Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

ARMYdathon: TBR (To Be Read/Para ler)

Há uns dias, falei sobre o ARMYDATHON, uma maratona literária baseada nos BTS, um grupo sul-coreano que anda a conquistar o mundo. Hoje, irei apresentar os oito livros que pretendo ler para esta readathon.


Para o desafio Borahae (ler um livro cuja capa seja, pelo menos, 50% roxa), escolhi ler Vicious Spirits, de Kat Cho. É a continuação de Wicked Fox. São romances paranormais YA inspirados na mitologia coreana.

Se ainda querem ler o primeiro livro, não leiam o parágrafo seguinte, que é a sinopse do segundo:

Miyoung e Jihoon estão a juntar as peças das vidas partidas após a morte da mãe de Miyoung, Yena, e da avó de Jihoon. Com o apoio da amiga Somin e do amigo/inimigo Junu, eles podem ter uma oportunidade de ter uma vida normal. Contudo, Miyoung está a ficar cada vez mais doente e os amigos dela não sabem o que fazer. Já com poucas opções, Junu tem uma ideia que pode exigir um grande sacrifício e, sejamos sinceros, Junu não é conhecido pela sua "generosidade". Entretanto, os eventos de Wicked Fox derrubaram as forças que governam a vida e a morte e há entidades sobrenaturais a espreitar no fundo que não irão parar para corrigir o seu mundo.

 

Dokkaebi: Vicious Spirits
Sinopse original.


 

Quanto ao desafio Seoul (ler um livro cujo cenário seja o teu país ou a tua cidade), irei ler Onde cantam os grilos, de Maria Isaac. Quando soube que a autora iria lançar o seu segundo livro em maio, pensei que estava na altura de perceber o fascínio por ela.

Aqui está a sinopse oficial (retirada do site da Bertrand): Ainda bebé, Formiga foi deixado num cesto nos degraus da casada Herdade do Lago.
O mistério da sua chegada é apenas mais um na longa história daherdade e das várias gerações dos Vaz, que a assombra de lendase maldições: uma fonte inesgotável de mistérios fascinantes paraa imaginação do rapazinho cabeça de vento.

Deslumbrado pela vida da família que venera de formaatrapalhada, Formiga corre e trepa a árvores, encolhe-se, faz-seinvisível, inventa um pouco de tudo para conseguir acompanharconversas, descobrir mais um segredo.
Mas o último segredo que ele descobre revela-se demasiadogrande para a curiosidade bem-intencionada de uma criança, e umerro seu acaba por destruir o único mundo que conhece e pôr fimà sua infância.

Mais de vinte anos depois, Formiga regressa à Herdade do Lago eescreve para um leitor invisível, relembrando tudo o que foi e quenão deveria ter sido.

 

Bertrand.pt - Onde Cantam os Grilos
Bertrand.



Para Epiphany (ler um livro que inclua as seguintes palavras: eu, meu, eu próprio, etc.), selecionei Minha Sombria Vanessa, de Kate Elizabeth Russell. Este livro recebeu muita atenção quer nos EUA, quer em Portugal, principalmente quando foi lançado. Deste modo, tenho muita curiosidade quanto a este livro, que é baseado na vida da própria autora.

Sinopse oficial (retirada da Wook): Em 2000, Vanessa Wye é uma adolescente de 15 anos ambiciosa e solitária. Sonhando ser escritora, não se importa de estar sempre sozinha, mas abre uma exceção quando Jacob Strane, o seu professor de inglês, lhe começa a dar mais atenção. Antes que Vanessa tenha consciência, iniciam uma relação, e ela acredita que ele realmente a ama.

Em 2017, uma ex-aluna acusa Strane de abuso sexual. Vanessa fica perante uma escolha impossível: ficar calada, acreditando que se havia envolvido voluntariamente naquela relação… ou redefinir a sua grande história de amor como mera violação. Por um lado, não quer rejeitar esse primeiro amor, o homem que a transformou e tem sido uma presença constante na sua vida. Por outro, será possível que ele seja muito diferente do que ela pensava? Será ela apenas mais uma vítima?

Alternando entre passado e presente, Minha Sombria Vanessa é um retrato excecional de uma adolescência conturbada e das suas consequências, levantando questões cruciais sobre liberdade, consentimento, abuso e vitimização, captando de forma brilhante uma cultura em mudança que transforma as nossas relações e a própria sociedade.

 

Wook.pt - Minha Sombria Vanessa
Wook.

 

 

A seguir, temos Shadow (ler um livro que te assuste, isto é, um thriller, um mistério, um livro de terror, etc). Para esta categoria, escolhi Um de Nós Mente, de Karen M. McManus. Sabiam que este livro foi lançado em 2017 e ainda ocupa bons lugares nas listas literárias americanas? Realmente, muitas pessoas adoraram ler este livro. Muitos leitores portugueses também falaram bem deste thriller YA.

Sinopse oficial (retirada da Bertrand): Simon Kelleher é o criador do Má-Língua, uma nova aplicação que está a encurralar a elite de Bayview High, revelando pormenores da vida privada dos alunos da escola.
Mas o caso torna-se mais grave quando Simon e quatro colegas ficam fechados de castigo numa sala, e ele morre diante das suas vítimas.

