Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Biblioteca da Daniela

A Biblioteca da Daniela

Wishlist Outubro de 2023 (Portugal) - Parte 3.jpg

 

Cá estamos nós para a última publicação sobre as novidades editoriais de outubro!

Primeiro, temos Enquanto o Fim Não Vem, de Mafalda Santos. "O inspetor Lobo quer descobrir quem matou Laura. Afonso quer que o deixem escrever o que ele gosta. Gabriela quer que o inspetor Lobo faça o seu trabalho e quer que Afonso escreva o que lhe pedem. Mas Laura continua morta, os pais dela pressionam as forças policiais, e é preciso apanhar o culpado. Ou será mais que um? que forças estranhas os rodeiam sem que deem por nada? Quando Afonso perde a namorada, Júlia, num horrível acidente, vê no luto a oportunidade que precisa para parar de escrever, sem ninguém contestar.

Se o leitor acha que já percebeu este livro, podemos afirmar, com toda a certeza, que não. Porque quando pensa que descobriu o que se passou, Mafalda Santos abre outra cortina com outra realidade, desafiando-nos. Mas quando o fim, finalmente, chegar, pode ter a certeza de que não passará despercebido." 

Foi lançado pela Suma de Letras a 23 de outubro.

 

 

No mesmo dia, pela Companhia das Letras, foi publicado O que é Ser uma Escritora Negra Hoje, de Acordo Comigo, de Djaimilia Pereira de Almeida. "«Fosse eu minha trisavó, preta de carapinha dura, e o meu destino seria o chicote. Ser uma escritora negra hoje, de acordo comigo, uma mulher deste tempo, é escrever contra esse facto, carregando-o às costas, sem deixar que ele me tolha.» Escrever é-lhe essencial, é na escrita que se encontra, se define, se questiona, se apazigua, foi na página que descobriu poder ser o que antes lhe havia sido impossível ser plenamente. E, no entanto, a escrita, e ainda mais viver da escrita, ter-lhe-ia sido vedado, tivesse a escritora nascido décadas antes.

Numa reflexão pessoalíssima sobre o que é ser mulher, escritora e negra hoje, Djaimilia Pereira de Almeida, uma das mais destacadas vozes da literatura em língua portuguesa, encara a contradição que é, para uma escritora negra, viver no melhor dos tempos sem se deixar apanhar pela armadilha que esse privilégio pode encerrar.

É com liberdade que Djaimilia vai exercendo o chamamento que esteve vedado às mulheres da sua vida, como a incontáveis outras mulheres negras antes de si. É com consciência do passado e do presente que vai tacteando o espaço que existe no mundo de hoje para uma mulher negra que escreve."

 

 

A seguir, temos A Queda da Casa de Usher e Outros Contos, de Edgar Allan Poe. "Um jovem cavalheiro é convidado para a velha casa de um amigo de infância, Roderick Usher. A mansão parece concebida como cenário de um conto gótico, com a paisagem lúgubre que a rodeia, dois irmãos gémeos, o próprio Roderick e Lady Madeline, e doenças misteriosas que fazem parte da história familiar e que se manifestam em sensações sobrenaturais.

Todos os elementos do género parecem estar reunidos, e, no entanto, o suspense, o terror desta história deve-se à incerteza, pois não sabemos exactamente em que parte do mundo se situa e em que tempo decorre. Há também um lago perto do solar dos Usher, mas suspeitamos que está lá apenas para compor um final fatídico.

O conto foi publicado pela primeira vez na Burton’s Gentleman’s Magazine. Tornou-se uma das obras de Poe preferidas da crítica e a que o próprio autor considerava a mais conseguida das que escreveu. Esta edição reúne outros contos de Edgar Allan Poe, como Manuscrito Encontrado numa GarrafaLigeiaUma Descida no Maelström e O Gato Preto."

Foi lançado pela Relógio D'Água a 24 de outubro.

