novidade seguinte é um romance de Fantasia YA. Em As Mulheres Douradas, de Namina Forna, "Deka, de 16 anos, devido à sua intuição e natureza sente-se diferente e vive com medo do ritual do sangue, o qual irá determinar se pode ou não ser um membro da sua aldeia. Se o seu sangue correr vermelho, será aceite pela comunidade. Mas no dia da cerimónia o seu sangue revela ser dourado - a cor da impureza, de um demónio, e as consequências serão pior do que a morte.

A jovem vê-se forçada a abandonar a aldeia onde sempre vivera na companhia de uma mulher misteriosa e a juntar-se a um exército de raparigas como ela - as alaki. Um grupo de raparigas quase imortais com dons raros e as únicas capazes de travar a maior ameaça do império.

Mas, à medida que avança até à capital para treinar para a derradeira batalha, Deka descobre que a grande cidade murada encerra em si muitas surpresas. Nada nem ninguém é exatamente o que parece ser - nem mesmo Deka…"

 

A Gailivro (Leya) irá publicar este livro a 14 de setembro.

 

Bertrand.pt - As Mulheres DouradasBertrand.
Wook.

 

E, finalmente, temos um thriller que está a fascinar imensos bookstagrammers portugueses, A Última Casa em Needless Street, de Catriona Ward. "Esta é a história de Ted, que vive com a filha Lauren e a gata Olívia, numa casa perfeitamente banal, ao fundo de uma rua igualmente banal.
Esta é a história de um assassino. De uma criança roubada. De vingança.
Tudo isto é verdade. E quase tudo isto é mentira.
Pode acreditar que sabe o que se esconde na última casa em Needless Street. Pode até achar que já ouviu esta história em algum lugar.
Mas, na última casa em Needless Street, nada é o que parece".

A Porto Editora irá lançar este livro a 16 de setembro.

 

Bertrand.pt - A última casa em Needless StreetBertrand.
Wook.

 

 

Por agora, é tudo. Até breve!

 

 

 

Opinião: Cinderel - Da Cinza ao Cristal, de R. C. Montenegro

01.09.21, Daniela S.

https://m.media-amazon.com/images/I/41FOQSq1xhL.jpg

 

P.S.: A autora enviou-me gratuitamente um documento PDF de Cinderel em troca de uma opinião honesta e divulgação.

 

Em Cinderel - Da Cinza ao Cristal, de R. C. Montenegro, "Cinderel, alcunhado Borralho, é maltratado pela madastra e os seus filhos e procura nas festas e nas máscaras um escape do seu dia-a-dia entre as cinzas das lareiras. Apenas não imaginou que chamaria a atenção do facilmente espicaçável Bernardo, e muito menos que, ao troçá-lo, troçava o seu príncipe".

 

Este reconto queer da história da Cinderela pode ter apenas 82 páginas, mas são páginas recheadas de amor, sensualidade e resiliência, já para não falar das bonitas descrições cinematográficas dos cenários.

 

Adoro como o enredo tem características do filme da Disney, como a beleza dos cenários e a sumptuosidade dos eventos sociais, bem como a importância dada ao vestuário e, claro, aos sapatos especiais. Mas Cinderel também tem uma certa dose de violência como na história terrível, mas original, da Cinderela, onde as irmãs são severamente castigadas, por exemplo. E mais não digo, pois têm de ler este livro para verem como é que os irmãos, neste caso, sofrem as consequências dos seus atos, bem como a madrasta.
Ao contrário do filme da Disney, que é muito fraco em relação à demonstração dos sentimentos amorosos, esta história tem imensos momentos amorosos, incluindo cenas sexuais, que mostram claramente a paixão, o amor e o carinho que ambos sentem um pelo outro.
Um outro aspeto positivo relativamente ao enredo é o facto de ser, realmente, um reconto da Cinderela, mas a autora soube enriquecer a sua própria história ao acrescentar cenas e personagens que não existem nem na versão da Disney, nem na versão original. Por isso, à medida que lemos, não sentimos aborrecimento ou ficamos a pensar como esta pequena história é uma cópia dessas famosas versões. Não, não tem nada a ver com elas e, de facto, tornou a história mais forte e completa.

 

A escrita de Montenegro é simples e eficaz, principalmente quanto às descrições, que não são nem muito detalhadas, nem pobres em elementos. Têm a dose certa para que possamos visualizar os cenários e as festas. Além disso, transmite muito bem os sentimentos e as opiniões das personagens, não perdendo tempo com longos monólogos e coisas do género. Em termos de edição, existem algumas falhas, mas não estragam o talento da autora.

 

Por fim, em relação às personagens, penso que Cinderel é a personagem mais completa e interessante da história. A sua triste história de vida, a sua resiliência e, claro, o seu atrevimento fazem com que queiramos apoiá-lo até ao fim. Bernardo não me pareceu ser tão bem desenvolvido, mas a química entre ele e Cinderel é palpável e autêntica. Teria sido interessante ver mais da madrasta e dos seus filhos. Uma presença maior destas figuras poderia tornar a história ainda mais rica. Ainda assim, gostei deste elenco.

 

Concluindo, Cinderel - Da Cinza ao Cristal, de R. C. Montenegro, é a prova de que não falta talento em Portugal. O enredo é forte e está bem elaborado, a escrita é fluida e muito visual, e as personagens, embora precisassem de um pouco mais de trabalho, são interessantes, principalmente Cinderel. Seria bom ver as editoras tradicionais mais atentas ao que anda a ser feito por aí e aos autores mais jovens. Ainda bem que Montenegro se aventurou na edição independente e nos proporcionou uma linda história de amor entre dois rapazes que querem ser felizes para sempre.

 

Classificação: 4/5 estrelas.

 

Ficaram interessados no livro? Gostariam de ler esta história maravilhosa? Cliquem aqui para terem todas as informações.