Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Biblioteca da Daniela

A Biblioteca da Daniela

Wishlist: Outubro de 2021 (Livros em inglês)

28.10.21, Daniela S.

As editoras dos EUA continuam a publicar imensos livros, mas acho que o entusiamo por novidades foi mais calmo este mês. Ainda assim, esta publicação conta com lançamentos muito interessantes!

 

Primeiro, temos Squad, uma novela gráfica de Maggie Tokuda-Hall e Lisa Sterle (ilustração). Quando Becca é transferida para uma escola secundária num subúrbio de elite de São Francisco, ela pensa que não irá conseguir integrar-se. Surpreendentemente, ela é imediatamente adotada pelas raparigas mais populares da escola. À primeira vista, Marley, Arianna e Mandy são perfeitas, mas numa festa num dia de lua cheia, Becca descobre que elas também têm um grande segredo.

As novas amigas de Becca são lobisomens. As suas presas? Rapazes pegajosos que se aproveitam de raparigas inocentes. Ansiosa para ser aceite, Becca deixa as suas amigas transformarem-na numa lobisomem e, finalmente, pela primeira vez na sua vida, ela sente que pertence a algo.

Mas depois as coisas complicam-se. Quando o grupo começa a ceder sob pressão, a sua moral elevada fica cada vez mais turva e Becca percebe que ela pode sentir algo mais por uma das novas melhores amigas.

 

Saiu a 5 de outubro pela Greenwillow Books.

 

SquadBertrand;
Book Depository.

 

 

O próximo livro é Vespertine, de Margaret Rogerson. Neste romance de Fantasia, os mortos de Loraille não descansam. Artemisia está a treinar para ser uma Gray Sister, uma freira que limpa os corpos dos falecidos para que as suas almas possam fazer a sua passagem, senão, eles irão erguer como espíritos com uma fome voraz pelos vivos. Ela prefere lidar com os mortos do que com os vivos, que espalham sussurros sobre as suas mãos com cicatrizes e o seu passado problemático.

Quando o convento dela é atacado por soldados possuídos, Artemisia defende-o acordando um espírito antigo ligado a uma relíquia de um santo. É um revenant, um ser malévolo que ameaça possuí-la se ela baixar a guarda. Usar o seu poder extraordinário quase consome-a, mas a morte chegou a Loraille e apenas uma vespertine, uma sacerdotisa treinada para usar uma grande relíquia, poderá ter a hipótese de a parar. Com o conhecimento de vespertines perdido no tempo, Artemisia volta-se para o último especialista que resta para pedir ajudar: o próprio revenant.

À medida que ela desvenda um mistério sinistro de santos, segredos e magia obscura, a sua ligação com o revenant cresce. E quando um mal escondido começa a aparecer, ela descobre que enfrentar o inimigo pode fazer com que ela traia tudo o que ela aprendeu a acreditar - se o revenant não a trair primeiro.

 

Foi lançado a 5 de outubro pela Margaret K. McElderry Books 

 

VespertineBertrand;
Wook;
Book Depository.

 

 

De seguida, temos um livro ideal para o Natal! The Holiday Switch, de Tif Marcelo, é um romance contemporâneo YA sobre uma rapariga filipino-americana que, acidentalmente, troca de telemóveis com o sobrinho irritante do dono do inn.

Lila Castro está pronta para as suas últimas férias de inverno do ensino secundário. Há muita neve, respira-se alegria festiva, e ela está a ganhar dinheiro extra num inn local aconchegante. Mas as suas férias perfeitas param quando o sobrinho frustrantemente fofo do chefe dela, Teddy Veracruz, passa a ser colega de trabalho dela. Quando eles acidentalmente trocam de telemóveis numa tarde, ambos percebem que têm andado a esconder coisas um do outro. Irão os segredos deles, e um pouco de espírito festivo, fazer com que fiquem próximos do amor?

 

Foi publicado pela Underlined a 5 de outubro.

 

The Holiday SwitchBook Depository.

 

 

A seguir, temos Little Thieves, de Margaret Owen. Neste romance de Fantasia inspirado na história de "The Goose Girl", Vanja Schmidt sabe que nenhum dom é dado gratuitamente, nem mesmo um amor de mãe. Como afilhada adotada da Morte e da Fortuna, Vanja fez o seu próprio caminho no mundo como uma criada obediente da Princesa Gisele. Mas, ha um ano, quando as suas mães de outro mundo exigiram pagamento pelo seus cuidados, Vanja decidiu roubar o seu futuro... ao roubar a vida de Gisele.

