Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Batalha das Capas: O Circo dos Sonhos, de Erin Morgenstern

Para a terceira Batalha das Capas, escolhi O Circo dos Sonhos, de Erin Morgenstern. É um romance de Fantasia sobre dois mágicos, Celia e Marco, que, num circo a preto e branco, Le Cirque de Rêves, lutam entre si devido a uma rivalidade e um jogo criados pelos seus mestres. No entanto, sentimentos florescem, tornando o jogo mais complicado. Quem irá vencer?


Este livro foi editado em Portugal pela Civilização Editora, que, infelizmente, acabou por falir. Esta é a capa portuguesa:



Comentários: É uma capa monocromática bonita e muito simbólica. O preto e o branco têm a ver com a estética do circo, que é, também, preto e branco. Depois, temos os protagonistas em grande destaque na capa, bem como elementos que normalmente encontramos em histórias sobre mágicos, como pássaros, chapéus e cartas. A seguir, temos um lenço laranja que liga as duas personagens. Já não me lembro bem de uns quantos detalhes do livro, portanto, não posso dizer se o cor de laranja é fundamental para a história. No entanto, dá para ver que simboliza a união das duas personagens, sendo esta uma união romântica. Por fim, entre eles, temos o circo. O posicionamento do circo na capa pode querer indicar que o lugar está sempre entre eles, isto é, tudo o que fazem é influenciado pelo circo ou é feito a favor do circo.

Conclusão: É uma capa bonita e com detalhes que, após a leitura do livro, ganham uma nova beleza. Mesmo antes da leitura, são pormenores que deixam o leitor curioso.


As capas das edições americanas seguem mais ou menos o estilo da capa portuguesa e, por isso, penso que não vale a pena incluí-las nesta publicação. Deste modo, avanço para a capa da edição espanhola:


O Circo dos Sonhos - Livro - WOOK
Capa da edição portuguesa.
Fonte.

Comentários: O desenho em si não é mau. Aliás, gosto do contraste entre o preto e o branco e o vermelho, amarelo e verde. Contudo, não tem nada a ver com a história. Onde está o circo? Parece que estamos a olhar para torres de um castelo. Além disso, a figura que está a sair da torre principal faz lembrar uma princesa, algo que não existe neste livro. Também não há edifícios à volta do circo no livro, ou seja, não faz sentido dar a sensação de que o circo não é algo isolado e fora do comum.
As proporções dos edifícios e da figura não me incomodam, nem as cores usadas. O problema está no facto de isto não representar nada do que faça parte da história.

Conclusão: Quem fez a ilustração tem talento, mas a capa peca por não ter detalhes que existem na história.


Por fim, temos a edição de uma editora holandesa, De Bezige Bij:


13266989
Capa da edição da editora espanhola Planeta Internacional.
Fonte.

Comentários: Gostos dos tons azulados e dos detalhes pretos e brancos. A execução da ideia pode ser diferente da capa portuguesa, mas ambas partilham praticamente os mesmos elementos, como a presença dos dois protagonistas, o circo, os pássaros e o chapéu. No entanto, falha ao colocar apenas Marco como figura principal. Marco e Celia são personagens igualmente importantes. Marco não é o único protagonista, pois Celia também o é. Percebo que, aqui, a figura masculina é aquela que transmite uma aura misteriosa à capa. Contudo, Celia também poderia contribuir para o mistério da capa.

Conclusão: É uma boa capa que tem os pormenores importantes da história, mas tem como defeito o posicionamento das personagens do livro.


O grande vencedor: A capa portuguesa. Mostra bem que a magia e o mistério são os elementos-chave deste livro.


Por agora, é tudo. O que acham destas capas?




Het Nachtcircus: 9789023465690: Amazon.com: Books
Capa da edição holandesa.
Fonte.