 

 

A seguir, temos Atalanta, de Jennifer Saint. "Deixada na encosta de uma montanha, a indefesa Atalanta é deixada à mercê de uma mãe ursa e criada ao lado dos filhotes, sob o olhar protetor da deusa Ártemis.

Jurando que vai provar o seu valor ao lado dos famosos heróis da Grécia, Atalanta deixa a floresta para se juntar ao bando de argonautas de Jasão.

Mas poderá ela esculpir o seu próprio lugar nas lendas num mundo feito para homens?"

Foi publicado pela Editora Minotauro.

 

 

No dia 26, foi lançado, pela Aurora Editora, Escritores & Amores, de Lily King. "Recentemente saída de um relacionamento amoroso devastador, e de luto pela morte da mãe, Casey Peabody  sente-se perdida. O romance que anda a escrever há seis  anos não parece ir a lugar nenhum, ela vê as suas dívidas acumularem-se a cada mês que passa e, com trinta e um  anos, todos os seus amigos estão a casar-se e a ter filhos,  pelo que ela se sente cada vez mais desanimada e estagnada.

Uma escritora parada na vida. Dois homens que lhe oferecem caminhos.

É então que conhece Silas, gentil, bonito e interessado nela. Mas, apenas algumas semanas depois, Oscar, mais velho, mais fascinante e também mais problemático do que Silas, entra na sua vida, trazendo consigo os seus dois filhos. 
Casey fica dividida entre relacionamentos diferentes, que prometem futuros igualmente diferentes. 

Ah, e ainda tem um livro para escrever…"

 

 

A Desrotina Editora também lançou dois livros ontem. Um deles foi Rapazes do Cemitério, de Aiden Thomas. "Yadriel evocou um fantasma e, agora, não consegue livrar-se dele. 
Quando a sua família conservadora latina tem problemas em aceitar o seu verdadeiro género, Yadriel está determinado a provar que é um verdadeiro brujo. Com a ajuda da sua prima e melhor amiga Maritza, decide realizar o ritual e parte em busca do fantasma do seu primo assassinado, Miguel, para o libertar. 

No entanto, o fantasma que evoca é, na verdade, Julian Diaz, o bad boy que vive na escola, e Julian não está disposto a caminhar silenciosamente para a morte, mas sim determinado a descobrir o que lhe aconteceu e a resolver algumas pontas soltas antes de partir. Sem escolha, Yadriel concorda em ajudá-lo, para que ambos consigam o que querem. 

Mas quanto mais tempo Yadriel passa com Julian, menos ele quer deixá-lo partir."

 

 

O outro livro foi Um Dote de Sangue, de S. T. Gibson. "Esta é a minha última carta de  amor para vós, embora alguns lhe chamem uma confissão...

No limiar da morte, Constanta é salva por um estranho, misterioso e elegante homem que a transforma de uma filha do ferreiro de uma aldeia na Roménia medieval numa esposa perfeita de um rei imortal.  No entanto, quando Drácula envolve uma mulher aristocrata  e um ator sem dinheiro na sua teia de paixões e enganos,  Constanta começa a perceber que o seu amado  é capaz de feitos terríveis.

Aliando-se aos seus consortes rivais — a bela Magdalena  e o brilhante Alexi —, Constanta começa a desvendar  os segredos sombrios do marido, dando por si numa  encruzilhada entre a liberdade e o amor.

Com a vida de todos os que ama em jogo, Constanta  terá de escolher entre a sua própria liberdade  e o amor pelo marido. Mas laços forjados através  do sangue apenas podem ser quebrados  pela morte.

Uma reimaginação lírica das noivas de Drácula, Um Dote de Sangue é uma história sobre desejo, obsessão e emancipação."

 

 

Passemos, agora, para dois livros que foram lançados noutros dias deste mês, mas que eu não pude registar. Temos, primeiro, Amo-te Mais do que te Posso Dizer, de A. M. McAndrew. "«Ela parece compreender, e toma-me nos braços, beija-me a boca, o pescoço, lambe-me a orelha, e brinca com o meu brinco. Somos tomadas pela urgência, pela ânsia do prazer. a conversa inacabada permanecerá inacabada, pelo menos esta noite.»