Com a ajuda de um fio de pérolas encantadas, Vanja transformou-se na sua antiga senhora e ficou no lugar dela, deixando a verdadeira Gisele como uma zé-ninguém pobre. Agora, Vanja leva uma dupla vida solitária, mas lucrativa, como princesa e ladra de joias, encantando a nobreza enquanto esvazia os seus cofres para pagar pela sua grande fuga. Mas, num roubo, Vanja cruza-se com o deus errado e é amaldiçoada a tornar pedras em joias, pedra por pedra.

Com um semideus guardião feroz, o noivo sinistro de Gisele e um detetive júnior demasiado ansioso atrás dela, Vanja tem apenas duas semanas para concretizar o seu maior feito até então, ou corre o risco de perder mais do que a sua liberdade. Ela poderá perder a sua vida.

 

Foi lançado pela Henry Holt & Company a 19 de outubro.

 

Little ThievesBertrand;
Wook;
Book Depository.

 

 

Por fim, temos um romance de Fantasia e Mistério, The Grimrose Girls, de Laura Pohl. Depois da morte misteriosa da sua melhor amiga, Ella, Yuki e Rory são o tópico das conversas da escola de elite do grupo, Grimrose Academie. A polícia acha que Ariane morreu por suicídio, mas o trio está determinado a descobrir o que realmente aconteceu.

Quando Nani Eszes chega como a nova colega de quarto do grupo, um conjunto de eventos ocorre sem ninguém contar com eles. Ao refazerem os últimos dias de Ariane, o grupo descobre um segredo obscuro sobre Grimrose: Ariane não é a primeira rapariga morta da escola.

Descobrem que os homicídios passados têm a ver com maldições de contos de fada antigos e os seus próprios destinos estão ligados a estas histórias, condenando as raparigas a fins brutais e horríveis, a não ser que consigam quebrar o ciclo de vez.

 

A Sourcebooks Fire publicou este livro a 26 de outubro.

 

The Grimrose GirlsBook Depository.

 

 

O que acham desta lista?

Até breve!

 

 

Clube Literário Read with Daniela: Leituras de novembro

15.10.21, Daniela S.

O tempo está a voar ou é impressão minha? Como já estamos nos meados de outubro, está na hora de divulgar as leituras do Read with Daniela para novembro.

 

A leitura em português é.... Olha Para os Dois Lados, de Jason Reynolds. Neste conjunto de dez histórias, "dez caminhos percorridos no mesmo dia. Dez adolescentes que saem da mesma escola. Um livro inesquecível de um autor multipremiado que nos prende e questiona: «Como vais mudar o mundo?» Em 10 breves histórias, que se entrecruzam de forma perfeita e quase impercetível nos mais pequenos detalhes, acompanhamos vários adolescentes desde o toque de saída da escola até à chegada a casa. Cada conto é apresentado sob vários ângulos. Tal como quando se atravessa a rua, somos levados a olhar para os dois lados da vida de cada um deles, e só então percebemos o porquê das suas ações e dos caminhos que tomam. Cada adolescente tem personalidade e circunstâncias distintas, as suas alegrias, os seus medos e os seus desafios diários. Uma galeria de personagens que nos inspiram com a sua coragem e a sua resiliência. Este livro aborda com humor e sensibilidade uma série de questões que afetam os adolescentes: bullying, insucesso escolar, doença, discriminação racial e de género, crise familiar e financeira… Depois de o ler, passamos a olhar com mais atenção e respeito para os dois lados de cada pessoa com quem nos cruzamos no nosso caminho."

 

Gatilhos: Menções de acidentes de carro e de ataques de cães; PTSD por causa de um ataque de um cão; bullying, homofobia.

 

Novembro pode ser um pouco mais chato. Por isso, um livro com dez histórias diferentes pode trazer alguma dinâmica para este mês mais frio.

 

Bertrand;
Wook;
Almedina;
RELI;
Livrarias independentes e locais.

 

 

Em inglês, e como ainda é outono, o livro selecionado é.... The Nature of Witches, de Rachel Griffin. Neste romance de Fantasia YA, durante séculos, as bruxas preservaram o clima, mas agora o seu controlo está a falhar à medida que a atmosfera torna-se mais errática e as tempestades mais destrutivas. A esperança está na Clara, uma Everwitch cuja magia está ligada a cada estação.

