Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Opinião: A Maldição do Tigre, de Colleen Houck

Estou a ler
Sinopse retirada do site da Bertrand: Quando Kelsey Hayes se candidata a um trabalho no circo para ocupar as férias de verão até ao início das aulas na faculdade, está longe de imaginar a aventura em que se verá envolvida. Encarregada de cuidar de Ren, um majestoso tigre branco, sente-se de imediato fascinada pelo animal e não hesita em aceitar o convite para o acompanhar numa viagem até à Índia, rumo à reserva natural a que pertence.
O que Kelsey ainda não sabe é que o tigre a que tanto se afeiçoou é na verdade Alagan Dhiren Rajaram - um príncipe indiano vítima de uma maldição secular - e que ela poderá ser a única pessoa capaz de o ajudar a quebrar o feitiço.
Determinada a devolver a Ren a sua humanidade, Kelsey embarcará numa perigosa aventura por lugares repletos de magia e misticismo. No entanto, as forças do Mal não parecem dispostas a dar-lhes tréguas e os perigos espreitam a cada esquina. Será que a paixão que vai crescendo entre os dois resistirá a todos os obstáculos que lhes vão sendo colocados no caminho?



Opinião: Eu, simplesmente, não sei o que li... Eu quando li a sinopse, pensei: uau, um livro sobre mitologia indiana! Interessante! Depois, quando li as primeiras páginas, pensei: Bem, isto realmente parece ser muito bom. Avancei mais umas páginas, apercebi-me logo que criei expetativas demasiado elevadas. Volto a repetir, ainda não sei o que li. Digo desta forma porque não sei o que pensar acerca deste livro. A autora tinha tudo para que este livro funcionasse: o uso da mitologia indiana, algo que, por mim, deve ser muito raro num livro; maldições, aventuras.... Bem, era o que a sinopse dava a entender, não? E, afinal, fiquei mesmo decepcionada com este livro...

Primeiro, as personagens... Meu Deus, nunca vi personagens tão infantis como estas... A Kelsey, a personagem principal, já passou por maus momentos e tem 18 anos... Tudo bem aí, criei uma ligação com a sua história... Mas quando ela fala e diz o que pensa, caiu tudo... Uma autêntica criança, apesar dos seus 18 anos. Pior ainda, são as outras personagens fundamentais do enredo, Ren e Kishian. Supostamente, devido à maldição, têm mais de 300 anos de idade... A sério? Não, também são crianças. Às vezes, até gostava deles, mas depois... Havia cenas que não faziam sentido, como eles a acharem-se muito bons e depois dizem que não são assim, mas continuam a agir dessa forma... Mas quem eu mais detestei foi mesmo a Kelsey... Meu Deus, nunca li personagens tão infantis e chatas como estas, sinceramente.

Segundo, em relação à escrita, o único aspeto positivo é a sua simplicidade, se bem que a autora exagerou bastante com essa simplicidade. Como estamos a ler na perspetiva de Kelsey, é claro que a escrita foi infantil e demasiado simples... Além disso, as descrições ficaram muito aquém... Não era nada extraordinárias ou que nos fizessem imaginar cenários fantásticos... Simplesmente, não estavam bem realizadas, na minha opinião...

Não sei como é que um livro com ótimas ideias e premissas acaba por ser uma história amoroso cheia de lamechices sem sentido... fiquei mesmo decepcionada com esta leitura.
Ainda assim, quero ler o segundo livro. Quero ver se houve alguma evolução. E quero ver se a autora falou mais da mitologia indiana porque, sinceramente, a mitologia foi ofuscada pela história amorosa que achei péssima e sem sentido... Muitas brigas estúpidas, infantis e sem sentido nenhum...
Concluindo, até poderia dizer que é um bom livro. Bem, até que é um livro que se lê bem, no caso de não termos outro livro para ler. Mas as minhas expetativas não foram ultrapassadas. Aliás, eu fiquei mais impressionada a nível negativo do que pela positiva... É pena porque, realmente, a autora tinha ideias interessantes quanto às maldições e aventuras relacionadas com a mitologia indiana e essas ideias não foram muito bem trabalhadas, uma vez que ela, pelos vistos, estava mais interessada nessa relação amorosa pouco convincente e sem sentido. Eu sei que este livro pertence à categoria dos Young Adults, isto é, é indicado para um público mais jovem, mas penso que a autora exagerou quanto a essa parte, ou seja, para mim, até ficou infantil. Para ser sincera, já li fanfictions (histórias que fãs de livros, séries, filmes, etc, fazem sobre as suas personagens favoritas ou algo assim) muito mais bem escritas, muito mais maturas do que este livro. Enfim, eu até posso aconselhar a leitura deste livro, mas não devem ter expetativas elevadas. Eu tinha e deu nisto... Enfim, havemos de ver se o segundo é melhor. Por enquanto, não leio mais nada desta coleção, só mesmo daqui a alguns meses...
Mais uma vez, digo que tenho pena de esta história tenha começado desta maneira... Merecia ter tido um melhor tratamento, isto é, deveria ter sido mais trabalhada a fim de ser mais complexa e interessante.

Classificação: 5.5/10 estrelas