Os quatro que se tornam suspeitos imediatos do homicídio, são:
A melhor aluna da escola, Bronwyn que nunca viola uma regra e quer entrar em Yale.
A estrela da equipa de basebol de Bayview, Cooper.
Nate, o criminoso, que está em liberdade condicional por vender droga.
A menina bonita, Addy, que parece ter a vida perfeita ao lado do namorado perfeito.

Que segredos queriam esconder para eliminar Simon?
Quem será o culpado?


Bertrand.pt - Um de Nós Mente
Bertrand.

 

 

Relativamente ao MAMA (ler um livro com uma personagem que seja mãe ou que desempenhe um papel maternal), escolhi Confissões, de Kanae Minato. Já está há algum tempo na minha estante e, por isso, nada como aproveitar esta readathon para ler uma história que promete ser emocionante.

Sinopse oficial (retirada da Wook): Os seus alunos assassinaram a sua filha. Esta é a sua vingança.

Confissões é um romance narrado a várias vozes, magistralmente construído onde o suspense é mantido até o fim, quando as diferentes peças encaixam. Mas também é uma reflexão sobre o sistema educativo, os laços familiares, o comportamento humano, o amor e a vingança.

 

Wook.pt - Confissões
Wook.


 

Para Serendipity (ler um livro romântico), pensei que seria inteligente juntar o útil ao agradável, isto é, escolhi The Henna Wars, de Adiba Jaigirdar. Este romance YA é também o livro em inglês de maio do meu clube literário, Read with Daniela. Veio mesmo a calhar!

Nishat não quer perder a sua família, mas ela também não quer esconder mais quem realmente ela é e as coisas ficam mais complicadas quando uma amiga de infância regressa à sua vida. Flávia é bonita e carismática e Nishat apaixona-se por ela imediatamente. Mas, quando uma competição escolar convida os alunos a criar os seus próprios negócios, ambas decidem mostrar os seus talentos como artistas de henna. Numa luta para provar quem é a melhor, as suas vidas acabam por ficar mais entrelaçadas, mas Nishat não consegue não gostar de Flávia, especialmente quando ela parece gostar dela também.

À medida que a competição vai aquecendo, Nishat tem uma decisão a tomar: permanecer no armário pela sua família ou colocar de lado as suas diferenças com Flávia e dar uma oportunidade à relação.
 
 
 
The Henna Wars
Sinopse oficial.

 

 

Quanto à penúltima categoria, Sweet Night (ler um livro cuja capa/título inclua estrelas ou lua), selecionei A Phoenix First Must Burn, editado por Patrice Caldwell. É uma antologia que reúne histórias YA que têm como protagonistas mulheres negras ou "gender nonconforming individuals" negros.

Há Fantasia e Ficção Científica e são histórias atmosféricas e fortes que exploram relações e universos alternativos cativantes. Há sociedades futuristas, amor, traição, resistência, trauma e heroísmo. É uma coleção de histórias complexas e realistas que incluem bruxas, cientistas, amantes, irmãs, sacerdotisas e rebeldes. As heroínas prometem ser inesquecíveis e brilhantes.
 
 
 
A Phoenix First Must Burn
Sinopse oficial.


 

Por fim, para Begin (ler o primeiro livro de um autor asiático), escolhi The Poppy War, de R. F. Kuang. Não sei como é que ainda não foi publicado em Portugal. Já ganhou imensos grandes prémios de Fantasia e praticamente toda a gente adora este livro.

Quando Rin brilhou no Keju, o teste para encontrar os estudantes mais talentosos do Império, ela chocou toda a gente: desde os oficiais do teste, que não queriam acreditar que uma órfã de guerra da Província Rooster poderia passar sem enganar, até aos responsáveis por Rin, que esperavam enriquecer ao fazê-la casar por conveniência. Também foi uma surpresa para Rin, que percebeu que estava finalmente livre de uma vida de servidão. Foi ainda mais surpreendente ela ter entrado na Sinegard, a escola militar de elite em Nikan. Mas as surpresas nem sempre são boas.

Não é fácil ser uma camponesa de pele escura do sul na Sinegard. Ao lutar contra o preconceito dos seus colegas rivais, Rin descobre que ela possui um poder letal e sobrenatural, uma aptidão para a quase mítica arte do xamanismo. Quando explora as profundezas do seu poder com a ajuda de substâncias psicoativas e de um professor, Rin aprende que os deuses que supostamente estavam mortos estão, na realidade, vivos e que saber manusear os seus poderes pode significar mais do que apenas sobreviver na escola.

Apesar de o Império de Nakara estar em paz, a Federação de Mugen está à espreita num mar estreito. A Federação ocupou Nikan durante décadas depois da Primeira Poppy War e por pouco perdeu o continente na Segunda. Enquanto a maioria das pessoas tem uma vida pacífica, algumas têm noção de que pode haver uma Terceira Guerra em qualquer momento...

 

The Poppy War
Sinopse oficial.

 


Quem irá participar nesta readathon?