No outono, Clara não quer saber do seu poder. É feroz e volátil e o preço da sua magia - perder os que ela ama - é demasiado alto apesar de ser necessário controlar o tempo cada vez mais perigoso.

No inverno, o mundo está à beira do desastre, enfrentando incêndios e tempestades. Clara aceita que ela é a única que poderá fazer a diferença.

Na primavera, ela apaixona-se por Sang, o bruxo que a treina. À medida que a sua magia cresce, os seus sentimentos também, até ela ficar apavorada ao pensar que Sang poderá ser a próxima pessoa que ela irá perder.

No verão, Clara deve escolher entre o seu poder e a sua felicidade, o seu dever e as pessoas que ela ama... antes que ela perca Sang e a sua magia e deixe o mundo num caos.

 

Gatilhos: Mortes de parentes; luto; fogo; depressão.

Aviso: Conteúdo sexual.

 

Outubro é visto como o grande mês do outono, mas novembro também consegue ser muito outonal. É o mês das castanhas e é quando realmente começamos a sentir o frio. Já muitas pessoas leram este livro e acham que é uma boa leitura de outono.

 

 

The Nature of WitchesBertrand;
Wook;
Book Depository (capa dura);
Book Depository (capa mole).

 

 

 

Relembro que podem ler estes livros em qualquer formato e adquiri-los através de outros lugares.

 

O que acham das escolhas de novembro?

 

Até breve!

 

 

Young Adult: A representatividade e a sua importância no YA (terceiro capítulo)

13.10.21, Daniela S.
“Three genres (MG, YA SFF & YA Romance) are becoming hubs for diverse books for younger readers, writes Rachel Werner for the We Need Diverse Books blog.”
 
 
Na comunidade americana de escritores de YA, principalmente se seguirmos esses escritores nas redes sociais, vemos, constantemente, conversas sobre a importância da representatividade na arte. Por muitos anos, a norma era (e, enfim, ainda é, de certa forma) a pessoa branca, mais propriamente o homem branco. A área dos estudos literários estava repleta de homens brancos. As editoras praticamente pertenciam a homens brancos ou lá trabalhavam quase apenas homens brancos. Publicava-se quase apenas homens brancos. As mulheres brancas também tinham problemas em serem representadas apenas por serem mulheres, mas não nos podemos esquecer que as pessoas pertencentes a minorias raciais, religiosas e sexuais são as que mais sofriam e sofrem. Uma pessoa negra mais dificilmente publica um livro. Uma pessoa homossexual mais dificilmente se vê corretamente representado num livro. Uma pessoa muçulmana praticamente só vê estereótipos relacionados com o terrorismo e o extremismo religioso. Num país tão diversificado quanto os EUA, mas também racista, xenófobo, homofóbico, misógino, os artistas sentem que devem atuar. Por isso, têm essas mesmas conversas sobre a diversidade nas redes sociais e praticam o que dizem e ensinam na sua arte.
 
 
 
Picture This: Diversity in Children's Books 2018 Infographic – Sarah Park  Dahlen, Ph.D.
Infográfico de 2018 sobre a diversidade nos livros infantis em 2018.
Fonte.
 
 
 
Um dos ensaios mais conhecidos e respeitados sobre este tema é o “Mirrors, Windows, and Sliding Glass Doors”, da Dr.ª Rudine Sims Bishop. Publicado em 1990, o objetivo deste ensaio era mostrar a importância dos livros diversificados para leitores jovens, livros que refletissem a natureza multicultural do mundo onde eles vivem. A autora acrescenta que os jovens deveriam ver-se nos livros e que deveriam aprender como são as vidas dos outros através da leitura. O seguinte parágrafo, que é o primeiro do ensaio, é o mais lembrado e, de facto, é um excelente resumo daquilo que a literatura precisa ser hoje em dia: 
 
“Books are sometimes windows, offering views of worlds that may be real or imagined, familiar or strange. These windows are also sliding glass doors, and readers have only to walk through in imagination to become part of whatever world has been created or recreated by the author. When lighting conditions are just right, however, a window can also be a mirror. Literature transforms human experience and reflects it back to us, and in that reflection we can see our own lives and experiences as part of the larger human experience. Reading, then, becomes a means of self-affirmation, and readers often seek their mirrors in books.” (Bishop, 2015: 1)
 