Entre festas glamorosas, vestidos brilhantes, mulheres poderosas e lobbies profissionais, Elena e Charlotte são o retrato de um casal perfeito, rodeadas de boa comida, boa bebida e amigos ricos como elas, com profissões importantes e preocupações políticas. A verdade, no entanto, é que nenhuma vida é perfeita.

A chegada de Alicia, uma nova aluna de doutoramento, à faculdade onde Charlotte ensina, irá abalar a vida de Elena de uma forma que ela nunca antecipou. A sua ciumenta mulher, sempre tão insegura, muda de repente, trocando-a por Alicia, jovem, livre e fascinada por Charlotte.

Neste arrebatador romance de estreia, A. M. MacAndrew aborda intimamente o amor profundo entre duas mulheres, a atração, o desejo e a fragilidade de todas as relações — mesmo quando há amor."

Foi publicado pela Topseller.

 

 

O outro livro é A Malnascida, de Beatrice Salvioni. "Com ecos de autores como Natalia Ginzburg, Alberto Moravia ou Elena Ferrante, eis a estreia fulgurante de uma escritora cuja mestria literária se dedica, neste romance, à procura da origem do mal e dos obstáculos à liberdade individual.

Monza, Itália, 1936. Francesca, de 13 anos, está nas margens do rio Lambro, vergada sob o peso de um homem morto que tentou violá-la. Maddalena, amiga de Francesca, sai da água e ajuda-a a livrar-se do corpo: escondem-no no meio de arbustos. Este momento é um marco inolvidável na relação entre as duas raparigas, que começa um ano antes, quando Francesca se deixa fascinar por aquela a quem todos chamam «a Malnascida»: uma rebelde de origens humildes e com estranhos poderes.

Contrariando a vontade da sua mãe, obcecada pelas convenções sociais burguesas, e ignorando os rumores que atribuem várias mortes à Malnascida, Francesca junta-se ao seu bando de amigos problemáticos, ávida por descobrir um modo de vida em absoluta liberdade. Entre as duas amigas, contudo, imiscui-se a guerra e o fascismo. Francesca e Maddalena terão de fazer uma difícil escolha: aliar-se contra a opressão social e a injustiça, ou deixar que o curso da História as separe para sempre.

A Malnascida é o elogiado romance de estreia da italiana Beatrice Salvioni, distinguido com o prémio literário Scuola Holden, criado pelo premiado escritor Alessandro Baricco. Uma inesquecível história de amizade e crescimento, sob o pano de fundo da Itália fascista."

Foi lançado pela Alfaguara.

 

 

E, por fim, o último livro que destaco este mês, Bunny, de Mona Awad. "Samantha Heather Mackey não poderia sentir-se mais estranha no seu pequeno e exclusivo programa de mestrado em Belas-Artes na Universidade Warren de Nova Inglaterra. Uma estudante bolseira que prefere a companhia da sua imaginação sombria à das pessoas, Samantha é repelida pelo resto das alunas do seu curso de escrita de ficção, um grupo de miúdas ricas e insuportáveis que se tratam umas às outras por Coelhinha, e agem e falam como se fossem uma só pessoa.

Tudo muda quando Samantha recebe um convite para o famoso Salão Salaz, pelo qual se vê inexplicavelmente atraída, o que faz com que deixe para trás Ava, a sua única amiga. À medida que mergulha nesse novo e sinistro mundo, as fronteiras da realidade começam a esbater-se.

Bunny é uma história de solidão e pertença, amizade e desejo, e sobre o fantástico e terrível poder da imaginação."

A Relógio D'Água lançará este livro no dia 31 de outubro.

 

 

 

Termino, assim, a terceira e última parte focada nos lançamentos de outubro. O que acharam destas novidades?

 

Daniela S..png