Bishop desenvolve e fala acerca das crianças não-brancas, que, durante anos, tentaram encontrar livros sobre as suas experiências. Queriam, na realidade, o que os leitores brancos tinham: espelhos de si mesmos. Ao não se verem em lado nenhum, ou ao verem imagens negativas e estereotipadas delas próprias, essas crianças interiorizavam a ideia de que a sociedade não quer saber delas ou que não têm nenhum valor como indivíduos integrados num grupo onde a norma é a pessoa branca. É também mau para os leitores brancos não verem o quão diversificado o mundo é. Livros que representam outros costumes e vivências são importantes para que a pessoa branca entenda que vive num mundo multicultural e que deve formar ligações com todos e respeitar toda a gente. Apesar de predominarem na literatura por estarem fortemente presentes nela, os leitores brancos perdem ao não lerem histórias sobre pessoas negras, latinas e asiáticas. As pessoas heterossexuais poderiam aprender imenso com livros cujos protagonistas são pessoas da comunidade LGBTQIA+. Ainda assim, as duas grandes funções da literatura são "educare" e "delectare", ou seja, ensinar e dar prazer. Estas histórias também podem ser fonte de prazer para os que são considerados leitores pertencentes à norma. Não nos podemos esquecer que, sim, há um grande sentido pedagógico nos livros cujas personagens e vivências não seguem o status quo. Contudo, estes livros não são manuais escolares. São também arte, entretenimento e talento.
 
Nos últimos parágrafos, Bishop adota um tom realista, dizendo que muitos escritores de literatura infantil idealizam o livro como aquele que irá mudar radicalmente a vida de uma criança. Ela acredita nesse tipo de poder, mas é importante lembrar que a literatura “no matter how powerful, has its limits. […] it won’t stop people from attacking each other because of our racial diferences; it won’t stamp out the scourge of drugs. It could, however, help us understand each other better […]” (Bishop, 2015, 2). Não se pode esquecer que, no fim, o poder da decisão, a vontade de se ser melhor está nas mãos das pessoas e da sociedade. A culpa não será do livro se ele não conseguiu mostrar o mundo e como todos devem respeitar as diferenças. O importante é reconhecer que é possível usar o livro como o utensílio para a construção de um mundo melhor.
 
 
 
Image
A Dr.ª Rudine Sims Bishop recebeu o ALSC Children's Literature Lecture Award no ano passado.
Fonte.
 
 
Tendo esta perspetiva em mente, nos EUA, foram criadas organizações que lutam pela representatividade na literatura YA. É o caso da We Need Diverse Books. Esta organização não governamental pretende levar até às crianças e aos jovens livros com uma grande diversidade de personagens. Têm como objetivo realizar mudanças na indústria editorial para que possam produzir e promover livros que refletem e honram as vidas de todos os jovens. Lutam por livros sobre a comunidade LGBTQIA+, pessoas nativas, pessoas não-brancas, diversidade de género, pessoas com deficiências (quer físicas, quer mentais, como a depressão, a ansiedade, etc.) e minorias étnicas, religiosas e culturais. A ideia do We Need Diverse Books começou com uma hashtag criada durante uma conversa sobre diversidade entre Ellen Oh, a co-fundadora, presidente e CEO de WNDB, e Malinda Lo. Ao usarem a hashtag #WeNeedDiverseBooks, partilharam, no Twitter, a sua frustração quanto à falta de diversidade na literatura infantil e YA depois de verem uma conferência literária onde os convidados eram somente homens brancos. Nas redes sociais, afirmaram o mesmo que Bishop escreveu no seu ensaio. Disseram que as crianças que fazem parte das minorias, ao não encontrarem livros sobre elas próprias, iriam crescer com uma baixa autoestima e sem darem valor a si mesmas como indivíduos e seres sociais. As crianças brancas também podem sofrer com a ausência de livros diversificados porque poderão distorcer o mundo à sua volta. É essencial as crianças aprenderem através da riqueza da cultura. Acrescentaram que os currículos escolares, isto é, as listas de leituras planificadas para os estudantes, não refletem as vidas de todos os estudantes. Consequentemente, os alunos perdem o interesse pela leitura e poderão criar noções erradas acerca da literatura, achando que não há lugares para eles se apenas lerem obras de homens velhos brancos cujo “background” é a cultura europeia e que já faleceram há muitos anos.
 
 
 
Illustration of several children of diverse ethnicities and abilities reading books and playing, with text We Need Diverse Books
Uma das ilustrações disponíveis no site da organização.
Fonte.
 
 
 
Em pleno século XXI, é estranho a maior parte das editoras ainda não lutar por mais diversidade no mundo editorial e, consequentemente, no mundo literário. A literatura não é apenas escrita e lida por pessoas brancas, heterossexuais, com um fundo cultural ocidental. Há todo um leque variado em termos linguísticos, culturais, raciais, étnicos, religiosos, sexuais que merece ser representado nos livros. Vivemos numa época de globalização em que é cada vez mais importante educar as pessoas. A ficção pode ajudar nessa luta e o exemplo disso reside nos livros YA nos EUA. Quer através de histórias contemporâneas realistas, quer através da ficção científica e da ficção fantástica, é possível incluir e dar valor aos indivíduos que não fazem parte da norma branca e masculina cis. O YA é a prova de que a diversidade e a representatividade quebram tabus e que as próprias editoras ganham com isso. Não só há um público sedento por histórias que são reflexos de si próprios e portas para realidades diferentes, como também se vê que as editoras têm o poder de influenciar a sociedade e encaminhá-la para uma via melhor.
 
Termino este terceiro capítulo com um gráfico de 2019 que reflete a diversidade na indústria literária dos EUA. Se lá é assim, só poderemos imaginar como será em Portugal, onde não há dados nem sobre a diversidade nos livros que publicam, nem sobre as pessoas que fazem parte do mundo editorial. Que eu saiba, claro.
 
 
 
Survey Shows "No Discernible" Progress Diversifying Publishing | School  Library Journal
 
 
 
 
 
 
 
 
O que acham deste terceiro capítulo sobre Young Adult?
 
Links dos capítulos anteriores:
 
 
 
 
 

Wishlist: Outubro de 2021 (Portugal)

11.10.21, Daniela S.

A primeira metade de outubro ainda não terminou, mas o mercado editorial português já está cheio de novidades para todos os gostos!

 

Primeiro, temos Farol de Esperança. "Quando tudo parece perdido, aparece o Hopepunk. Farol de Esperança, a nova antologia da Editorial Divergência, conta com sete contos de autores portugueses que trazem votos de esperança e coragem em tempos difíceis, quando, por vezes, o desespero é a opção mais fácil.

Guiados por uma luz divina que nasce de pura escuridão, os nossos heróis enfrentam os mais diversos obstáculos e lutam em prol de um mundo melhor para todos."

 

Foi publicado a 9 de outubro.

 

Bertrand.pt - Farol de EsperançaBertrand;
Wook.

 

 

A seguir, temos Um Mundo às Escuras, de Maria Roque Martins. "E se, de repente, deixasse de haver electricidade?

No Apagão, quando a electricidade misteriosamente desaparece, cabe a cada um lutar pela sua sobrevivência.

Deixando tudo para trás, Teresa e a sua avó partem numa viagem por uma Península Ibérica desolada por fome, fogos e violência.

Vinte anos depois, Rita, a filha de Teresa, encontra o diário que a mãe escreveu na viagem entre Lisboa e Grenoble. Decide fazer o caminho inverso e parte em busca das suas raízes, num mundo sem luz e à sombra de uma guerra.

Esta é a história de uma viagem de ida e volta, vivida por duas gerações e contada a dois tempos."

 

A Editorial Divergência lançou o livro a 10 de outubro.

 

Bertrand.pt - Um Mundo às EscurasBertrand;
Wook.

 

 

O próximo lançamento é um romance contemporâneo. "Nina Hill tem uma vida confortável: trabalha numa livraria, participa em concursos de cultura geral com uma equipa fantástica, tem uma agenda muito organizada onde anota tudo o que é importante e partilha a casa com o seu gato Phil.

Filha única de uma conceituada fotógrafa que se tornou uma mãe ausente devido às constantes viagens, é nos livros que devora a toda a hora que Nina encontra o seu refúgio e os seus momentos de verdadeira felicidade.

Quando recebe a notícia da morte do pai, de quem nunca soube nada, Nina fica em choque. De um momento para o outro, o seu núcleo familiar passa a incluir um irmão, três irmãs e vários sobrinhos e sobrinhas, todos a viverem perto! E pior… Esta horda de desconhecidos parece estar cheia de vontade de conviver com ela, o que vai totalmente contra as suas tendências antissociais.

Como se essa não fosse já uma mudança suficiente na sua rotina, Nina vê-se também perante a presença cada vez mais constante de Tom, o seu maior adversário nas noites de quiz, que afinal até é um homem querido, divertido e profundamente interessado em conhecê-la melhor.

Será ela capaz de sair da sua zona de conforto e trocar a ficção pela vida real?"

 

A Topseller (20|20 Editora) lança hoje, 11 de outubro, A vida livresca de Nina Hill, de Abbi Waxman.

 

Bertrand;
Wook.

 

 

Também há muitos livros para os mais novos este mês. Por exemplo, temos Unlock! - Tenta Escapar das Catacumbas, de Fabien Clavel. "Tu és o Afonso e adoras a adrenalina de um bom enigma! Com um grupo de amigos, tomaste conhecimento de uma série de rumores que vos fizeram querer descer às catacumbas da vossa escola para os investigar. Mas agora, para escapar, todos contam com a tua perspicácia, espírito de aventura e resiliência.

Resolve os enigmas para escapar das catacumbas!"

 

 

Será publicado amanhã, a 12 de outubro, pela Edições Asa.

 

Bertrand;
Wook.

 

 

Os próximos dois livros infantojuvenis são das mesmas autoras e não têm uma ordem de leitura. Tanto podem ler um primeiro, como o outro. Ambos são da autoria de Ledicia Costas, com ilustrações de Susa Monteiro. Apresento-vos, primeiro, Esmeraldina, a Pequena Fantasma. "O Hotel Fantastique situa-se no Oeste Selvagem e nas suas cozinhas a pequena Esmeraldina é feliz, aprendendo os truques culinários com a sua avó, a Tremenda, uma 'chef' de reputação mundial. Porém, um acesso de escarlatina põe fim à vida da protagonista e o anúncio da sua morte corre que nem pólvora entre os habitantes do além. Ao hotel começam a chegar defuntos vindos de todos os lados para aí se instalarem. Esmeraldina tem de aprender a tornar-se uma fantasma de verdade e, para isso, contará com a ajuda de Lady Horreur, uma peculiar aranha francesa… Para ler antes ou depois de "Escarlatina, a cozinheira-cadáver", esta obra, que desmistifica habilmente e com humor o tema da morte, contribuindo para a sua superação, vê-se reforçada pelas ilustrações de Susa Monteiro e pela força da sua figuração interpretativa, sábio uso de cores e cenários fortes e impressivos."

O segundo livro é Escarlatina, a Cozinheira-Cadáver. "Se fazes anos no dia dos mortos, prepara-te para uma surpresa mortal! É precisamente isso o que acontece a Román, o protagonista, que sonha tornar-se num grande chef e pede um curso de cozinha pelo seu décimo aniversário. Porém, em vez desse presente, recebe um caixão com as instruções para ativar Escarlatina, uma cozinheira do século XIX, e a sua inseparável aranha Lady Horreur… Para ler antes ou depois de "Esmeraldina, a pequena fantasma", esta obra, que valeu à autora, entre outros galardões, o Prémio Nacional de Literatura Infantil e Juvenil, outorgado pelo Ministério da Cultura de Espanha em 2015, desmistifica habilmente e com humor o tema da morte, contribuindo também para a sua superação."

 

Kalandrala irá lançar os dois livros a 21 de outubro.

 

Bertrand.pt - Esmeraldina, a Pequena Fantasma  Bertrand.pt - Escarlatina, a Cozinheira-CadáverBertrand;
Wook.

 

 

A próxima novidade é um livro de poesia de Yara Nakahanda Monteiro. Em Memórias, Aparições, Arritmias, "os seus poemas transportam-nos para outros tempos e espaços: o da infância e adolescência na periferia de Lisboa; o das histórias da vida em Angola, contadas pela avó. Neles brotam desassossegos rabiscados em cadernos, esboçam-se trilhos imaginados a partir das grandes questões que definem quem somos.

A meio caminho, corre a vida de todos os dias e surge uma voz literária envolvente, encantatória, impossível de ignorar. Qualquer ressonância com a realidade é poesia."

 

A Companhia das Letras irá publicar o livro a 21 de outubro.

 

Bertrand.pt - Memórias, Aparições, ArritmiasBertrand;
Wook.

 

 

Por fim, temos um livro infantil com ilustrações lindíssimas: Ema e as Luzes da Noite, de Lucy Fleming. "Aninhada num pequeno recanto de um velho carvalho, vivia uma pequena rapariga com asas de mariposa chamada Ema.

Ema adorava a luz, mas tinha de ter cuidado para não apanhar sol nas suas asas delicadas. Todas as noites saía a esvoaçar e recolhia luzes de tudo o que brilhava na escuridão, partilhando-as sempre depois com quem delas mais necessitava.

Até que um dia os amigos animais decidem retribuir toda a sua generosidade e arranjam um plano engenhoso para que Ema possa concretizar o seu sonho de ver um dia o Sol…"

Sigo a artista no Instagram e fico muito contente por ver um livro seu em Portugal. As suas ilustrações são mesmo muito bonitas. Podem vê-las aqui.

 

O livro será lançado a 28 de outubro pela Minutos de Leitura.

 

imagemBertrand;
Wook.

 

 

E, por agora, é tudo. O que acham destas novidades?

 

Até breve!

 

 

Sweater Weather Readathon: A Minha TBR

01.10.21, Daniela S.

Olá, outubro!!!

Há uns dias, falei sobre uma maratona literária dedicada ao outono e ao conforto que esta estação do ano pode trazer. Como hoje é o primeiro dia de outubro (e a maratona será realizada nos últimos dias do mês), decidi partilhar convosco os livros que espero ler durante esta readathon.

 

 

Todas as informações sobre esta maratona estão aqui, mas, abaixo, deixo novamente a lista de desafios de leitura:

 

  • Lê um livro com cor de laranja na capa;
  • Lê um livro cuja ação passe durante o outono;
  • Lê um livro num formato que não é o habitual para ti;
  • Lê um livro com uma palavra relacionada com o outono no título;
  • Lê um livro backlist (publicado antes de 2021).

 

Comecemos pelo livro que tenha algo laranja na capa. Para este desafio, vou ler The Haunting of Aveline Jones, de Phil Hickes. Aveline adora ler histórias fantasmagóricas e as coisas ficam mais entusiasmantes quando ela descobre um velho livro assustador. Não só as histórias são de arrepiar a espinha, como também pertenceram a Primrose Penberthy, uma rapariga que desapareceu misteriosamente e nunca mais foi vista novamente. Intrigada, Aveline decide investigar o desaparecimento dela com a ajuda do seu novo amigo, Harold.

Agora, alguém ou algo está a mover-se e está à procura de Aveline.

Este livro foi lançado no ano passado e, de facto, foi a capa que me fez querer comprá-lo. É muito bonita, não acham? E faz-nos pensar que deve ser uma boa leitura para o Halloween! É o primeiro livro de uma coleção infantojuvenil assustadora.

 

The Haunting of Aveline JonesBertrand (ebook);
Wook (ebook);
Book Depository.

 

 

A ação do próximo livro deve ocorrer durante o outono. Neste caso, escolho Ana dos Cabelos Ruivos - Novela Gráfica, de Mariah Marsden (texto) e Brenna Thummler (ilustração). Li o romance de Lucy Maud Montgomery em janeiro e adorei imenso a experiência. Além disso, adoro Anne with an E, uma série canadense baseada neste clássico. Claro que tinha de ter esta novela gráfica. Há uma parte da ação que ocorre durante o outono e a própria protagonista, nessa altura, diz que gosta muito dessa estação do ano. Portanto, é o livro ideal para este desafio.

Sinopse oficial:

O clássico de Lucy Maud Montgomery encontra uma nova expressão nesta novela gráfica a cores, muito apelativa para as novas gerações de leitores.

Quando Matthew e Marilla Cuthbert decidem adotar um órfão para os ajudar na sua quinta, não fazem ideia das boas surpresas e inesperados problemas que os aguardam. Com cabelos ruivos e uma imaginação imparável, Ana Shirley, de 11 anos, vai agitar a quinta Green Gables.

A vida dos dois irmãos nunca mais será a mesma, nem a dos habitantes da pequena vila de Avonlea. Ninguém esquecerá a magia e a beleza de Green Gables, e muito menos esta personagem alegre, corajosa, inteligente e bondosa.

Uma edição que torna acessível o clássico de Lucy Maud Montgomery, com beleza e um estilo moderno, e ao mesmo tempo fiel à época em que se desenrola a história. Narrativa cheia de pureza e valores universais e que promove a coragem, a bondade, a alegria, a superação e a resiliência.

 

Bertrand;
Wook;
Fábula (chancela).

 

 

O próximo desafio é a leitura de um livro num formato que não é o habitual para mim. Tenho lido mais ebooks (aliás, eARCs) ultimamente, mas, de facto, continua a ser um formato pouco habitual para mim. Para este desafio, gostaria de ler o eARC de The Art of Running Away, de Sabrina Kleckner. Neste infantojuvenil, Maisie tem doze anos e é uma artista. Quando ela está à frente do seu caderno ou a apreciar Glenna's Portraits, a loja de arte da família fundada pela avó, o mundo faz sentido. Ela não pensa em Calum, o seu irmão que misteriosamente deixou a casa e cortou relações com a família há seis anos, nem na insistência dos seus pais em "abrir os seus horizontes" e tentar algo novo, algo que não seja arte.

Mas quando Glenna's Portraits passa por tempos difíceis, os planos de Maisie para ficar com a loja quando for mais velha e tornar-se numa artista começam a desmoronar. Desesperada, Maisie foge para Londres para reencontar o irmão adulto e espera que ele seja a chave para salvar a loja. No entanto, à medida que Maisie descobre o passado da família com Calum, ela começa a repensar sobre tudo o que ela sempre soube. Maisie deve decidir não só se vale a pena salvar a loja da família, como também se ela consegue perdoar os pais pelos erros que cometeram.

Será publicado pela Jolly Fish Press a 16 de novembro!

 

Art of Running AwayBook Depository.

 

 

Agora, preciso de arranjar um livro cujo título tenha uma palavra relacionada com o outono... Bem, quando pensamos nesta estação, pensamos no Halloween. Quando pensamos no Halloween, pensamos em.... fantasmas! Por isso, escolho Ghost Squad, de Claribel Ortega. Este livro é também uma das leituras de outubro do Read with Daniela, o meu clube literário. Podem encontrar mais informações sobre as leituras de outubro do clube aqui.

É um livro infantojuvenil sobrenatural inspirado numa crença da cultura dominicana, a de que os pirilampos são as almas dos entes queridos falecidos. Lucely e Syd são as grandes traquinas do livro. Uns dias antes do Halloween, Lucely descobre que o pai e ela podem perder a casa. Além disso, parece que os pirilampos dela, ou seja, as almas dos seus familiares, estão a enfraquecer e podem desaparecer de vez. Por isso, as duas meninas usam um feitiço que, pensavam elas, poderia salvar os pirilampos. No entanto, o feitiço despertou espíritos malignos. Como irão as duas resolver esse problema? Será que Lucely irá conseguir salvar a sua casa e os seus pirilampos?

 

Ghost SquadBertrand;
Wook;
Book Depository.

 

 

Para o último desafio, o de ler um livro "backlist", ou seja, que foi publicado antes de 2021, seleciono Quem Teme a Morte, de Nnedi Okorafor. A sua versão original foi publicada em 2010, enquanto a edição portuguesa foi publicada em 2018.

Num futuro distante, um holocausto nuclear devasta o continente africano e dá-se um genocídio numa das suas regiões. Os agressores, os Nuru, de pele mais clara, decidiram seguir o Grande Livro e exterminar os Okoke, de pele mais escura. Mas, depois de ser violada, a única sobrevivente de uma aldeia Okoke consegue escapar e refugiar-se no deserto. Dá à luz uma rapariga com cabelo e pele cor de areia e a mãe percebe, nesse momento, que a sua filha é diferente. Dá-lhe o nome de Onyesonwu, que significa "Quem Teme a Morte?".

Treinada por um misterioso xamã, Onyesonwu sabe que tem um destino mágico a cumprir: pôr fim ao genocídio do seu povo. A jornada para cumprir tal proeza irá pô-la em confronto com a natureza, a tradição, o amor verdadeiro, os mistérios da sua cultura… e, por fim, com a própria morte.

 

Bertrand.pt - Quem Teme a MorteBertrand (PT e ENG);
Wook (PT e ENG);
Book Depository (ENG).

 

 

E são estes livros que espero ler entre 22 e 27 de outubro para a Sweater Weather Readathon! Quem irá participar nesta maratona?

 

Até breve!